ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, TERÇA  09    CAMPO GRANDE 13º

Capital

Polícia conclui inquérito e pede prisão preventiva de motorista de aplicativo

Ele foi indiciado por estupro, tentativa de estupro e importunação sexual de três passageiras

Por Viviane Oliveira e Bruna Marques | 29/06/2022 07:43
Adriano continua preso provisoriamente na Deam (Foto: Henrique Kawaminami) 
Adriano continua preso provisoriamente na Deam (Foto: Henrique Kawaminami)

A Polícia Civil concluiu o inquérito e pediu a prisão preventiva do motorista de aplicativo Adriano da Silva Vieira, de 38 anos. Ele foi indiciado por estupro, tentativa de estupro e importunação sexual de três passageiras, em Campo Grande. Adriano está preso temporariamente, por 30 dias, desde o dia 9 deste mês na Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher).

Conforme a delegada Ana Luiza Noriler, responsável pelo caso, os inquéritos já foram encaminhados para o Judiciário, não apareceram mais vítimas do motorista e se a prisão temporária for convertida em preventiva, ele deverá ser transferido para uma penitenciária da cidade.

Adriano foi preso no dia 9 de junho, depois de tentar estuprar uma jovem na madrugada do dia 6. A mulher pediu uma corrida na rodoviária da Capital, por volta das 4h30. A jovem de 28 anos foi atacada, mas conseguiu fugir pela janela do carro.

Dessa forma, as diligências policiais levaram as autoridades a outra vítima de 27 anos, além da mulher de 54 que sofreu abuso, somando três vítimas. O motorista usava o carro da esposa para trabalhar e acionava trava para crianças, mesmo sem ter filhos, para dificultar a fuga das vítimas e cometer os abusos.

Nos siga no Google Notícias