ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, SÁBADO  17    CAMPO GRANDE 27º

Capital

Prefeitura dá 10 dias para que 107 bancas do jogo do bicho "sumam" da Capital

Garras encaminhou ofício listando as 107 bancas do jogo do bicho que devem ser removidas, em continuidade à Operação Black Cat

Por Silvia Frias | 25/11/2020 12:01
Banca de jogo lacrada no dia da Operação Black Cat, deflagrada pelo Garras em setembro (Foto/Arquivo: Paulo Francis)
Banca de jogo lacrada no dia da Operação Black Cat, deflagrada pelo Garras em setembro (Foto/Arquivo: Paulo Francis)

A pedido da Polícia Civil, a Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana) determinou a retirada de 107 bancas de jogo do bicho das calçadas de Campo Grande, identificadas na Operação Black Cat, que foi às ruas em setembro, para coibir a contravenção.

O prazo é de 10 dias, a contar de hoje, data de publicação do edital no Diogrande (Diário Oficial do Município). Foram listadas 107 bancas de jogo do bicho espalhadas nas regiões Bandeira, Prosa, Segredo, Imbirussu, Centro, Anhanduizinho.

Caso a ordem não seja obedecida, a estrutura será removida pela secretaria.

A lista foi encaminhada pelo Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco e Resgate a Assaltos e Sequestros), que havia deflagrado a Operação Black Cat no dia 23 de setembro deste ano. Naquele dia, 30 apontadores foram levados à delegacia, assinaram TCO (Termo Circunstanciado de Ocorrência) e foram liberados.

A operação é 4ª fase da Operação Omertà, que foi deflagrada há um ano contra milícia armada cujo chefe, segundo a acusação, é o empresário Jamil Name. A ele também tinha sido atribuída o comando da exploração do jogo do bicho, com o “Gato Preto”. Name está preso desde 27 de setembro do ano passado.

Um mês depois da operação, a reportagem do Campo Grande News constatou que o jogo do bicho continuava normalmente, mas de forma ambulante, com apontadores circulando pela região para atender a clientela.

Recentes investigações mostram que grupo do Rio de Janeiro está assumindo o negócio ilegal, começando por Aquidauana e São Gabriel do Oeste, operadas pela banca "Gato Preto" .

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário