A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 20 de Setembro de 2018

30/07/2018 11:34

Resgatados de “tribunal do crime”, irmãos são presos por vários furtos

Conforme a polícia, os irmãos agiam no período da noite, quando não tinha ninguém nos imóveis. Eles usavam pé de cabra e alavanca para arrombar cadeados, portas e janelas

Viviane Oliveira e Geisy Garnes
Irmãos no dia que foram resgatados pela polícia (Foto: divulgação) Irmãos no dia que foram resgatados pela polícia (Foto: divulgação)

Os irmãos Daniel Honório de Oliveira, 23 anos, e Danilo Honório de Oliveira, 26 anos, resgatados do “tribunal do crime” do PCC (Primeiro Comando da Capital) na última sexta-feira, (27) foram presos preventivamente por cometerem pelo menos seis furtos a casas e comércios no Bairro Nova Lima, região norte de Campo Grande.

Segundo o delegado Sérgio Luiz Duarte, da 2ª Delegacia de Polícia, os dois eram investigados pelo GOI (Grupo de Operações e Investigações). Eles moram no bairro e teriam praticado ao menos três furtos juntos. Os outros três crimes foram cometidos apenas por Daniel.

Conforme a polícia, os irmãos agiam no período da noite, quando não tinha ninguém no local e usavam pé de cabra para arrombar cadeados, portas e janelas. Eles furtavam dinheiro e eletrodomésticos de fácil trasporte - objetos usados para trocar por drogas.

Resgate - Os irmãos foram resgatados na favela do Morro do Mandela, que fica na região do Bairro Morada do Sossego. Questionados, Daniel e Danilo relataram aos policiais que eram julgados porque cometeram roubos na região. Eles seriam condenados à morte. 

Na ocasião, quatro homens que faziam o julgamento - torturando os irmãos - foram presos. Segundo a polícia, muitas vezes, o julgamento realizado pelo “disciplina” do grupo não ocorre apenas contra integrantes de fação rival, mas dentro do próprio grupo quando um dos membros "sai da linha".

Os irmãos estão em uma das celas da 2ª Delegacia de Polícia, mas devem ser transferidos para o presídio. Lá, devem ficar em celas separadas para evitar contato com os membros do PCC. Esses julgamentos realizados para avaliar condutas de membros da facção ou de rivais são ilegais. “Só o Estado tem a função de punir com prisão. Não se pode admitir vingança”, explica o delegado Sérgio. Daniel e Danilo tem várias passagens pela polícia e responde a processos por furto e roubo. Assista, abaixo, imagem de câmera de segurança que mostra um dos irmãos furtando.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions