ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, DOMINGO  25    CAMPO GRANDE 22º

Capital

Sem ambulância, idosa de 90 anos espera há 24 horas tranferência para hospital

Aposentada precisou ser entubada e família diz que quadro clínico só se agrava

Clayton Neves | 12/03/2021 09:24
Segundo Janaína, neta de dona Iracema, a idosa está com infecção provocada por uma escarea. (Foto: Direto das Ruas)
Segundo Janaína, neta de dona Iracema, a idosa está com infecção provocada por uma escarea. (Foto: Direto das Ruas)

Com vaga garantida na Santa Casa desde a manhã de ontem (11), a aposentada Iracema Paim Duarte, de 90 anos, segue internada na UPA Coronel Antonino por falta de ambulância disponível para o transporte. Segundo familiares, a paciente agora está entubada e trava batalha contra o tempo, já que o quadro clínico se agrava a cada minuto.

“Falo com o posto e eles dizem que o Samu que tem de resolver, já o Samu fala que o posto tem que regular. É um jogo de empurra. Enquanto isso, minha vozinha está sofrendo sem os cuidados necessários que tem no hospital e com o quadro que só se agrava”, conta a motorista Janaína Paim, de 36 anos, neta da paciente.

Segundo a neta, dona Iracema veio de Aquidauana na última terça-feira (9) depois de ser diagnosticada com infecção em uma ferida nas costas. No dia seguinte, já com o quadro piorando, equipe médica decidiu pedir transferência da aposentada para a Santa Casa.

O leito no hospital foi disponibilizado às 9 horas de ontem (11), no entanto, desde então a família não conseguiu ambulância para a transferência. “A gente não sabe mais o que fazer”, desabafa a neta.

Em nota, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) informou que a previsão é de que dona Iracema seja transferida ainda na manhã de hoje. “Até o momento todas as viaturas em operação estavam sendo empregadas  nos atendimentos pré-hospitalar de urgência, como acidentes de trânsito, emergências clínicas, entre outros”, explicou.

Segundo o Município, por causa do “transporte periódico de pacientes com suspeita de Covid-19 e outras patologias em maior gravidade, as ambulâncias precisam constantemente passar por processo de sanitização e higienização entre os atendimentos”.

No caso da idosa, a Sesau informou que ela está estável e recebendo toda  assistência possível dentro da unidade de saúde.

Nos siga no Google Notícias