A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

19/08/2014 11:13

Polícia derruba “empresa” de preso que vendia droga a vários Estados

Aline dos Santos e Francisco Júnior
Três foram presos ontem em Ponta Porã, mas grupo tem chefe em Goiás. (Foto: Marcos Ermínio)Três foram presos ontem em Ponta Porã, mas grupo tem chefe em Goiás. (Foto: Marcos Ermínio)

Comandada por um presidiário e com estrutura similar a de empresa, foi presa uma quadrilha de traficantes que atuava em Mato Grosso do Sul, Goiás, Distrito Federal e Nordeste. A logística envolvia gerente, frota própria e um preparador dos veículos que levaria as drogas. Toda a estratégia era para chegar ao mercado nordestino, que remunera até dez vezes mais.

Segundo o delegado Jorge Antônio Cheim Pires, o quilo da maconha vale R$ 80 em Ponta Porã, que faz fronteira com o Paraguai. No Nordeste, o valor é dez vezes maior. O delegado é da Cord (Coordenação de Repressão às Drogas), do Distrito Federal, e veio a Campo Grande para a operação, batizada de Tártaro. Na fronteira com a Bolívia, a pasta-base de cocaína tem o quilo cotado a 4,5 mil dólares. Segundo ele, os traficantes fazem consórcio.

O esquema era chefiado por Clodoaldo Antônio Felipe, 38 anos, preso em Aparecida de Goiânia, região metropolitana da capital de Goiás. Ele cumpre pena por tráfico. A investigação é realizada há seis meses.

De acordo com o delegado da Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico) de Campo Grande, João Paulo Sartori, ontem foi apreendido um caminhão com 400 quilos de maconha em Ponta Porã. A carga era de ração, mas a boleia tinha o teto e parte traseira do banco recheadas de droga.

Morador em Ponta Porã, o funileiro Gilberto Demdinski, 44 anos, é acusado de fazer as modificações nos caminhões para o transporte do entorpecente. Ele também atuaria na escolta do carregamento dentro do Estado. O destino da quase meia tonelada de maconha era Maceió, capital de Alagoas.

Também presa em Ponta Porã, Joselaine Gomes Lourenço, 34 anos, é apontada como gerente da quadrilha, atuando na compra e venda do entorpecente. Ela mora em Aparecida de Goiânia. Ainda foi preso Welson Iedo Lamonier Liares, 34 anos, que dirigia o caminhão apreendido.

Em Goiânia, foi preso Adersi Divino do Carmo. Conforme a polícia, ele negociava a compra de caminhões utilizados no tráfico de drogas. A estratégia era caminhões e motoristas diferentes. Há um mês, em Sidrolândia, dois integrantes da quadrilha foram presos com 20 quilos de pasta-base de cocaína. Há dez dias, a polícia apreendeu uma tonelada de maconha em Goiás.

Abstenção em concurso da Câmara Municipal da Capital passa dos 30%
O domingo (17) foi de provas para milhares de campo-grandenses, tanto na manhã como no período da tarde, no concurso da Câmara Municipal, que segundo...
Com forte dores, mulher reclama de falta de atendimento em UPA
Mesmo apresentando fortes dores e inchaço na região do estômago, sem conseguir comer a três dias, uma mulher que procurou atendimento na UPA (Unidade...
Problema rotineiro, chuva causa alagamentos no bairro Cidade Morena
A chuva que atingiu Campo Grande no fim da tarde deste domingo (17) causou vários problemas à população, desde alagamentos a problemas estruturais em...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions