A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

19/06/2012 10:21

Servidor acusa supostos policiais de humilhação e abuso de autoridade

Elverson Cardozo

Sebastião Cosmo Ribeiro, de 42 anos, ainda busca uma explicação para a humilhação e a situação vexatória a que diz ter sido submetido na última semana, na região central de Campo Grande. O servidor público estadual, lotado em uma Unei (Unidade Educacional de Internação), acredita que policiais tenham abusado da autoridade.

O caso aconteceu na tarde de sexta-feira (15), por volta das 16h30. Sebastião Cosmo recebeu o Campo Grande News em casa e contou o que já comunicou à Polícia Civil no mesmo dia. Ele não conseguiu identificar se eram policiais civis ou militares.

O funcionário público disse que foi ao centro da cidade resolver problemas particulares em um cartório no próximo ao cruzamento das avenidas Afonso Pena com a Calógeras.

Ao descer de um mototáxi, em um ponto antes da avenida Calógeras, conta que por pouco não foi atropelado por uma blazer branca que seguia pela Afonso Pena.

“Quando desci da moto eu ouvi uma buzina alta, aí senti que o retrovisor do carro bateu no meu braço. A sorte é que não machucou porque era dobrável”, relatou. O motorista não parou. Situação que, para Sebastião, foi a gota d’água.

Revoltado, reagiu e atirou um capacete contra o vidro traseiro do veículo. Ao perceber, o condutor retornou, em marcha-ré, e estacionou o carro em cima da faixa de pedestre. Local onde toda a situação veio à tona. “Eles falaram que eu estava no meio da rua”, contou.

Como relatou à Polícia Civil, Sebastião também contou à reportagem que os ocupantes do veículo, que estava à paisana e aparentavam ter entre 30 e 40 anos, desceram e o humilharam.

O motorista, declarou, retirou uma arma da cintura e apontou contra a cabeça dele. Em seguida, começou a insultá-lo e a proferir ameaças. “A todo o momento ele me chamava de vagabundo, de bandido”, disse

Segundo o servidor público, o passageiro da blazer o algemou de forma violenta. “Ele apertou tanto que chegou a sangrar”, relatou. Em determinado momento, contou, um deles lhe aplicou uma gravata e disse que o levaria para um “lugarzinho”, logo após ter anunciado que ele havia “desrespeitado autoridade”.

“Eles falaram: A gente vai te levar para um lugarzinho que você vai ver”, disse. A situação só chegou ao fim porque pessoas que passavam por ali se aglomeraram no cruzamento e começaram a pedir que motorista e passageiro o soltasse.

A dupla, segundo o servidor público, não se identificou em nenhum momento. A blazer em que estavam não apresentava qualquer adesivo que indicasse ser da polícia.

Mesmo assim, Sebastião Cosmo acredita que tenha sido humilhado por policiais civis ou militares. Um dos indicativos que o leva a acreditar nessa hipótese é o uso de algemas, arma e, além disso, a linguagem utilizada pela dupla.

Outro fato que chamou a atenção do servidor e também de testemunhas foram latas de cervejas na traseira do veículo. “Para mim são bandidos. Se são policiais ou estavam bêbados ou drogados”, afirmou.

Se o motorista e o passageiro forem identificados e ficar provado que se trata de policiais, o servidor público pretende entrar com uma ação contra o Estado. “Eu como trabalhador não fiz nada de errado”, disse. “Se são policiais devem ser punidos”, completou.

Quem presenciou a situação tem medo de falar. Informações apuradas pela reportagem do Campo Grande News dão conta de que a confusão durou menos de 30 minutos e chegou a prejudicar o trânsito.

Uma mulher, que prefere não ser identificada, conta que uma viatura da PM (Polícia Militar) passou pelo local, fez menção de parar, ligou a sirena, mas foi embora.

O caso foi registrado como lesão corporal dolosa na sexta-feira (15), às 17h37, na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do centro.

Revolta – A situação revoltou o servidor público que resolveu procurar a imprensa. Sebastião Cosmo trabalha na Sejusp (Secretaria de Justiça e Segurança Pública) e atua como agente de ações sócio-educativas na Unei Dom Bosco, em Campo Grande. “Nunca encostei em nenhum adolescente infrator”, disse.

Longe do trabalho há 6 meses por depressão, Sebastião Cosmo voltaria a trabalhar na quarta-feira (20), mas agora teme que seja afastado novamente porque teve o emocional abalado. “Fiquei transtornado”, finalizou.

Investigação - O delegado titular da 1ª Delegacia de Polícia – para onde o caso será encaminhado -, Welligton de Oliveira, informou que ainda não foi comunicado da situação, mas disse que o caso será investigado assim que chegar ao seu conhecimento.

Em uma avaliação preliminar, tendo como base apenas o boletim de ocorrência, Wellington afirmou que Sebastião demorou em procurar a polícia, que poderia ter feito rondas pela região no dia em que o fato aconteceu.

Segundo o delegado, durante registro na Depac, em nenhum momento Sebastião Cosmo informou que suspeitava de policiais.



Para descobrir a placa do veículo basta que os investigadores tenham vontade. Na região central onde ocorreu o incidente deve haver câmeras na proximidade. Basta eles vasculharem.
 
Ricarto Afonso Neto em 20/06/2012 12:58:11
É isso mesmo Sebastião.
Não podemos deixar de lado agressões baratas provocadas por irresponsáveis e inconsequentes.
Você está completamente coberto, a meu ver, de razões para pedir apuração e identificação dessses atropeladores.
Sabemos muito bem quem é você, responsável, sério e prudente. Estamos com você.
 
ALCIDES LUIZ DE OLIVEIRA em 20/06/2012 12:01:36
Arivaldo Paiva, não critique o que você não presenciou, pois tenho plena certeza de que se tivesse acontecido com você, teria reagido de forma pior. Eu sou uma pessoa honesta e gosto da harmonia entre as pessoas, porém da forma que aquele "condutor" reagiu, sabendo que é proibido buzinar contra os pedestres em certos momentos, tal "condutor infligiu à Lei, lamento pelo seu comentário infeliz!!
 
Sebastião Ribeiro em 20/06/2012 09:19:52
Infelizmente uma sequência de erros que poderia facilmente ser evitada. As vezes é melhor engolir um sapo do que revidar algo. Foi quase atropelado e joga um capacete? E se essas pessoas cometessem o pior com você, teria valido a pena?

Temos que procurar sempre manter o auto controle.
 
Thiago Kalunga em 20/06/2012 09:09:40
Muito estranha essa estória.
O cidadão é "atropelado", mas não aconteceu nada de grave. Joga um objeto contra o veículo que o "atropelou", que então pára e vem tirar satisfações. Tais senhores não se dizem policiais, no entanto algemam o cidadão, a ponto de "sangrar". E então o humilha. E mesmo sem se apresentarem como policiais, fizeram uso de algemas e armas. Só que não o levou a lugar algum...
 
Jair Pereira de Carvalho em 20/06/2012 08:37:17
Sebastião Ribeiro quase atropelado e não se machucou pelo retrovisor ser dobrável,então alguém tá mentindo??? É essa atitude de atirar um capacete no vidro do carro,que gerou toda essa confusão,imagine se você estivesse armado??? Bastava anotar a placa,e não acusar uma instituição,tentando manipular a opinião pública,o pensamento é livre e nem todos concorda com você ou com a sua atitude.
 
arivaldo paiva em 20/06/2012 08:00:35
Tá se fazendo de vítima sim. Da próxima vez, anote a placa do veículo e registre um boletim como um cidadão de bem faria, e não atire o capacete no veículo, atitude reprovável do Sr. que é um "educador de menores infratores"... Agora fica dizendo que eram policiais, e com latas de cerveja na viatura. Conversa fiada. Ah, e algemas não são almofadadas, elas machucam mesmo, até os sensíveis.
 
Carlos Santos em 20/06/2012 07:50:03
Não conheço o agente Ribeiro mas sei muito bem o estado de depressão dele,por que eu trabalho com adolescentes deste tipo e só quem trabalha com este tipo de adolescentes sabe o que é isso.Bom sobre policiais atacando eu tbm sei que são capazes de tudo até de atirarem neles e matar a pessoa pra falar que foi legitima defesa,fui casada com um policial 12 anos e vi coisa que até DEUS duvida.abraços
 
marcia matilde ibrahim midon em 20/06/2012 07:41:55
Admiro o fato do senhor não ter anotado a placa do carro e denunciado, em contrapartida jogou o capacete no carro, então o descontrole já começou partindo da sua pessoa. não obstante, o fato do retorno dos supostos policiais e o uso da algema demonstra uma abordagem abusiva, mas não justifica tambem o uso da violencia no ato de se jogar um capacete no vidro traseiro do veiculo.....
 
Wilson Rodolfo Ferreira em 20/06/2012 07:24:48
Ricardo Afonso, vou deixar que a Justiça de Deus seja feita. Vou solicitar à Delegada que me atendeu na SEJUSP para que o processo seja arquivado, pois não quero mais transtornos na minha vida. Tenho a minha mãe que, infelizmente, tem o Mal de Alzheimer e que recentemente completou 84 anos, e ela necessita muito da minha atenção e cuidados. Um abraço!
 
Sebastião Cosmo Ribeiro em 20/06/2012 06:35:50
Alcides Luiz, sou muito grato a você pela compreensão e manifestação a meu favor em relação ao fato ocorrido no dia 15. Um forte abraço!
 
Sebastião Cosmo Ribeiro em 20/06/2012 05:52:36
Coorporativismo um conjunto uma associação. Indica-se por corporativistas as associações profissionais que se formam para defender os seus interesses profissionais tornando-o classes..então LOBO NÂO COME LOBO!!, e é para ter medo esse tipo de gente brinca de defender-se erradamente, prejudicando a verdadeira vitima! ou seja maus policiais deveriam ser exonerados !
 
sandra lima em 19/06/2012 12:37:21
Se estava no centro, certamente alguma camera de segurança filmou esse veiculo passar no horario do fato esses indivíduos devem ser punidos.
 
Eloy Rocha em 19/06/2012 12:22:00
1º voce mesmo se contradiz, disse que nao fez nada. FEZ SIM, VOCE ESTÁ TÃO ERRADO QUANTO OS "PROVÁVEIS" POLICIAIS, VOCE ATIROU UM CAPACETe NO PARA BRISAS, QUALQUER UM FICARIA NERVOSO COM SUA ATITUDE.
2º SE NAO FALOU NADA QUE SUSUPEITAVA DE SEREM POLICIAIS DURANTE O REGISTRO DO B.O, FICA CLARO SUAS SEGUNDAS INTENÇÕES EM ACUSAR A POLÍCIA, VOCE QUER INDENIZAÇÃO.
3º ESSA HIST. TA MAU CONTADA.
 
emerson de oliveira em 19/06/2012 12:12:47
se fossem policiais deveriam ter apresentado as identificações, agora se não eram cade a policia para fiscalizar esse tipo de motorista que anda atropelando todo mundo por ai.
 
Edson Fontoura em 19/06/2012 11:51:03
Não que eu concordo com a ação desses "supostos policiais", mas esse senhor errou também, e errou feio. Não se responde uma agressão com outra. E se fossem bandidos? E se atropelassem ou atirassem contra ele? Foi "mais ou menos assim" que até criança morreu, vítima de condutores despreparados e irresponsáveis, que além de usarem o próprio veículo como arma, usam também armas de fogo.
 
Fernando Silva em 19/06/2012 11:23:46
Ninguém anotou a placa do veiculo e a identificação da viatura que passou?? Temos que acabar com o abuso de autoridade ou entao liberar para que todo mundo ande armado.
 
Jota Junior em 19/06/2012 11:13:01
"MEIA HORA" E NÃO ANOTOU A PLACA DO VEÍCULO - NÃO ACIONOU O 190 ? ESTÁ AFASTADO HÁ 06 MESES "COM DEPRESSÃO" E AGORA NÃO SABE SE VAI VOLTAR - ESTE AGENTE EDUCADOR NÃO PASSOU POR UMA ACADEMIA PARA SABER SE DEFENDER ? - SE ELE QUE É AGENTE EDUCADOR - LIGADO EXATAMENTE À SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA - SEJUSP/MS - NÃO SABE DE DEFENDER; QUE DIRÁ DE NÓS (CIDADÃOS) SIMPLES MORTAIS? E QUE "ESTÓRIA"
 
LUIZ PAZ em 19/06/2012 10:22:56
Temos que acabar com isso,policiais tinham que defender nós e não fazer o que eles fizeram,o dialogo deveria existir naquele momento.Neste momento não sei se tenho medo de bandidos ou policiais,nem mesmo merece nosso respeito.
 
bruno carvalho em 19/06/2012 09:06:16
Oi Lilian, me senti muito honrado pelo seu comentário, sou muito grato a você por isso! Infelizmente há muitas pessoas ignorantes que costumam julgar alguém sem mesmo saber da veracidade dos fatos. Um abraço minha amiga!
 
Sebastião Ribeiro em 19/06/2012 08:47:53
Marcondes, muito obrigado pelo seu apoio! Infelizmente, um fato ocorrido vai mudando de sentido, ou seja, assim como uma estória, um fala uma coisa, outro escuta e aumenta um pouco e assim vai até chegar num ponto em que tal estória é totalmente contraditória à realidade. Um abraço meu amigo!
 
sebastião Ribeiro em 19/06/2012 08:41:39
TEM MUITA GENTE COMENTANDO O QUE NÃO VIU DAQUILO QUE NINGUÉM SABE. NESTE CAUSO VOU DAR MINHA OPINIÃO: O SEBASTIÃO REAGIU AO UM SUPOSTO ATROPELAMENTO E SE NÃO HOUVE DONOS NO VEÍCULO OS SUPOSTOS POLICIAIS NÃO DEVERIAM TER VOLTADO, E OS USUÁRIOS QUE PEDIRAM A LIBERAÇÃO DO SEBASTIÃO NA SUPOSTA OCORRÊNCIA NÃO SABIA O QUE ACONTECIA.
 
jorge ferreira em 19/06/2012 08:34:57
TODA AÇÃO TEM UMA REAÇÃO. QUEM MANDO VOCÊ JOGAR O CAPACETE NO VIDRO DO CARRO. PRA OCORRER UMA TRAGÉDIA EM UMA BRIGA DE TRÂNSITO, É DAQUI PRA LI. AGRADEÇA A DEUS POR VOCÊ ESTAR VIVO. E QUE ISSO SIRVA DE LIÇÃO PRA VOCÊ. PELO VISTO VOCÊ DEVE CONTINUAR AFASTADO, SEU EMECIONAL NÃO ESTÁ NADA BEM. JÁ PENSO SE TODA PESSOA FOR REVIDAR NA MESMA MOEDA TUDO QUE ACONTECESSE?.
 
lladilene ramos bueno em 19/06/2012 08:02:53
É... cabe ao Sr. Delegado investigar o caso, pois ele tem meios de descobrir, questionando moradores e trabalhadores nas imediações. Claro que alguém deve ter anotado a placa, mas teme por sua segurança, afinal, se forem mesmo policiais, estamos à mercê de quem nos deveria proteger e não o faz, bem como estamos diante de uma justiça despreparada, que também não nos dá proteção contra essa podridão
 
Amélia Silva em 19/06/2012 07:29:54
Presidenta Lilian Fernandes acho que não é a pessoa do funcionário que esta sendo criticada,é a atitude,ele mesmo disse na reportagem que não se machucou,pelo retrovisor ser dobrável.E incita opiniões contra instituição sem ao menos saber se é ou não??? Então respeite a instituição que são formadas por pais de família,e na maioria por pessoas honestas,e que defendem a população com a própria vida.
 
arivaldo paiva em 19/06/2012 07:01:34
Delegado Welligton de Oliveira, antes de dar um parecer preliminar de qualquer ocorrido à Imprensa, favor verificar a veracidade do mesmo. Lamento, pois o sr. disse que demorei a procurar a polícia, mas isso não é verdade, pois tenho em mãos o B.O do mesmo dia do atropelamento como também como fui atendido no IMOL para exame de corpo de delito.
 
Sebastião Ribeiro em 19/06/2012 06:47:12
Quem faz comentários ou julga é porque realmente não conhece o servidor Ribeiro... uma pessoa sensível, um profissional com conduta exemplara...agora o que não deveriam é misturar o fato do mesmo estar em afastamento, até porque é direito de todo trabalhador... acima de tudo ele é um cidadão e merece ter esclarecido o fato o qual foi vítima. Lilian Fernandes-presidente SINDSAD-MS
 
Lilian Fernandes em 19/06/2012 06:19:10
Fernando Silva, concordo com você em partes, porém a população temer a tudo que possa ocorrer imagine como serão os próximos anos, esses "motoristas" vão atropelar, dar a ré do carro e repassar em cima do cidadão inocente.
 
Sebastião Ribeiro em 19/06/2012 06:13:01
É verdade Eloy, acredito que tais elementos serão identificados e serão punidos por me torturar e humilhar, além de apontar uma arma de fogo na minha cabeça, no mínimo estavam sobre efeito de algum produto ilegal.
 
Sebastião Ribeiro em 19/06/2012 05:54:26
Sandra Lima, sou grato pelas suas palavras. Infelizmente, ainda, convivemos com servidores maus intencionados e sem condições de atender a população. Os elementos que me abordaram antes de me atropelar e tentarem fugir , deveriam ter parado o carro e verificado se ei estava ou não com algum ferimento. Simplesmente por abuso de poder me humilharam e torturam com aquelas algemas.
 
sebastião Ribeiro em 19/06/2012 05:50:27
Vendo de um angulo imparcial, creio que os dois, cada um do seu modo, erraram. Pois, primeiramente, o fato de quase ser atropelado por um carro não justifica a conduta de tacar um objeto contra o mesmo, porque existem outras medidas a serem tomadas nesse caso. E, em segundo lugar, os supostos policiais agiram iliticitamente, com excesso de poder, humilhando o Sebastião, devendo ser responsabizados.
 
Vitório Marcos Toffoli em 19/06/2012 05:47:00
Nilton Sabingr, infeliz o seu comentário. Em momento algum os dois elementos se identificaram e ainda, nós agentes de ações socioeducativas não temos a carteira funcional, apesar que não adiantaria nada, pois a viatura estava com uma grande quantidade de latas de cervejas e como era uma sexta-feira, acredito que tais elementos estavam alcoolizados.

 
Sebastião Ribeiro em 19/06/2012 05:29:59
Marco Antonio, sou grato pelas suas palavras, você sim é um bom exemplo de agente que atua com respeito tanto com os demais agentes quanto aos adolescentes que se encontram internados na Unidade em que trabalhamos para o Estado.
 
Sebastião Ribeiro em 19/06/2012 05:19:09
Claudinei braz, quem disse que eu não registrei o B.O no mesmo dia? Tanto é que do local em que fui atingido por aquele "condutor" fui direto à DEPAC central, onde fui ouvido pelo Delegado fez uma requisição para o exame de corpo de delito, pelo fato dele próprio ter constatado visivelmente os meus ferimentos. Antes de criticar alguém, se ponha no lugar da vítima.
 
Sebastião Ribeiro em 19/06/2012 05:11:22
Fernando Andrighetti, você foi infeliz em seu comentário contra a minha atitude. E se fosse um filho seu ou qualquer outro membro da sua família? Você simplesmente abaixaria a cabeça e ia embora? Caso você não tenha entendido, eu fui atropelado dolosamente por dois maus elementos. Você parece estar vivendo num mundo muito remoto. Os pedestres devem ter prioridades no trânsito, sempre.
 
Sebastião Ribeiro em 19/06/2012 04:58:25
Tambem conheço o SR. Sebastião Ribeiro e acredito fielmente em seu relato. Peço que respeitem este servidor que sempre teve uma conduta ilibada.
 
JOSE MARCONDES NANTES DE BRITES em 19/06/2012 04:32:03
Com todo o respeito Sr. Ribeiro, jogar o capacete em um veículo foi uma péssima idéia...Isso demonstra como a convivência no trânsito entre pedestres e veículos anda péssima. Foi uma resposta inoportuna e ao nosso ver agressiva, acredita mesmo que assim agindo o condutor (qualquer um) não o questionaria da mesma forma? Deve-se evitar a todo custo atitudes descorteses principalmente nas ruas.
 
Fernando Andrighetti em 19/06/2012 03:14:34
deveria ter registrado ocorrencia na hora ou ligado 190 se algema machucou teria marcas e deveria ter pedido exames como agente de segurança deveria saber disso esta com depressao sei nao
 
claudinei braz em 19/06/2012 03:04:28
Conheço o seu Sebastiao ( Ribeiro ) como é conhecido, é um homem de reputaçao inquestionavel, e realmente esta com serios problemas de saude, durante 7 anos que eu o conheço nunca vi se quer ele levantar a voz com alguem,se tomou alguma atitude errada foi por que a circunstancia o provocou por isso eu pesso a todos que estao comentandos nao façan juizo precipitado para nao falar besteira.
 
Marco Antonio de Oliveira em 19/06/2012 02:32:41
trinta minutos da para voce ir daqui a sidrolandia tranquilo e esse cidadao nao lembrou de anotar a placa do veiculo e como o mesmo pertence a um orgao publico de segurança publica a unei nao pdiu para esses supostos policias identificar-se mostrando a funcional do estado
 
nilton sabinojr em 19/06/2012 02:01:37
Tem algo ai que nao bate. Tanta gente ninguem anotou a placa? Atirar um capacete contra o carro é perigoso tambem. Carro sem caracterização, até pode ser mais sem placa?.Longe do trabalho há 6 meses por depressão, Sebastião Cosmo voltaria a trabalhar na quarta-feira (20), mas agora teme que seja afastado novamente porque teve o emocional abalado. “Fiquei transtornado”, finalizou. Sr + 6 resolve??
 
alex souza em 19/06/2012 01:48:38
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions