A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

06/05/2011 18:47

Sem som alto e bagunça, feira volta a ser “bem vista” por moradores

Paula Vitorino

Feira do Jardim Petropólis estava acabando por conta das bagunças

24 militares fazem ronda no local. (Fotos: João Garrigó)24 militares fazem ronda no local. (Fotos: João Garrigó)

Há três semanas, a feira do Jardim Petrópolis está tentando voltar a ser a “feirinha do bairro”, onde os moradores podem ir, com tranquilidade, comprar verduras, frutas e apreciar pratos típicos. Durante meses, os feirantes e vizinhos sofreram com a ação de “baderneiros” no local, o que quase acabou com a feira.

O sossego está retornando à região com blitzes ostensivas da Polícia Militar na quinta-feira, dia em que os feirantes expõe seus produtos. O trabalho é realizado há três semanas e conta com cerca de 24 policiais.

A reivindicação de mais policiamento era antiga dos moradores, que já estavam organizando abaixo-assinado para retirar a feira do local, na tentativa de afastar também a bagunça.

“Era terrível, ninguém podia vir à feira. A mulecada fechava a avenida, na entrada da feira, e fazia disputa de som. Ninguém conseguia passar pela rua, rolava de tudo aí”, afirma o morador do condomínio em frente a feira, Gilberto Gomes de Souza, de 31 anos.

Ele registrou como era a situação no local e denunciou ao Campo Grande News. A Avenida Murilo Rolim Junior, no cruzamento com a Rua Esmeralda – onde são montadas as bancas – ficava praticamente interditada.

O local é cercado por um condomínio residencial, uma Escola Municipal e diversas residências.

De acordo com a PM, era constante a venda e o consumo de drogas e álcool no , inclusive por menores de idade, além de pessoas armadas.

“Era só bagunça. As famílias não podiam vir, trazer as crianças porque tinham medo. Era constante ver gente usando droga aqui. Agora você já vê que está melhorando, mas precisa da polícia toda semana aqui pra não voltar como era antes”, diz o morador Herman Junior Parizotto, de 45 anos.

A tenente Fabrícia Flores conta que até uma menina de 4 anos parou os militares para agradecer por finalmente poder conhecer a feira, pois os pais nunca a tinham deixado ir.

Feira - A bagunça e as práticas ilegais no local afastavam não só os clientes, mas também muitos feirantes. Eles fechavam suas barracas mais cedos, logo que o som começava - por volta das 20h30.

Feirantes esperam que público volte a frequentar feira. Feirantes esperam que público volte a frequentar feira.

A dona de uma barraca de sobá Amélia Oyadomari afirma que há cerca de 4 meses a feira estava acabando. “Não vinha mais famílias, a nossa clientela mesmo não estava vindo. Aparecia só o pessoal que faz bagunça”, conta. Ela está no local há 24 anos, desde quando tudo começou.

Sua vizinha de barraca, Eliana Pacheco, de 36 anos, vendedora frutas, lembra que a bagunça no bairro era associada aos feirantes e quase provocou a perda do espaço de venda.

“Incomodava os moradores e a gente também. Mas o pessoal achava que era culpa nossa, mas quem vinha aqui pra fazer bagunça não tinha nada a vê com a gente. Agora vai fica bom pra todo mundo”, diz.

A feirante Regina Couto, de 39 anos, relata que agora além de vender os espetinhos no local, também está fazendo a propaganda do retorno da tranquilidade na feira. O problema, para ela, era especifico do Jardim Petrópolis e não acontecia em feiras de outros bairros.

“Eu faço feiras em outros bairros e às vezes convidava as pessoas pra vir até a do Petrópolis, mas as pessoas falavam: Ah, lá é bagunça. O público acabava não vindo por medo”, diz.

Ela lembra que os carros com som altos fechavam a entrada dos feirantes e até ocorrências de furtos já foram registradas no local. “Ficavam dançando em frente dos nossos carros e a gente não podia nem sair. Cliente já reclamou de que bateram a carteira dele no meio da feira”, diz.

Os feirantes esperam que o sossego na feira atraia novos clientes da região e, com isso, aumente as vendas. “Pessoas que antes não vinham, agora já estão começando a vir. Podem fazer suas comprar normalmente”, diz.

A PM informou que vai continuar com o trabalho de ronda ostensiva no local. Blitzes também estão sendo feitas eram feiras de outros bairros, como o Coophavila, Buriti e Jardim Aeroporto.



Se o pessoal reclama do Petrópolis, peçam pra ir na feira do Tiradentes, na sexta a noite. Aí sim você vai ver o que é sinistro !
 
Gabriel Santos em 09/05/2011 12:19:57
Esses procediemntos deveria se estender para as conveniências e postos de combustiveis!

Quais as consequencias de vários motoristas e motoqueiros bebendo
nas altas horas em conveniencias e posto de combustiveis?
Obviamente vão sair de carros e motos bêbados!
Até quando vamos esperar acontecer uma acidente para depois remediar?
A onde está a polícia de transito?
A lei seca só funciona no papel?
Todos nós que passamos de madrugada e vemos grandes movimentações,
moças e rapazes bebendo nesses ambientes, e vemos a bagunça...
Por que a polícia não ve... e faz-se uma prevenção.
É fácil! aonde estiver uma grande bagunça... não precisa nem agir. é só ficar
parado na esquina... "como quem diz, estamos de olho, e ver como vocês vão sair daqui"
Só isso, já seria o suficiente para intimidar, quem porventura queira se exceder.

 
João Araújo em 07/05/2011 12:17:15
Obrigada pela ação policial! graças a Deus, Deus abençoe o bom trabalho, util e verdadeiro!
Eu frequentava a feirinha desde criança, mas parei quase um ano por causa da algazarra e bagunça que tinha se tornado! A feirinha sempre foi familiar, muitas dos bardeneiros eram de outros bairros!
PAZ SEMPRE!
o/
 
Angélica Emilane Oliveira em 07/05/2011 11:41:23
Obrigado a policia militar e civil pelas operações realizadas na feira do jardim Imá.... todos os moradores agradecem a volta da paz... e esperamos que a pm continue atuando na feira, para coibir os baderneiros que não respeitam as familias que moram no local. A secretaria de segurança deveria fazer o mesmo em qualquer lugar, postos de combustiveis... onde vemos grandes aglomerações de desocupados, bebendo , se drogando, se prostituindo, disputando rachas, empinando motos, e se prostituindo, alem de atrapalhar o transito no local onde se aglomeram e imcomodam as pessoas que moram na regiao... Os deputados deveriam endurecer a lei sobre pertubação do sossego, punindo os ifratores e nos casos de veiculos prendendo o som... , pq normalmente estes caras que andam com som de competição no carro , se a policia investigar vai ver que na maioria das vezes que eles estao desfilando com seus sons ligados, estão consumindo bebidas e drogas... obrigado a policia pelo serviço prestado a comunidade do Jd Imá...
 
Gilberto Gomes de Sousa em 06/05/2011 11:06:48
EU MORO PROXIMO À FEIRA, É HORRIVEL, NAO CONSIGO ASSISTIR UM PROGRAMA, PARECE QUE O SON DOS CARROS ESTÁ DENTRO DE CASA, MAS ATÉ QUE UM DIA, DEPOIS DE VÁRIAS RECLAMAÇÕES FIZERAM UMA BLITZ NO LOCAL E ACABOU COM A BARDENA QUE ERA TERRIVEL, ESPERAMOS QUE ISSO CONTINUE OU VAMOS PEDIR PARA A FEIRA MUDAR NA FRENTE DA CASA DESSES MALOQUEIROS!!!!!!!!!!!! ASSIM ELES NAO PRECISÃO SAIR DE CASA PARA FAZER ALGAZARRA.
 
rodrigo mareto em 06/05/2011 09:12:59
Gostaria muito que fizessem ronda na Vila Jacy, principalmente na Rua Estados Unidos, onde tem um bar "La barca", com mesa de sinuca na calçada e onde desocupados ficam jogando, tomando cerveja e abrem os capos dos carros e colocam som ALTO, incomoda demais, não podemos ficar na varanda de nossas casa, não conseguimos conversar. Além de tudo, fica a uma quadra da Escola Consuelo Muller.
Desejo um Ótimo Trabalho para nossa PM.
 
Marlene Zanin em 06/05/2011 07:06:47
POR FAVOR, REALIZEM O MESMO SERVIÇO EM OUTRAS FEIRAS, A DE DOMINGO NO UNIVERSITARIO ESTA PIOR QUE ESSA AI, SOM ALTO, MENORES COM BEBIDA ALCOOLICA, ATENTADO AO PUDOR, DENTRE OUTRAS, SERA QUE O PESSOAL DO 10 PODE FAZER ISSO, POR FAVOR CABO ANITA, AJUDA A GENTE.
 
jose carlos em 06/05/2011 07:02:51
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions