A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 14 de Dezembro de 2018

06/12/2018 17:24

Presa por matar em motel responderá por homicídio duplamente qualificado

Fernanda Sylverio foi denunciada pelo MPMS por dissimulação e uso de recurso que impossibilitou a defesa de Daniel Abuchaim

Humberto Marques
Fernanda e Daniel entraram no motel no veículo da acusada, onde se supõe que teria ocorrido o crime. (Foto: Reprodução)Fernanda e Daniel entraram no motel no veículo da acusada, onde se supõe que teria ocorrido o crime. (Foto: Reprodução)

A promotora Aline Mendes Franco Lopes, do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) denunciou à Justiça, sob acusação de homicídio duplamente qualificado, Fernanda Aparecida da Silva Sylvério, 28, pelo assassinato do ex-superintendente de Gestão de Informações do governo do Estado, Daniel Nantes Abuchaim, ocorrido em 19 de novembro. A acusação foi formalizada na quarta-feira (5), pedindo a condenação pelo assassinato com dois agravantes: dissimulação e uso de recurso que impossibilitou a defesa da vítima.

Fernanda foi presa horas depois do crime, depois de tentar fugir da Capital. Conforme apontaram as investigações, ela cometeu o crime “impelida por vingança”, em virtude de possível assédio cometido por Daniel à namorada da acusada –a denúncia cita outros casos envolvendo ex-companheiras da mulher ao longo de um ano, período em que ela e Daniel mantiveram amizade.

Por volta das 12h de 19 de novembro, Fernanda foi à casa de Daniel, no Tiradentes, onde teriam combinado um encontro em um motel. Eles seguiram para o estabelecimento no Jardim Noroeste onde entraram por volta das 12h14, lá permanecendo por menos de meia hora. A vítima entrou em um dos apartamentos para tomar banho e, na sequência, recebeu proposta de Fernanda para que fizessem sexo dentro do automóvel.

A dissimulação citada na denúncia, conforme a promotora, envolve o fato de Fernanda ter mantido “obscura sua real intenção, atraindo a vítima ao local do crime, convidando-o a manter com ela relação sexual”. Já o uso de recurso que dificultou a defesa envolve o fato de que, quando Daniel se deitou no banco do carro, a vítima se posicionou por cima dele e, com uma faca que estava no banco do veículo, atacou Daniel.

Depois do crime, Fernanda, que já havia tentado pagar antecipadamente pelo uso do quarto, tentou deixar o motel rapidamente –ela teria também “limpado” a cena do crime, tirando manchas de sangue e pago por uma toalha usada para o mesmo fim. Depois, o corpo de Daniel foi abandonado no Jardim Veraneio. A acusada ainda seguiu para a região do Lago do Amor, onde jogou pertences pessoais da vítima antes de tentar fugir para Bela Vista. Contudo, horas depois, ela decidiu voltar à Capital.

Novo depoimento – Na terça-feira (4), o Campo Grande News informou que Fernanda Sylverio prestou novo depoimento no qual deu outra versão para o crime, afirmando não ter agido sozinha (o que era a tese original). Uma segunda pessoa, segundo ela, teria torturado e matado Daniel no quarto do motel.

Laudos e a reprodução simulada do crime indicaram que a vítima teria sido assassinada no quarto do motel e não no carro. As contradições são alvos de investigações da 3ª Delegacia de Polícia Civil, que apura o caso. Embora o inquérito já tenha sido encaminhado à Justiça, outros laudos ainda seriam anexados. As autoridades pediram a queda dos sigilos telefônico e bancário de suspeitos. Fernanda segue presa.

Na denúncia, o MPMS também arrolou oito testemunhas para dar instrução ao processo.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions