ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, DOMINGO  26    CAMPO GRANDE 15º

Capital

Polícia indicia "Belo", amigo de dona de creche, pelo estupro de três crianças

Homem confessou que dava "tapinhas" nas partes íntimas de duas crianças de 5 e 6 anos, no Jd. Panamá

Por Silvia Frias e Bruna Marques | 25/05/2022 11:03
Caso foi investigado pela Depca, em Campo Grande. (Foto/Arquivo: Henrique Kawaminami)
Caso foi investigado pela Depca, em Campo Grande. (Foto/Arquivo: Henrique Kawaminami)

Homem de 58 anos, conhecido como “Belo”, foi indiciado por estupro de três crianças de 5 a 6 anos de idade que frequentavam creche improvisada em uma casa no Jardim Panamá. No depoimento, as vítimas relataram os abusos e as presenteava com balas e refrigerantes.

O caso foi divulgado pelo Campo Grande News. O inquérito foi finalizado pela Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente ontem e enviado ao MPMS (Ministério Público de MS) para oferecimento da denúncia. Segundo assessoria da Polícia Civil, sem flagrante, ele está em liberdade.

A creche, na verdade, é casa onde uma mulher tomava conta de duas meninas de 5 e 6 anos de idade no mesmo espaço que seus filhos, de 5 e 12 anos.

O caso começou a ser investigado a partir da denúncia da mãe de uma menina de 5 anos feita no dia 5 de maio deste ano. No relato dela, consta que os abusos começaram no dia 25 de março. A menina contou que “Belo” passava a mão no corpo dela, por debaixo das roupas.

A segunda criança, de 6 anos, também foi levada à Depca e confirmou também ter sofrido violência sexual. As outras crianças passaram pelo atendimento psicossocial. O mais novo, filho da dona da casa, de 5 anos, relatou episódios semelhantes.

A equipe da Depca conseguiu identificar “Belo”, sendo morador próximo e que frequentava a casa onde também funcionava salão de beleza unissex.

Ao lado da casa, há conveniência frequentada por ele, onde bebia e ficava observando as crianças. Também comprava bala e refrigerantes para dar de presente a elas. Em interrogatório, o homem confirmou que deu “tapinhas” nas partes íntimas das vítimas e que elas faziam “cosquinhas” nele.

(*) Matéria atualizada às 11h21 para acréscimo de informações.

Nos siga no Google Notícias