ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, DOMINGO  19    CAMPO GRANDE 28º

Capital

Polícia prende suspeito de ter matado mulher com tiro no pescoço

Edhen Araujo Silva, de 34 anos, estava escondido numa casa no jardim Anache, segundo a polícia

Por Luana Rodrigues | 30/12/2016 16:43
Edhen Araujo Silva, de 34 anos, foi preso em flagrante na tarde desta sexta-feira (30). (Foto: Reprodução/ Facebook)
Edhen Araujo Silva, de 34 anos, foi preso em flagrante na tarde desta sexta-feira (30). (Foto: Reprodução/ Facebook)

A Polícia Civil prendeu em flagrante, na tarde desta sexta-feira (30), Edhen Araujo Silva, de 34 anos, suspeito de ter matado a esposa Elisangela Aparecida Barbosa de Oliveira Silva, de 41 anos, com um tiro no pescoço, na madrugada no bairro Vida Nova, em Campo Grande.

De acordo com o delegado titular do 2º DP, Weber Luciano de Medeiros, Edhen estava escondido em uma residência no jardim Anache, região Norte da Capital.

“Estamos no local do crime apurando os detalhes, mas ele já confessou o crime. Até o fim da tarde, ele será oficialmente indiciado”, disse Medeiros.

Conforme o delegado, Edhen ainda não disse o que o levou a atirar na esposa. Ele será indiciado por femincídio.

Crime - Elisangela foi morta pelo marido, Edhen, com um tiro no pescoço, na frente dos dois enteados, de 11 e 12 anos, na noite desta quinta-feira (29). O crime ocorreu na Rua Venâncio Aires, no bairro Vida Nova, em Campo Grande.

De acordo com informações da delegada plantonista da Casa da Mulher Brasileira, Claudia Angélica Gerei, as crianças contaram que a mulher estava no quarto, mexendo no computador, quando o pai se aproximou e viu algo que não gostou na tela. Os dois começaram a discutir e de repente as crianças ouviram um tiro.

Elisangela chegou a receber atendimento médico, mas devido a uma hemorragia interna, teve duas paradas cardíacas e morreu.

Drogas - Segundo a família, Edhen era usuário de drogas, mas Elisangela tinha esperança de livrá-lo do vício. 

“Ela era da igreja Assembleia de Deus e orava muito por ele, tinha certeza que um dia ele ia deixar as drogas por causa da fé que ela tinha”, conta a nora da vítima, Paloma da Silva Milagre, 21 anos.

Segundo Paloma, Elisangela era muito apaixonada pelo marido. Ao ponto de aceitar conviver com ele, mesmo sabendo que era viciado em drogas como cocaína e maconha, e que a família dela não aprovava o relacionamento.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário