A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 24 de Janeiro de 2018

31/10/2011 10:29

Relatório do Cimi aponta 250 indígenas mortos em MS nos últimos 8 anos

Fabiano Arruda

Mato Grosso do Sul concentra 55% dos assassinatos no País no período, aponta publicação

Estado concentra 31 acampamentos indígenas, o maior número em todo País, diz conselho. (Foto: João Garrigó)Estado concentra 31 acampamentos indígenas, o maior número em todo País, diz conselho. (Foto: João Garrigó)

Pelo menos 250 indígenas foram mortos em Mato Grosso do Sul nos últimos oito anos, segundo Relatório Específico de Violência contra os Povos Indígenas que será lançado pelo Cimi (Conselho Indigenista Missionário) nesta segunda-feira, às 14h30, na Cúria Metropolitana de Campo Grande.

A publicação revela que Mato Grosso do Sul concentrou 55% dos casos de assassinatos de indígenas no País nos últimos oito anos.

Em 2008 foram 70%; em 2010, 57% e nos primeiros nove meses deste ano, 27 indígenas foram assassinados dos 38 ocorridos no País, o que representa 71% da totalidade.

Conforme o relatório, neste período, foram registrados aproximadamente 190 tentativas de assassinatos, 176 suicídios e mais de 70 conflitos por terras.

O Estado concentra 31 acampamentos indígenas, o maior número em todo País, aponta o conselho. “São mais de 1200 famílias vivendo em condições subumanas à beira de rodovias ou sitiados em fazendas”, diz o órgão.

Produzido e publicado pelo Cimi, o relatório aprofunda, por meio de artigos especializados, as causas, consequências e caminhos para uma das realidades indígenas mais violentas do mundo, conforme palavras da vice-procuradora geral da República, Deborah Duprat, em artigo reproduzido.

Capital já tem 60,02% do eleitorado com cadastro biométrico realizado
Dos 606.409 eleitores atuais de Campo Grande, 363.991 já compareceram a um dos postos de atendimentos da Justiça Eleitoral e realizam o cadastro biom...
Campo Grande recebe em maio workshop sobre emergências e desastres
Campo Grande sediará em maio o 1º Workshop Internacional de Emergências e Desastres, evento que será realizado na Uniderp, em parceria com o Centro A...


Sou indígena da etnia kaiowá, parabeniza o cimi e outras entidades que apoiam as causas indígenas, mas acredito que os indígenas estãos se organizando melhor hoje, só não queremos a matança indígenas, pois ela já acontece em outras formas, se o indígenas vingarem, pode usar sua sabedoria diante o ritual e a destruição será em massa.
 
Aurélio de Oliveira em 24/01/2012 03:56:08
sou indigena e espero que no ano que vem isso tudo venha a mudar pois tenho certeza nessas eleiçoes para vereadores da capital vamos eleger um candidato indigena e assim adiquerir o nosso respeito e a nossa dignidade perante a sociedade
 
EDY CARLOS SILVA DE SOUZA em 02/11/2011 11:42:42
Resposta ao sr. Paulo Hector
Caro sr. tenho acompanhado a publicação do relatório do Cimi. E pelo seu comentário acredito que vc nunca teve um em mãos. Não seja por isso, basta acessar o sitio www.cimi.org.br que lá encontrará.
Digo isso, porque o relatório traz justamente os casos frutos da violência interna, inclusive relatando o histórico de caso a caso. O que comprava os tipos de violência.
 
Henry Arrais Facchinni em 01/11/2011 12:59:45
Parabéns ao Cimi pela publicação em que pese as tristes informações contidas no material.
O problemas contidos no material refletem uma sociedade que ainda alimenta falsas compreensões sobre a realidade indígena e muito preconceito. Mas o importante é saber que ainda existem poucos que acreditam num futuro de paz e justiça. Importante também perceber que os índios estão cada vez mais organizados.
 
Dilson Bragantino em 01/11/2011 05:31:11
Já as violência interna nos territórios indígenas tem como causa principal, a não demarcação das terras tradicionais.
Ao mesmo tempo o MS tem a maior quantidade indígenas assassinados devido a luta pela terra.
Mas acho que isso o sr. não compreende.
 
Henry Arrais Facchinni em 01/11/2011 01:10:48
Afirmar que 250 indígenas foram mortos em MS. Não quer dizer muito, pois há a desavença entre eles que causa muitas mortes. Agora afirmar que todos eles foram assinados por brancos aí já há uma diferença. Mas considerando que é o total de mortes, somados todas as condições de contendas; Nestas condições geraria uma situação de intervenção no sistema de educação indígenas, para que diminua os morto
 
luís eloy alves da costa em 31/10/2011 11:48:40
pra que se fantasiarem desse jeito....tomem tento.....saiam do mundo da fantasia.....
a realidade é outra ....PRESTEM ATENÇÃO!!!!!
SERÁ O BENEDITO QUE NÃO TEM UM LIDER INDIGINA QUE NÃO É COMPROMISSADO POLITICAMENTE.....VENDIDO....
JA NÃO AGUENTO MAIS ESSA ENGANAÇÃO.....E ESSES INDIGENAS AINDAM ACREDITAM EM SACI PERERÊ......
 
GILMAR CANDIDO em 31/10/2011 11:23:46
em vez de ficarem com apitos e dancinhas de bate-pau, esse meu povo deveria cobrar dos politicos educação, isso mesmo escolas, estudos,isso ningué tira deles.....porque o que politicos querem é ver eles cada vez mais burros, para serem massa de manobra....eita povo que não enxerga um naco na ponta do nariz.......querem terra más não sabem administrar....se vendem muito facil....
 
GILMAR CANDIDO em 31/10/2011 11:20:07
As comunidades indígenas em Ms estão entregues à cultura do ócio, graças ao assistencialismo e falta de apoio ao preparo do índio para o trabalho. a Funai entende que, trabalhando junto á comunidade maior, o índio perderia sua cultura. Como ouvi de uma índia: que cultura? Da droga, da cachaça e vagabundagem? Essa mortandade se deve ao ócio e alcoolismo, pois o ócio é o caldeirão do diabo.
 
Valfrido m. Chaves em 31/10/2011 11:03:16
A igreja católica se preocupa tanto com os índios que, em Eldorado a igreja tinha uma fazenda onde moravam os padres e onde era e é até hoje a Aldeia Serrito. Os Padres saíram, mas a lide está no STF e a Igreja tem certeza que terá a Fazenda de volta. Eles estão preocupados com os índios??? Só lembrando que na promulgação da Constituição de 1988 os índios lá já habitavam, direito garantido a eles.
 
Rosemere Beatriz Lázari Boszcovski em 31/10/2011 03:44:03
Gente estúpida que acha que todo cabeleireiro é homossexual, todo negro delinquente, vive bajulando poderosos, dando carteirada por aí, vivendo de favor e esmola alheia. São os filhos desses que ateiam fogo em índios, estupram empregadas domésticas, mas domingo vão à missa e de vez em quando no terreiro. Gente que não se enxerga. Burros, hipócritas e ignorantes, isso que vocês são!
 
João de Souza em 31/10/2011 01:30:42
Mais uma vez o CIMI escamoteia a verdade. Quem matou esses índios? O CIMI não faz questão de divulgar porque a grande maioria dos autores dos assassinatos de índios é formada por índios. Mas isso não interessa ao CIMI, esse grupo patrocinados pela empresa apenas para causar tumulto. É o que sobrou do braço da Igreja Católica na tentativa de controlar os índios, iniciada com os jesuítas, há 500 ano
 
Paulo Hector em 31/10/2011 01:06:44
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions