ACOMPANHE-NOS    
JULHO, QUINTA  29    CAMPO GRANDE 10º

Capital

Sem ambulância, idosa de 90 anos espera há 24 horas tranferência para hospital

Aposentada precisou ser entubada e família diz que quadro clínico só se agrava

Por Clayton Neves | 12/03/2021 09:24
Segundo Janaína, neta de dona Iracema, a idosa está com infecção provocada por uma escarea. (Foto: Direto das Ruas)
Segundo Janaína, neta de dona Iracema, a idosa está com infecção provocada por uma escarea. (Foto: Direto das Ruas)

Com vaga garantida na Santa Casa desde a manhã de ontem (11), a aposentada Iracema Paim Duarte, de 90 anos, segue internada na UPA Coronel Antonino por falta de ambulância disponível para o transporte. Segundo familiares, a paciente agora está entubada e trava batalha contra o tempo, já que o quadro clínico se agrava a cada minuto.

“Falo com o posto e eles dizem que o Samu que tem de resolver, já o Samu fala que o posto tem que regular. É um jogo de empurra. Enquanto isso, minha vozinha está sofrendo sem os cuidados necessários que tem no hospital e com o quadro que só se agrava”, conta a motorista Janaína Paim, de 36 anos, neta da paciente.

Segundo a neta, dona Iracema veio de Aquidauana na última terça-feira (9) depois de ser diagnosticada com infecção em uma ferida nas costas. No dia seguinte, já com o quadro piorando, equipe médica decidiu pedir transferência da aposentada para a Santa Casa.

O leito no hospital foi disponibilizado às 9 horas de ontem (11), no entanto, desde então a família não conseguiu ambulância para a transferência. “A gente não sabe mais o que fazer”, desabafa a neta.

Em nota, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) informou que a previsão é de que dona Iracema seja transferida ainda na manhã de hoje. “Até o momento todas as viaturas em operação estavam sendo empregadas  nos atendimentos pré-hospitalar de urgência, como acidentes de trânsito, emergências clínicas, entre outros”, explicou.

Segundo o Município, por causa do “transporte periódico de pacientes com suspeita de Covid-19 e outras patologias em maior gravidade, as ambulâncias precisam constantemente passar por processo de sanitização e higienização entre os atendimentos”.

No caso da idosa, a Sesau informou que ela está estável e recebendo toda  assistência possível dentro da unidade de saúde.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário