ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEGUNDA  27    CAMPO GRANDE 26º

Capital

Polícia faz reconstituição e descobre que Bueno foi morto no Seminário

Garras apura circunstâncias da morte que chocou população em setembro deste ano

Por Luana Rodrigues e Yarima Mecchi | 29/12/2016 12:56
Por conta de ação, rua que dá acesso a casa está interditada. (Foto: Yarima Mecchi)
Por conta de ação, rua que dá acesso a casa está interditada. (Foto: Yarima Mecchi)

Policiais do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros) estão trabalhando desde a manhã desta quinta-feira (29) na reconstituição da morte ex-vereador de Campo Grande, Alceu Bueno.

Até o fechamento deste texto, havia pelo menos duas horas uma equipe de policiais trabalhava dentro de uma casa no Jardim Seminário, na Rua Frederico Abranches, juntamente com dois homens e uma mulher, presos na tarde de ontem (28), suspeitos de terem cometido o assassinato.

Assim como a investigação do caso, a reconstituição ocorre em sigilo, com o portão da casa fechado, por isso não é possível saber detalhes do que está sendo feito na ação.

Conforme informações apuradas pelo Campo Grande News, o que a polícia já sabe que Bueno foi morto dentro da casa no bairro, e só depois levado para Parque dos Poderes, onde acabou queimado.

Na manhã de hoje, o secretário de Justiça e Segurança Pública, José Carlos Barbosa, disse ao Campo Grande News que “todas as evidências indicam que Alceu foi vítima de um latrocínio”, pontuou. O crime é o conhecido roubo seguido de morte.

Os suspeitos presos serão apresentados à imprensa numa entrevista coletiva marcada para às 15h30 de hoje, na sede do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Bancos, Assaltos e Sequestros), onde também serão apresentados detalhes da investigação.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário