ACOMPANHE-NOS    
MAIO, DOMINGO  22    CAMPO GRANDE 16º

Capital

Policiais da Derf foram mortos com tiros na nuca, disparados de dentro do carro

“Tudo leva a crer que um dos presos estava armado dentro do carro”, informou o diretor-geral da Polícia Civil, Marcelo Vargas.

Por Marta Ferreira e Gabriel Neris | 09/06/2020 18:31
Os policiais Antonio Ramires e Jorge Silva dos Santos, assassinados nesta tarde em Campo Grande. (Foto: Divulgação)
Os policiais Antonio Ramires e Jorge Silva dos Santos, assassinados nesta tarde em Campo Grande. (Foto: Divulgação)

Os policiais civis assassinados nesta tarde em Campo Grande, no Bairro Itanhangá, eram lotados na Derf (Delegacia Especializada de Repressão a Furtos e Roubos), na Vila Sobrinho. Eles foram atingidos com tiros na nuca, disparados de dentro do carro onde transportavam 2 presos.

As vítimas foram identificadas como Jorge Silva dos Santos, 50 anos, e Antônio Marques Roque da Silva , de 39 anos, ambos investigadores. “Tudo leva a crer que um dos presos estava armado dentro do carro”, informou o diretor-geral da Polícia Civil, Marcelo Vargas.

Agora a investigação ficará por conta da Garras (Delegacia Especializada em Repressão a Roubos a Banco Assaltos e Sequestros)

Os dois policiais estavam em um Fiat Mobi branco, descaracterizado. Foram atingidos em pleno cruzamento da Joaquim Murtinho com Fernando Corrêa da Costa, por volta das 17h30.  Um deles chegou a ser socorrido por militares do Corpo de Bombeiros. O outro morreu antes mesmo de atendimento.

Testemunhas viram os presos que estavam no carro fugindo em seguida, ainda algemados.

No local, é imensa a movimentação, o trânsito foi impedido e há equipes de várias unidades de forças de segurança. A reportagem apurou que policiais de folga foram convocados para "rastrear" a cidade em busca dos assassinos.

Em nota - A Polícia Civil divulgou nota comunicando assassinato e dando conta de que os policiais estavam em diligências para investigação de furtos de celular.

Conforme a DGPC, Antônio Marcos Roque da Silva está na Polícia Civil desde 2006,e Jorge Silva dos Santos  desde 2002,

"A Polícia Civil e a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso do Sul (Sejusp/MS) estão de luto e irão prestar todo apoio às famílias".

Um dos policiais caiu na rua, outro ficou dentro do carro após execução no Itanhangá.
Um dos policiais caiu na rua, outro ficou dentro do carro após execução no Itanhangá.


Nos siga no Google Notícias