A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

04/05/2016 20:09

Polícia procura testemunhas do caso que envolve ex-primeira dama

Paulo Yafusso
Advogado Jail Azambuja, que defende ex-primeira dama Andréia Olarte, nega que tenha ocorrido briga citada por colunista (Foto: Arquivo)Advogado Jail Azambuja, que defende ex-primeira dama Andréia Olarte, nega que tenha ocorrido briga citada por colunista (Foto: Arquivo)

O inquérito que apura suposto caso de pedofilia envolvendo a ex-primeira dama de Campo Grande, Andréia Olarte e a colunista Bya Arraes continua parado na DEPCA (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e Adolescente), simplesmente porque a polícia não consegue localizar os principais personagens desse caso, a colunista e o pastor Mauro Alessandro.

O delegado Mário Donizete Ferraz de Queiroz recebeu o procedimento do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) há três semanas, disse que os policiais não conseguem localizar os dois para entregar a intimação para que compareçam à delegacia para prestar depoimento. “Eles são imprescindíveis para o inquérito, a conversa em que ela (Bya Arreas) fala que disputou com a Andréia uma menina de 13 anos é com o pastor”, afirmou o delegado.

Segundo Mário Donizete, o depoimento de Bya Arraes e do pastor Mauro é importante até para se definir pelo prosseguimento ou não da investigação. “Eles falam na disputa de uma menina de 13 anos, mas ela nem está identificada”, diz ele. A conversa entre a colunista e o religioso é por telefone, e foi captada em interceptação telefônica autorizada pela justiça na Operação Adna, cujo principal alvo era o ex-prefeito Gilmar Olarte. A DEPCA solicitou e a justiça autorizou, o compartilhamento das interceptações telefônicas da Operação Adna, realizada em 2014.

São pouco mais de 42 minutos de conversa telefônica, em que ambos falam sobre a situação política envolvendo Gilmar Olarte e em determinado momento, ao se referir sobre as “diferenças” entre ela, Bya Arraes, e a ex-primeira dama da capital, a colunista lembra o pastor Mauro da briga que teve na igreja de Gilmar Olarte, localizado na Avenida Calógeras.

Bya Arraes relata que a briga que teria chegado a vias de fato, foi presenciado pelo ex-prefeito e vários missionários que estavam na igreja. O Campo Grande News tentou contato com Bya Arraes, o pastor Mauro e a ex-primeira Andréia Olarte, mas nenhum deles foi localizado.

O advogado Jail Azambuja, que defende o casal Olarte, afirma que esse episódio relatado por Bya Arraes. “Isso nunca existiu, é conversa fiada. E assim que essa investigação for arquivada, vamos entrar com representação contra o Mauro e a Bya por denunciação caluniosa”, afirmou Azambuja. O advogado afirmou que a informação que tem é de que Bya Arraes está no Distrito Federal, em tratamento de saúde. Mas no facebook de Bya Arraes há uma postagem recente com fotos, dela dizendo estar no Proncor.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions