ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEXTA  22    CAMPO GRANDE 33º

Capital

Prefeitura estuda subsidiar gratuidade e tarifa de ônibus pode ter 3ª queda

Por Edivaldo Bitencourt e Kleber Clajus | 25/11/2013 15:33
Bernal e presidente da Agetran andaram nos ônibus novos nesta segunda-feira (Foto: Cleber Gellio)
Bernal e presidente da Agetran andaram nos ônibus novos nesta segunda-feira (Foto: Cleber Gellio)

A tarifa do transporte coletivo de Campo Grande pode ter a terceira queda consecutiva no início de 2014. A previsão é de que a nova redução seja de mais R$ 0,05. A medida será resultado do subsídio das gratuidades, que contemplam 13 categorias, incluindo-se estudantes e idosos.

Segundo a presidente da Agereg (Agência de Regulação dos Serviços Delegados de Campo Grande), Ritva Cecília Queiroz Vieira, o órgão deve concluir estudo técnico sobre a criação de um fundo para subsidiar as gratuidades no sistema. A expectativa é de que o perfeito Alcides Bernal (PP) anuncie a programa em janeiro.

“Em um primeiro momento, temos a intenção de subsidiar 50% das gratuidades no transporte coletivo. O único detalhe é sobre a origem do recurso para abastecer o fundo”, comentou Ritva na manhã de hoje, durante a apresentação dos 84 ônibus que vão substituir a frota da Viação Floresta. A empresa deixou de operar no sábado.

Apesar da gratuidade representar quase 30% do valor da tarifa de R$ 2,70, a Agereg prevê que a redução só deve ser de R$ 0,05. Atualmente, o valor está em R$ 2,70.

Segundo Ritva, o transporte coletivo conta com 13 categorias de gratuidades. São cerca de 60 mil estudantes. Por mês, 1,8 milhão de passageiros não pagam para andar de ônibus na cidade.

Redução – A primeira redução na passagem de ônibus urbano de Campo Grande ocorreu em 1º de julho deste ano, de R$ 2,85 para R$ 2,75. A queda ocorreu um mês após a presidente Dilma Rousseff (PT) isentar o setor de cobrança de PIS e Cofins.

A segunda foi a isenção do ISS (Imposto Sobre Serviços) pelo prefeito Alcides Bernal. O valor caiu de R$ 2,75 para R$ 2,70.

A terceira pode ser com a criação do fundo para subsidiar as gratuidades.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário