ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, DOMINGO  17    CAMPO GRANDE 22º

Capital

Recém reformado, terminal acumula furtos desde chaves até tampa de bueiro

Guarda Civil afirma que não há efetivo durante fechamento dos terminais pois as equipes atendem o toque de recolher.

Por Mirian Machado e Bruna Marques | 14/01/2021 13:26
Até tampas de caixas de esgoto foram furtadas de terminal (Foto: Henrique Kawaminami)
Até tampas de caixas de esgoto foram furtadas de terminal (Foto: Henrique Kawaminami)

Recém reformado, o Terminal Bandeirantes acumula três furtos só neste mês de janeiro, isso porque o mês nem terminou. Bandidos levaram torneiras dos bebedouros e tampas das caixas de esgoto. As câmeras de segurança do local foram retiradas durante a reforma e ainda não foram recolocadas, por isso não há flagrantes das situações.

Segundo informações de um funcionário que não quis se identificar, no dia 6 deste mês as quatro torneiras do bebedouro foram arrancadas e levadas pelos bandidos, 5 dias depois cortaram a fiação da catraca, porém o alarme foi disparado e os bandidos acabaram não levando nada. Um dia depois, nem mesmo as tampas das caixas de esgoto foram poupadas. Os suspeitos levaram quatro.

Ainda segundo o funcionário, nos buracos onde foram retiradas as tampas, as próprias pessoas que trabalham lá colocaram sinalizadores para evitar que alguém caia ou se machuque no local. Já nos bebedouros, uma torneira foi colocada improvisada, mas não é suficiente.

“A noite e madrugada não fica nenhum guarda municipal aqui. Não é patrimônio público? Então tem que ter guarda”, reclama o funcionário, afirmando ainda que no local água e banheiro são essenciais, já que não é todo mundo que tem R$ 2 para comprar uma garrafinha de água.

No fim desta manhã (14) a reportagem ainda flagrou uma equipe da Guarda Civil Municipal no local, mas a situação mais problemática ocorre durante o período noturno e na madrugada, conforme a diarista de 36 anos Gislaine Macabeu da Silva. Ela mora no Bairro Tijuca e Sempre que precisa utilizar o transporte publico passa pelo terminal Bandeirantes.

À reportagem ela lamentou a falta das torneiras nos bebedouros  e conta que apenas um equipamento no local onde tem muita movimentação de pessoas acaba sendo falta de higiene.

Gislaine afirma que até um vigilante resolveria problema (Foto: Henrique Kawaminami)
Gislaine afirma que até um vigilante resolveria problema (Foto: Henrique Kawaminami)

"Tinha que ter mais fiscalização, um posto policial próximo. A cidade tem tantos guardas civis e quando a gente precisa não tem um. Até mesmo um vigilante noturno já resolveria o problema”, explica Gislaine da Silva.

A autônoma Graziele Ortiz da Silva de 35 anos vende salgados no terminal há três anos. Ela que mora no Bairro Rouxinóis, passa 6 horas do dia ali. Ela explica que tem medo porque chega ao local as 5h e não tem segurança.

Graziele afirma que sente medo quando chega as 5h para trabalhar (Foto: Henrique Kawaminami)
Graziele afirma que sente medo quando chega as 5h para trabalhar (Foto: Henrique Kawaminami)

“É muito triste. Tinham acabado de reformar tudo, com torneiras novas e quando a gente chega se depara com isso”, conta, explicando ainda que uma torneira só não ajuda já que tem gente que não tem higiene e ainda encostam a boca na torneira.

A situação não se resume apenas no Bandeirantes. O terminal Aero Rancho, por exemplo, também vem sendo alvo de ladrões e vândalos. Na madrugada desta quinta-feira, suspeitos entraram e levaram o compressor do ar condicionado que fica na cabine 3.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade
Campo Grande News - Conteúdo de Verdade







Em outras ocasiões, levaram a chave do banheiro dos funcionários que ficava na cabine 1, além da chave da sala de descanso dos atendentes. A lanchonete do terminal está fechada há 4 meses, mas também já foi furtada várias vezes segundo funcionários.

A guarita já foi quebrada e pertences pessoais dos funcionários levados, ventiladores, chaves reservas, arrombaram vidro de uma sala.

Uma pessoa que trabalha no local e também não quis se identificar, informou que o problema maior é realmente á noite. “Eu acho que no período noturno deveriam deixar guardas para evitar que isso aconteça, porque durante o dia nós ficamos aqui e isso inibe os vândalos”, afirma.

Em nota, a Guarda Civil Municipal informou que a segurança nos terminais é feita em horários de pico pela manhã, almoço e das 17h às 19h. Depois desse horário, no fechamento não há efetivo para fazer o atendimento já que as equipes estão relocadas para atender ao toque de recolher.

Ainda segundo a Guarda, como não há guarita para alojamento adequado de guardas não é possível deixar um por 24 horas. A guarita seria de responsabilidade da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito).

Equipe da Guarda Municipal durante o fim da manhã no terminal Bandeirantes (Foto: Henrique Kawaminami)
Equipe da Guarda Municipal durante o fim da manhã no terminal Bandeirantes (Foto: Henrique Kawaminami)


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário