A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

06/08/2015 19:35

Prefeitura busca solução pra acabar com greve e fim do impasse deve sair amanhã

Michel Faustino
Ao fim do encontro, a Prefeitura anunciou que uma nova reunião deve acontecer nesta sexta-feira e uma proposta será apresentada a categoria. (Foto: Vanessa Tamires)Ao fim do encontro, a Prefeitura anunciou que uma nova reunião deve acontecer nesta sexta-feira e uma proposta será apresentada a categoria. (Foto: Vanessa Tamires)
Presidente do ACP considerou encontro positivo e disse que categoria está aberta à negociação. (Foto: Vanessa Tamires)Presidente do ACP considerou encontro positivo e disse que categoria está aberta à negociação. (Foto: Vanessa Tamires)

Professores da rede municipal de ensino e Prefeitura voltaram a dialogar na tarde desta quinta-feira (06) na tentativa de por fim a greve que já dura 73 dias. Ao fim do encontro, o secretário de Governo, Paulo Matos, garantiu que o município tem buscado alternativas a fim de conceder o reajuste salarial à categoria e anunciou que um nova reunião deve acontecer a partir das 09h desta sexta-feira (07) com o objetivo de por fim ao impasse.

Segundo Matos, a concessão do reajuste de 13,01% do piso salarial nacional para 20 horas semanais pedido pelos professores fica impossibilitada pelo fato de a folha de pagamento da Prefeitura ter atingido limite prudencial da LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal).

Conforme o secretário, uma das alternativas adotadas para reverter esta situação foi o corte de pessoal, inclusive, dentro da própria Semed (Secretaria Municipal de Saúde), entre outros caminhos, que segundo ele, possibilitaram construir uma “proposta firme” que será apresentada a categoria neste novo encontro que deve ocorrer amanhã.

O presidente da ACP (Sindicato Campo-grandense dos Profissionais da Educação Pública), Geraldo Gonçalves, classificou o encontro desta quinta-feira como “produtivo” e afirmou que houve avanços nas negociações. Conforme Geraldo, uma das alternativas já apresentadas seria o parcelamento dos 13% em 10 vezes.

“Os professores querem voltar ao trabalho na certeza de que a prefeitura cumpriu o dever. O sindicato sempre esteve aberto a discussão e já sinalizou que pode parcelar”, disse

De acordo com dados da Semed, 58 escolas estão tendo aulas normalmente e outras 36 estão funcionando parcialmente. Dos 5,8 mil professores, 425 continuam em greve.

Reunião - Os representantes dos professores se reuniram por quase 1h com o prefeito Gilmar Olarte (PP), os secretários de Administração, Wilsom do Prado; Governo Paulo Matos e Educação Marcelo Salomão.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions