ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, SEGUNDA  06    CAMPO GRANDE 32º

Capital

Prefeitura fará recadastramento de aposentados para isenção do IPTU 2016

Por Lucio Borges | 19/05/2015 23:46
Aposentados, pensionistas e beneficiários do Loas podem requerer a isenção. (Foto: divulgação)
Aposentados, pensionistas e beneficiários do Loas podem requerer a isenção. (Foto: divulgação)

A Prefeitura de Campo Grande, mesmo diante a crises, tem programado para iniciar no próximo dia 15 de junho, o recadastramento de aposentados para isenção do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) do próximo ano. Até 30 de outubro, aposentados, pensionistas e beneficiários de prestação continuada e da renda mensal vitalícia (LOAS),que obtiveram isenção de IPTU antes de 2015, terão de se recadastrar na CAC (Central de Atendimento ao Cidadão), no horário das 8h às 16h30.

Conforme a Semre (Secretaria Municipal de Receita) são pelo menos 13 mil contribuintes que poderão renovar o benefício com o recadastramento que será válido por três anos. Ou seja, quem se recadastrar agora, só vai precisar atualizar os dados em 2018. A isenção representa uma renúncia fiscal de R$ 13 milhões, receita que deixará de entrar nos cofres públicos.

Segundo o titular da Semre, Ricardo Vieira Dias , o objetivo do recadastramento, além de atualizar o banco de dados do Cadastro Imobiliário, é adequar as isenções, as regras fixadas na lei complementar 250, de novembro de 2014, que alterou alguns critérios para concessão do benefício. “as mudanças promovidas tornam mais justos alguns critérios”, disse.

Uma das alterações é que ao invés de limitar o benefício aos aposentados com renda familiar de até dois salários (R$ 1.576,00 em valores atuais) leva-se em conta apenas o rendimento pessoal do contribuinte(não somando, por exemplo, o do casal).Também se limitou a isenção aos imóveis com valor venal de até R$ 89 mil. Os portadores de Síndrome da Talidomida também passaram a ser contemplados.

Novidade

A isenção também passa a valer para aposentados proprietários de terrenos onde há mais de uma casa construída, desde que haja individualização da matrícula, segundo o secretário Municipal de Receita.

Antes, a situação fazia com que o benefício não pudesse ser concedido. Agora, havendo matrícula específica da residência onde mora o aposentado, ele estará dispensado de pagar o imposto. No entanto, a isenção não valerá para as demais casas construídas no terreno.

Também poderão requerer a isenção, que deverá ser renovada de três em três anos, os proprietários de imóveis que ainda estiveram registrados no cadastro imobiliário do município em nome da Agência Municipal de Habitação, Agência Estadual de Habitação e Caixa Econômica Federal. Serão aceitos também as solicitações do contribuinte que tiver adquirir o imóvel (desde que avaliados até R$ 83.716,50) por meio de contratos de gaveta. Neste caso, o pedido de isenção terá de ser renovado todos os anos.

Critérios de isenção

O benefício é concedido a aposentados com renda mensal de até dois salários mínimos, proprietário de um único imóvel com valor venal de até R$ 89 mil. São contemplados idosos com mais de 64 anos de idade ou pessoa com deficiência, desde que titular do Benefício de Prestação Continuada (BC) e Pessoas com Síndrome da Talidomida, que atinge pessoas vitimas de um medicamento de fabricação alemã, que causou defeitos congênitos em milhares de bebês no mundo todo.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário