ACOMPANHE-NOS    
MAIO, QUINTA  26    CAMPO GRANDE 29º

Capital

Prefeitura inicia reforço na assistência a casos de síndrome gripal na Capital

Ao todo, 10 unidades de urgência e emergência de Campo Grande terão tendas para triagem de sintomáticos

Por Jhefferson Gamarra e Aletheya Alves | 30/12/2021 10:55
Estrutura montada para triagem na UPA do Leblon (Foto: Paulo Francis)
Estrutura montada para triagem na UPA do Leblon (Foto: Paulo Francis)

Dando continuidade ao plano de contingência no combate à epidemia de Influenza no município de Campo Grande, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) iniciou nesta quinta-feira (30), a instalação de tendas sanitárias, que serão empregadas na triagem de pacientes sintomáticos em unidades de urgência e emergência da Capital. Ao todo, serão montadas de forma gradativa, 10 estruturas que funcionarão 24h.

A instalação das estruturas é uma estratégia adotada pelo município  devido ao aumento expressivo dos atendimentos relacionados a síndromes gripais nas últimas semanas. Até a última atualização,  42 casos de H3N2 haviam sido notificados na Capital. Além das tendas, a prefeitura renovou o contrato de 90 médicos e convocou 30 novos profissionais.

Pastora que acompanhava o filho com sintomas gripais aprovou a medida (Foto: Paulo Francis)
Pastora que acompanhava o filho com sintomas gripais aprovou a medida (Foto: Paulo Francis)

A pastora Alessandra de Oliveira de Mattos, 50 anos, que acompanhava o filho Lucas Loureiro 23 anos na UPA do Leblon no momento da instalação da estrutura aprovou a iniciativa. "Muito boa essa ação colocar as tendas pra aumentar o atendimento e também manter as pessoas em locais separados", afirma.

"Estou com sintomas de gripe comum, mas como está toda essa movimentação da nova gripe e novos casos apareceram resolvemos vir ao médico. Tive dor de garganta e muita febre", relata o filho Lucas Loureiro, 23 anos, que atua como técnico em enfermagem.

Até então preocupada apenas com a covid-19, a pastora conta que não se imunizou contra a influenza em 2021 e acabou sendo contaminada pelos dois vírus. "Eu fiquei muito preocupada com segunda dose da covid, vacina da gripe nem pensei nesse ano, como veio pandemia, a gente despreocupou e paguei o preço. Eu tive covid e gripe, os sintomas para mim foram diferentes. Na covid fiquei com dor de cabeça, ruim da garganta e com cansaço. Na gripe fiquei febril, garganta inflamada e tosse. Essa gripe foi mais intensa do que os sintomas da covid. Com gripe fiquei praticamente 2 semanas mal", finalizou.

A operadora de caixa, Rayane Melo, 25 anos, procurou a unidade de saúde com sintomas de gripe que estão muito fortes. "Tomei a vacina contra gripe e por isso vim ao médico, fiquei sem saber o que fazer", conta.

A secretaria de saúde reforça que as formas de prevenção à gripe e à covid-19 são as mesmas: uso de máscaras em locais fechados e abertos com aglomeração, utilização de álcool em gel, lavar as mãos com frequência, e distanciamento social.

Equipe de instalação de tendas nas unidades de saúde de Campo Grande (Foto: Paulo Francis)
Equipe de instalação de tendas nas unidades de saúde de Campo Grande (Foto: Paulo Francis)



Nos siga no Google Notícias