A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

05/05/2014 11:18

Polícia prende "ponte" que seguia para o Paraguai com carros de placas clonadas

Graziela Rezende
Autor do crime é integrante de quadrilha. Foto: Pedro PeraltaAutor do crime é integrante de quadrilha. Foto: Pedro Peralta

Alguns dias após a Polícia encerrar as investigações do Caso Erlon, no qual um “esquema” de placas clonadas foi descoberto, outros três veículos foram apreendidos na Capital. Eles seguiriam para o Paraguai, dirigidos por Diogo Pinheiro Martins, 24 anos. Segundo o delegado Fabiano Goés Nagata, responsável pelas investigações, este jovem seria uma “ponte” do grupo especializado neste crime.

As buscas iniciaram há seis dias, quando os investigadores compareceram em uma casa na rua Medrados, bairro Paulo Coelho Machado. Um veículo Sportage Kia e uma caminhonete Frontier Nissan foram apreendidas, além de Diogo, que confessou que ainda havia um veículo Fox com um adolescente.

O Kia, três dias antes da diligência, havia sido roubado pela dupla, em Campo Grande. Já a Nissan foi furtada em Brasília, no dia 20 de abril. O veículo Fox foi o primeiro a ser levado, na cidade de Goiânia, no dia 27 de fevereiro. Todos seriam levados para o Paraguai. O autor ganharia no mínimo R$ 7 mil pela venda ilícita dos três carros no país vizinho.

“Vou entrar em contato com a delegada responsável pela investigação sobre as placas clonadas em Campo Grande e repassar o caso. A intenção é descobrir se existem mais membros da quadrilha, pois já temos os envolvidos presos”, finaliza o delegado.

Diogo responderá por receptação, adulteração de sinal identificador e corrupção de menores. Já o adolescente responde em liberdade, sendo a sua responsabilidade encaminhada para a Deaij (Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude).

Caso Erlon - O empresário saiu de casa às 14h da terça-feira, 1° de abril, para mostrar o seu carro Golf prata a um suposto cliente. O local combinado foi a avenida Interlados, na rotatória próximo a fábrica da Coca-cola, em Campo Grande.

Com a emboscada, ele desapareceu e a família entrou em desespero. Erlon Peterson Pereira Bernal, 32 anos, foi “atraído” até uma residência no bairro São Jorge da Lagoa. Poucos minutos depois, a vítima foi executada com um tiro na nuca e jogada em uma fossa. O corpo foi localizado após cinco dias.

 

Caminhonete estava com placas clonadas de Brasília. Foto: Pedro PeraltaCaminhonete estava com placas clonadas de Brasília. Foto: Pedro Peralta
Veículos ainda estão no pátio da delegacia. Foto: Pedro PeraltaVeículos ainda estão no pátio da delegacia. Foto: Pedro Peralta


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions