A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

04/07/2011 10:40

Prefeito pode abrir nova licitação para explorar corredores de ônibus

Aline dos Santos e Ítalo Milhomem
Sinalização de corredores já foi pintada em avenidas de Campo Grande.Sinalização de corredores já foi pintada em avenidas de Campo Grande.

O prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad (PMDB), afirmou hoje que pode abrir uma nova concessão no transporte coletivo para exploração dos corredores de ônibus. “Se eles [Assetur] não derem conta, tenho fortemente na minha cabeça que posso abrir um novo processo de concessão. Para que quem vier dê conta de fazer isso”, salienta.

Na semana passada, o prefeito foi ao Ministério das Cidades, em Brasília, para pleitear R$ 280 milhões em projetos no PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) da Mobilidade Urbana. Do total solicitado, R$ 160 milhões são para implantação de 68 km de corredor para o transporte coletivo.

Os projetos selecionados serão anunciados em agosto, mas o Ministério das Cidades já exigiu mudanças no transporte coletivo de Campo Grande, com custo orçado em R$ 40 milhões.

Conforme o diretor-presidente da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), Rudel Trindade, o assunto foi discutido na última quinta-feira pela Assetur (Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano), que reúne as cinco empresas que exploram o serviço na Capital.

A Assetur propôs aumento no prazo de concessão, que termina em 2014, ou reajuste na tarifa, que custa R$ 2,70. Contudo, conforme Rudel, existe impedimento jurídico para renovar o contrato.

E a possibilidade de novo reajuste neste ano foi descartada por Nelsinho Trad. Pelos corredores de ônibus, devem circular linhas como Aero Rancho/Centro, Nova Bahia/Centro e Guaicuru/Shopping.

Para atender o Ministério das Cidades, a frota deverá ser ampliada em 30%, além de mais 20 ônibus articulados e todos os veículos com câmera. Segundo o diretor da Agetran, cada ônibus articulado custa R$ 800 mil. Já um veículo de tamanho padrão custa de R$ 250 a R$ 300 mil.

Também foi exigido acessibilidade em 100% da frota, que hoje chega a 75% dos veículos. Os ônibus deverão ser dotados de GPS e as empresas deverão disponibilizar informações aos usuários, inclusive, por meio do celular.

Londrina – Também foi exigido que as garagens das empresas de ônibus tenham certificação ambiental e tratamento de esgoto. Rudel Trindade foi a Londrina, no Paraná, nesta segunda-feira para verificar como funciona o corredores de ônibus na cidade.

Na próxima quinta-feira, o diretor-presidente da Agetran vai ao Distrito Federal para mostrar às adequações aos projetos. Neste prazo, já deve haver definição se a Assetur fará ou não as mudanças.

Dos 280 milhões pleiteados pela prefeitura de Campo Grande no PAC, R$ 20 milhões serão destinados à construção de cinco terminais; R$ 7,5 milhões para reforma de sete unidades; R$ 160 milhões para construção de 68,4 quilômetros de corredores de transporte coletivo.

Além de R$ 9,7 milhões para implantar 56 quilômetros de ciclovias; R$ 4,5 milhões para modernização do sistema de controle eletrônico; R$ 67,3 milhões para intervenções viárias e R$ 9,5 milhões para estações de pré-embarque.



gostaria de lembrar que são paulo ja foi tentedo a instalação de um programa de corredor igual ao parana (emtu). A mais oumenos 21 anos trabalhei como operador de troleibus (motorista) na emtu e asse cistema de corredor e o controle de trransito e cemaforos era prioridade de instalação, e me paresce que os componentes eletronicos para o programa ja era para ser instalado. Sai de la e ate hoje nada, e era prioridade
sem mais
wilsom
 
wilson roberto rodrigues simoes em 07/07/2011 08:27:19
Ola Prefeito. Renovar a concesssão com a assetur? Aumentar o valor da passgem? NEM PENSAR. Nelsinho, faça uma pesquisa com a população de Campo Grande e ouça o que diz os usuáios do transporte coletivo. Não da mais pra aguentar essa gente da assetur por aqui. Eles só querem obter lucros em cima do sofrimento da população que paga caro pela passagem e obtem um serviço de péssima qualidade.
Abra uma licitação para contratar novas empresas que venha a operar o serviço de transporte coletivo na cidade, mas de um passeio em Curitiba, veja como é o transporte dessa cidade e depois exija que as novas empresas que vierem pra cá, traga ônibus modernos, movidos a eletricidade, biodiesel. AFINAL DE CONTAS NOSSA POPULAÇÃO MERECE.



 
NELSON JARSON DE ARAUJO em 05/07/2011 08:04:43
A ASSETUR, acha que nós contribuintes devemos nos adequar as normas que eles atribuírem, como já ouvi em terminais, " se não quer perder seu ônibus" acorde mais cedo, isso e Inadmissível, ai te pergunto, o cidadão tem que se adequar a cidade, ou a cidade tem que se adequar? o Prefeito esta correto em solicitar da Associação melhorias nos serviços prestados, pois pagamos caro e gostaríamos de um serviço com qualidade. A verdade e essa somos transportados em Campo Grande, como animais.
 
JULIANO ALVES em 05/07/2011 01:04:25
Pelo visto o puxão de orelha que o prefeito deu nos secretários também vai servir para as concessionárias. A Assetur que se cuide, pois pelo visto o Nelsinho quer porque quer que esses projetos venham pra cá.
 
Milton Azevedo Goulart em 04/07/2011 11:37:31
Isso mesmo, prefeito, vamos pressionar a Assetur para garantir a qualidade dos nossos ônibus. Se continuar como está, que troque a emressa concessionária, o que não dá é que a cidade perca o projeto porque a Assetur não tem como fazer os serviços exigidos. Pulso forte, prefeito!
 
Ricardo Linhares em 04/07/2011 11:35:44
Amigos,
Pertinentes e importantes suas sugestões. Serão muito importantes nesse processo de reestruturação ordenado pelo Prefeito.
Obrigado,
RUDEL
Agetran
 
RUDEL EPINDOLA TRINDADE JUNIOR em 04/07/2011 06:00:44
Prezado prefeito, vamos implantar em Campo Grande MS parte do que já existe em Curitiba PR? ônibus híbridos por exemplo (elétricos biodiesel), já pensaram em um corredor de ônibus entre o aeroporto internacional e o parque dos poderes? entre a nascente do segredo e o aerorancho? com transbordo no centro da cidade. talvez nao de para implantar tudo de uma vez só, mas não podemos perder o momento propício para isso sob pena de sofrermos muito no futuro. o momento é favorável vamos em frente preparando nossa linda cidade para o futuro. Campo Grande grande tem capacidade de acolher esses projetos, dá para preservar a natureza e dar conforto ao povo que precisa de transporte coletivo toos os dias.
agradeço ao Prefeito e aos leitores pela atenção
 
carlos augusto m de oliveira em 04/07/2011 04:13:57
Já deveria ter feito isso bem antes. Aos poucos temos que melhorar nossa cidade. Parabéns ao prefeito, tomara que não fique so no susto para Assetur.
 
Paulo Cesar Ravaglia em 04/07/2011 01:56:12
É isso mesmo prefeito, tem que cobrar a assetur pois o transporte coletivo está um caos, principalmente nos horarios de picos. Cobrar também maior fiscalização nos horarios de paradas nos terminais, pois tem motoristas que chega a ficar mais cinco minutos parados em relação aos horarios da tabela dos itinerarios.
 
Celmo ferreira em 04/07/2011 01:45:47
Eu sugiro que Av Afonso Pena,passe por esse processo de corredor com faixas divisórias,isto pode promover um tempo mair para reodenação dessa via.VAMOS ACBAR COM OS ESTACIONAMENTOS NAS VIAS DE USO PARA ÔNIBUS,TEMOS TAMBÉM QUE EXIGIR DOS ORGÃOS PUBLICOS MAIS CICLOVIAS EM QUE SE PODE UTILISAR FAIXAS REFLETIVAS E OLHO DE GATO PARA ISSO PODEMOS USAR O DINHEIRO QUE SE ARRECADA COM LOMBADAS,PARQUIMETRO,E NOTIFICAÇÕES DE TRÂNSITO.GOSTARAM...............................
 
LUIZ CARLOS em 04/07/2011 01:43:40
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions