A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

03/03/2014 10:15

Queda de árvore de 20m que destruiu carro já era esperada por taxistas

Aliny Mary Dias
Taxistas explicam que situação da árvore já era ruim há algum tempo (Foto: Marcos Ermínio)Taxistas explicam que situação da árvore já era ruim há algum tempo (Foto: Marcos Ermínio)

A queda de uma árvore de cerca de 20 metros de altura, que destruiu um táxi na tarde de ontem (2), na Praça Santo Antônio, no Bairro São Francisco, e assustou taxistas já era esperada. Segundo os motoristas, o pé de ingá há tempos dava sinal de problemas no tronco.

Há seis anos trabalhando no ponto de táxi, Macir Romero, 66 anos, explica que várias solicitações foram feitas à Prefeitura da Capital em razão da saúde da planta. “Sempre que dava uma ventania, a gente ficava preocupado, o tronco balançava muito e sempre achávamos que ia cair”, explica.

O temor dos taxistas era tão grande que qualquer início de temporal já era motivo para tirar os carros de perto das árvores. “Sempre tivemos medo, chovia e a gente colocava os taxis do outro lado da rua”, conta o taxista Fabio Carvalho que há 1 ano e 6 meses trabalha no local.

Há dois anos, uma árvore que também ficava na praça caiu. Na ocasião, nenhum carro foi danificado ou pedestre ficou ferido, mas a situação serviu de alerta para quem sempre passa pela Praça Santo Antônio.

No lugar da antiga árvore, os próprios taxistas plantaram um novo pé que hoje cresce sadio. Das árvores centenárias, a única que resta na praça é uma localizada na esquina da 13 de Maio. “Ninguém toma providência e essa outra vai cair do mesmo jeito”, diz Fabio.

Moacir trabalha há seis anos no ponto da Praça (Foto: Marcos Ermínio)Moacir trabalha há seis anos no ponto da Praça (Foto: Marcos Ermínio)

Todo o tronco que obstrua a rua foi retirado pelo Corpo de Bombeiros ontem, na manhã desta segunda-feira (3), operários da Prefeitura terminam o trabalho de retirada de parte do tronco com as raízes que ainda permanecem na calçada. Motosserras ajudam na ação dos trabalhadores.

Em razão do ponto facultativo da administração da Capital, a reportagem não pôde checar com a Prefeitura a reclamação dos motoristas sobre denúncias antigas em relação à árvore.

Queda - Por volta das 16h, o ingazeiro caiu sobre um táxi que estava estacionado em frente à Praça São Antônio. Por pouco o ingá não atingiu o taxista Ari Ferreira Rodrigues, 59, que lia dentro do carro no momento do incidente.

O taxista contou que aguardava a chuva passar dentro do veículo. Como tem o costume de ler, o trabalhador decidiu pegar um livro e ficar a espera de um cliente.

“Alguns motoristas começaram a buzinar, mas nem dei importância porque não achei que era sério”, disse. Ele trabalha no local há cinco meses.

Águas Guariroba continua com campanha de renegociação de dívidas
Vai até o dia 29 deste mês a campanha "Fique em Dia", realizada pela Águas Guariroba para renegociar as dívidas que os consumidores têm com a empresa...
Prefeitura e TJ prorrogam renegociação de dívidas ajuizadas até 3ª
O programa de refinanciamento de dívidas da Prefeitura de Campo Grande foi prorrogado até o dia 19 de dezembro, a próxima terça-feira, no Centro de C...


Uma outra coisa importante a se analisar não é só a burocracia em autorizar o corte, mas a inobservância das pessoas em fazer a calçada cobrindo toda a raiz da planta, é importante que fique pelo menos um metro de terra para a raiz respirar, senão isso vai continuar acontecendo, a falta de inteligência em encher de concreto as raízes é que causa problemas, depois ao retirar a árvore velha planta uma nova muda, ninguém merece passar tanto calor por falta e árvores na cidade.
 
Oswaldo Ferreira em 03/03/2014 16:36:21
Campo Grande tá uma verdadeira vergonha. Não pode cair uma chuvinha que tudo desmorona ou cai. Porque querem conservar essas árvores velhas, todas comidas de cupim? Não me venham dizer que é porque são árvores centenárias. O que se quer conservar, se cuida. Deixam essas árvores lá, correndo o risco de cair em cima do patrimônio das pessoas, correndo o risco de matar alguém e não dão manutenção. São árvores velhas e devem ser eliminadas. Que plantem uma muda nova no lugar dessas árvores que estão corroídas de cupim, já que não tem mais jeito, que não tem como cuidar. Se não cuidam nem do que precisam, quem dirá de árvores velhas.
 
Mariana Carvalho em 03/03/2014 12:24:36
O correto seria a prefeitura indenizar quem perde com a queda das arvores, sejam donos de veículos danificados, casas destruidas e até mesmo calçada arrebentada, a maioria das árvores que caem em Campo Grande já teve solicitação de retirada pelos proprietarios e a prefeitura se nega a retirar ou enche o cidadão de burocracia, alguem tem que se responsabilizar pela irresponsabilidade da prefeitura de Campo Grande,.
 
maximiliano rodrigo antonio nahas em 03/03/2014 12:16:52
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions