A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 18 de Setembro de 2018

26/06/2015 09:40

Polícia pede gravações do Samu e convoca médico para investigar morte

Luana Rodrigues

A Polícia Civil abriu inquérito para investigar a morte da cuidadora de idosos Jaqueline dos Santos Flores,35 anos, que ocorreu na tarde do dia 16 de junho, em um posto de saúde do bairro Coophavila, em Campo Grande. O delegado Bruno Urban, da 6ª Delegacia de Polícia Civil, responsável pelo caso, irá ouvir ainda hoje o médico que atendeu a mulher no posto. Ele também pediu acesso as gravações do Samu(Serviço Móvel de Urgência), já que a família disse que o serviço negou atendimento.

De acordo com o delegado, o médico que será ouvido na tarde de hoje, é o que atendeu Jaqueline na segunda vez que ela esteve no posto de saúde CRS Coophavila. "Vamos saber detalhes do atendimento, pois o médico foi citado no boletim de ocorrências", explicou.

Sobre as gravações, Urban disse que quer saber como foi feita a solicitação de atendimento, já que o Samu é um serviço que só atende urgências e a mulher havia acabado de sair do posto de saúde.

A mãe e a sogra de Jaqueline já foram ouvidas. O delegado informou que também ouvirá a equipe de plantão no Samu, além de outras testemunhas.

O caso - A família de Jaqueline dos Santos Flores, registrou um boletim de ocorrência na polícia, após a mulher procurar atendimento no posto de saúde, ser liberada e ter o socorro de emergência negado.

Conforme o registro de ocorrência, Jaqueline passou mal pela primeira vez por volta das 12h, quando familiares acionaram o Corpo de Bombeiro, que a levou para o Centro Regional de Saúde do Bairro Coophavila 2. Ela foi atendida e ficou em observação a tarde toda, sendo liberada por volta das 16h.

Quando estava saindo do posto de saúde, a vítima desmaiou, mesmo assim, segundo o boletim de ocorrência, o médico mandou ela ir para casa que não era nada grave. Por volta de uma hora depois, Jaqueline teria passado mal novamente, e desmaiou, os familiares ligaram para o Samu(Serviço Móvel de Urgência) que, de acordo com a família, informou que não iria atender porque não era nada grave.

O filho da vítima de 13 anos, foi até a casa do vizinho pedir ajuda para socorrer a mãe. O vizinho levou Jaqueline ao posto de saúde do Coophavila II, onde ela já chegou com uma parada cardíaca. Ainda segundo o boletim, o médico Thyego Barreto de Arruda fez manobras de ressuscitação cardiorrespiratória por uma hora, mas sem sucesso. O caso está sendo investigado como morte a esclarecer.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions