ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, DOMINGO  19    CAMPO GRANDE 16º

Capital

Promotoria fará visita a frigorífico para entender motivos do mau cheiro

Moradores do Nova Campo Grande reclamam do "cheiro de carniça" e sofrem com náuseas e dor de cabeça

Por Kamila Alcântara | 17/02/2024 09:38
Imasul, responsável pela fiscalização, foi notificado e informou que cheiro é "inerentes à atividade". (Foto: Kamila Alcântara)
Imasul, responsável pela fiscalização, foi notificado e informou que cheiro é "inerentes à atividade". (Foto: Kamila Alcântara)

A promotora de Justiça Luz Marina Pinheiro, da 26ª Promotoria de Justiça do Meio Ambiente, pediu parecer técnico para entender o que pode estar causando mau cheiro na região do bairro Nova Campo Grande, na saída para Terenos em Campo Grande. Moradores dizem que o principal causador do problema é o frigorífico JBS, que fica na avenida Duque de Caxias.

De acordo com o procedimento administrativo, assinado pela promotora, já são três notificações recebidas com reclamações do odor vindo do frigorífico, localizado na Duque de Caxias.

O Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), responsável pela fiscalização, foi notificado e informou que cheiro é "inerentes à atividade, contrariando, assim, as frequentes reclamações de moradores da região".

Para entender o que pode estar acontecendo na região, a equipe técnica DAEX (Departamento Especial de apoio às Atividades de Execução), do Ministério Público, foi acionada para visitar o local. Quem mora na região convive com cheiro forte há anos, mas alegam que piorou de janeiro para cá.

"O bairro Nova Campo grande fica podre, cheiro de carniça. Temos que ficar com a porta de casa fechada, pois dá ânsia fica até difícil de comer o cheiro se intensifica a noite. Antes era bem fraco mas, agora tá muito forte", disse João Pedro Dias, de 27 anos, que mora no bairro  há 4 anos.

Já Pâmela Marques, 25 anos, que mudou para lá recentemente, chega a ser uma sensação de privação da liberdade. "Eu sinto que não tenho mais liberdade de estar na porta de casa, na minha calçada, descansando, por causa desse cheiro. Antes era mais fraco, até suportável. Agora nos faz querer ficar dentro de casa com as janelas fechadas nesse calor", compartilha.

Náuseas e dor de cabeça é o que mais incomoda a Sandra Montreal, de 61 anos. "Chega 17 horas o fedor começa, causando náuseas e dor de cabeça. Parece que a vizinhança está se unindo para tentar resolver a situação". No Facebook, um grupo voltado para compras na região está sendo usado para juntar as reclamações.

É importante lembrar que desde 2009 a JBS recebe termos de ajuste de conduta para serem cumpridos, inclusive, sujeitos a multa. A reportagem entrou em contato com a empresa, mas até o fechamento da matéria não respondeu os questionamento.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias