A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

14/04/2011 09:59

Servidores protestam contra projeto que acaba com concursos no HU

Vivianne Nunes e Ítalo Milhomen
Grupo de servidores se encontrou na manhã de hoje em frente a UFMS (Foto: João Garrigó)Grupo de servidores se encontrou na manhã de hoje em frente a UFMS (Foto: João Garrigó)

Um pequeno grupo de servidores públicos federais da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) protesta na manhã de hoje, contra a MP 520, (Medida Provisória) em tramitação no Congresso que permite a criação da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares.

A estatal deverá reunir todos os hospitais universitários do País. A reclamação da categoria faz referência ao fato de que todos os servidores a serem contratados serão celetistas, ou seja, não haverá concurso público. Desta maneira, os trabalhadores não teriam o mesmo vínculo que tem um servidor público federal.

Para o presidente do Sista (Sindicato dos Trabalhadores das Instituições Federais de Ensino de Mato Grosso do Sul), Lucivaldo Alves dos Santos, isso pode causar a precariedade dos serviços. Ele questiona também o fato de haver dinheiro para investir nos Hospitais Universitários mas não para abrir concurso e contratar servidores para o HU.

O Hospital Universitário da UFMS tem um quadro com 900 servidores e pela estimativa da administração, precisaria de pelo menos mais 400 para se ter um atendimento de qualidade. Os serviços de secretariado e limpeza são terceirizados e uma das dúvidas da categoria é sobre o que será dos funcionários atuais. “Vão ser funcionários de uma empresa estatal, mas não serão servidores públicos federais, vão ganhar salários baixos em relação aos demais e isso pode causar a precariedade do atendimento”, questionou.

Outro ponto a ser discutido é com relação ao vínculo na pesquisa e extensão. De acordo com o sindicalista a questão do ensino com a atuação dos estagiários continua mas não haverá a obrigatoriedade dos médicos em fazer pesquisa e projetos de extensão.

A intenção do manifesto de hoje era paralisar as atividades mas apenas cerca de 30 dos dois mil servidores dos onze campus da Federal participaram do protesto em Campo Grande. O movimento acompanha uma paralisação nacional promovida pela Fasubra (Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores Técnico Administrativos da Educação), que estão em reunião hoje com a ministra do planejamento Mirian Belchior. Caso não haja acordo, há indicativo de greve para o próximo dia 25.

Homem de 30 anos é esfaqueado e fica em estado grave
Bartolomeu Gomes de Araújo Barbosa, 30 anos, ficou gravemente ferido após ser atingido a golpes de faca no abdômen, na noite de ontem (12), na Rua Bo...
Após documento vazar, Sesau diz que hemogramas não foram suspensos
A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) afirmou que os hemogramas continuam sendo feitos na rede pública de saúde de Campo Grande. A informação inici...


É CERTO QUE TEM QUE MUDAR AS REGRAS ATUAIS, SERVIDORES PUBLICOS HAVERÃO DE SER ADMITIDOS COM CONCURSO SIM, MAS A DEMISSÃO DEVE SER IGUAL AOS DEMAIS TRABALHADORES, NÃO É POSSÍVEL VOCE VER O QUE ACONTECE COM OS SERVIDORES PUBLICOS DE UMA MANEIRA GERAL.
INFELIZMENTE QUEM TOCA A MÁQUINA PÚBLICA, PRINCIPALMENTE EM PREFEITURAS, NÃO SÃO OS CONCURSADOS, MAS SIM OS COMISSIONADOS, OS CONCURSADOS SÓ ENROLAM.
E AI QUEM PERDE É A POPULAÇÃO COM ESTE VERDADEIRO CABIDE DE EMPREGO, PARA GENTE INCOMPETENTE. UMA PENA.
TEM QUE MUDAR AS REGRAS.
 
Pedro de Souza em 15/04/2011 07:52:07
quanto aos funcionários do hu deveria haver era uma fiscalização bem rigorosa,tem funcionarios demais,outros trabalham ou seja ficam lá por horas em demasia,só para rechear o holerith trabalho mesmo é só enrolação deveria haver sim uma moralização urgentemente porque quem paga por isso é o paciente
 
sebastião paulo pereira em 14/04/2011 10:28:30
É DIFICIL A SITUAÇÃO, SE NÃO PRESTA CONCURSO É APADRINHADO, SE FAZ CONCURSO E PASSA SE ENCOSTA PORQUE NÃO PODE SER DEMITIDO, TINHA QUE MUDAR A LEI DOS CONCURSADOS E COLOCA-LOS COMO FUNCIONARIOS NORMAIS, PISOU NA BOLA É RUA SEM DISCUSSÃO, PORQUE NÃO É JUSTO O CONCURSADO TER PRIVILEGIOS COMO ENTRAR EM GREVE SEM PERIODO DETERMINADO E NÃO PODER SER MANDADO EMBORA....TRISTE
 
MAXIMILIANO NAHAS em 14/04/2011 05:33:22
Esse é o nosso Brasil,enquando muitos estudam para fazer um concurso,outras esperam sentados pois tem vagas garantida,por algum conhecido.Dinheiro para o bolso dos políticos corruptos tem né!porque que para envestir em educação,saúde não tem??
 
Nathalia dos santos soares em 14/04/2011 04:46:54
O Estado arrecada muitos impostos Dessa forma, tem que devolver pelos menos em forma de empregos, pois já que não devolve em forma de educação, saúde, bons salários etc.
O Brasil está com uma legião de jovens e "velhos" sem oportunidade no mercado de trabalho. O que está acontecendo são pessoas sendo contratadas pelos orgãos públicos sem qualquer forma de avaliação ou concurso. Aquele que é competente, porém não tem conchavos, está indo ao desespero. Espero que esta situação mude o mais rápido possível, e que valorizem a competência e a honestidade(princípios basilares da administração pública).
 
edson f. chaves em 14/04/2011 02:50:49
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions