A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

10/12/2014 10:36

Protesto cobra a conclusão de obras de 12 postos de saúde e três UPAs

Aline dos Santos
Grupo fez passeata no Centro de Campo Grande. (Foto: Marcelo Calazans)Grupo fez passeata no Centro de Campo Grande. (Foto: Marcelo Calazans)

Protesto na manhã desta quarta-feira cobrou a conclusão das obras de 12 UBS (Unidade Básica de Saúde) e três UPAs (Unidade de Pronto Atendimento) em Campo Grande.

De acordo com o primeiro-secretário da mesa diretora do Conselho Municipal de Saúde, Sebastião Campos Arino Júnior, as unidades deveriam ter sido entregues no ano passado. No bairro Parati, por exemplo, o terreno onde seria posto de saúde abriga um circo.

O valor já investido em todas as obras não chegou a ser calculado pela entidade. No entanto, em outubro deste ano, o Conselho Municipal de Saúde denunciou que a prefeitura transferiu R$ 4,6 milhões que poderiam ser usados para a conclusão dos postos para o Centro Municipal Pediátrico, o Hospital da Criança do SUS (Sistema Único de Saúde).

Com baixa adesão, o protesto reuniu cerca de 50 pessoas, que caminharam da praça Ary Coelho até a Esplanada Ferroviária, na avenida Calógeras, onde o prefeito Gilmar Olarte (PP) participa de evento. O trajeto foi por uma faixa da rua 14 de Julho e sem acompanhamento da polícia ou órgão de trânsito. Apesar do cenário, não houve confusão no tráfego dos veículos.

“Não teve nenhum retorno”, afirma Sebastião Júnior sobre a postura do prefeito até então. Segundo ele, a UBS do Jardim das Perdizes foi abandonada. “Já estava quase concluída. A UPA Santa Mônica foi totalmente pichada. No Zé Pereira, a obra foi paralisada. No Parati, tiraram até as placas”, diz.

Conforme Thiago dos Santos, que representa o bairro no conselho, o terreno no Parati chegou a passar por terraplanagem, mas a obra do posto não começou. “Essa semana entrou um circo lá”, diz.

Segundo ele, informação obtida na Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) dá conta que um problema no lençol freático impede a obra no terreno. “Mas não tem nenhuma informação oficial sobre a questão”, afirma.

Com atuação nas Moreninhas, a conselheira Irís Marques de Souza afirma que a UBS não dá conta da demanda, enquanto, ao lado, a UPA está fechada e pichada. “Vai aumentado a população, entregaram não sei quantas casas, mas a UBS fica do mesmo tamanho”, reclama.

A nova previsão é que a obra de R$ 3,6 milhões seja entregue em fevereiro nas Moreninhas. A população fez um abaixo-assinado com 10 mil assinaturas.

Segundo Sebastião, obras deveriam ser entregues em 2013. (Foto: Marcelo Calazans)Segundo Sebastião, obras deveriam ser entregues em 2013. (Foto: Marcelo Calazans)
Irís segura cartaz que pede inauguração da UPA nas Moreninhas. (Foto: Marcelo Calazans)Irís segura cartaz que pede inauguração da UPA nas Moreninhas. (Foto: Marcelo Calazans)
Terminal rodoviário de Campo Grande oferece cartões de Natal gratuitos
A rodoviária de Campo Grande, mais um ano, oferece gratuitamente cartões de Natal gratuitamente para os passageiros que passarem pelo local até o pró...
Universidade do MS recebe certificação de excelência em gestão
Será recebida pela UCDB (Universidade Católica Dom Bosco) em solenidade que acontece na próxima segunda-feira (18) o certificado de excelência em ges...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions