A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

03/07/2013 09:49

Sindicato diz que em MS não falta médico e sim estrutura de atendimento

Aliny Mary Dias e Luciana Brazil
Durante coletiva, Luis Henrique lamentou a falta de estrutura. (Fotos:João Garrigó)Durante coletiva, Luis Henrique lamentou a falta de estrutura. (Fotos:João Garrigó)

Uma comissão de médicos irá entregar nesta terça-feira (3) ao Governo, Prefeitura da Capital e MPF-MS (Ministério Público Federal) um relatório da situação da saúde no Estado com propostas de melhorias para o setor e também criticas a contratação de médicos estrangeiros. Segundo o Sinmed (Sindicato dos Médicos de Mato Grosso do Sul), um protesto está programado para ocorrer em frente ao MPF ainda hoje.

Alguns dados do relatório foram apresentados na manhã de hoje durante coletiva de imprensa e a conclusão é de que não adianta aumentar o número de profissionais, se não houver investimento em estrutura.

Segundo o presidente da Associação Médica do Estado, Fabio Magalhães, a vinda de médicos estrangeiros anunciada pela presidente Dilma Rousseff pode agravar problemas crônicos, caso a prova que atesta a capacidade dos profissionais não seja realizada.

“Existem médicos brasileiros que se formam no estrangeiro, mas passam por prova para assegurar a capacidade. Não somos contra os médicos virem, o problema é vir sem fazer a prova”, afirma o presidente.

Conforme o último levantamento feito pelo CRM (Conselho Regional de Medicina) em fevereiro, o Brasil possuia 7,2 mil médicos formados no exterior, o número representa 1,87% de todos os profissionais do país. Do número de estrangeiros, 65% deles são brasileiros e outros 35% são estrangeiros.

No Brasil, os estrangeiros que mais atuam são formados na Bolívia (13%), Peru (6%), Colômbia (3,8%) e Cuba (3,1%). Em Mato Grosso do Sul o maior número de médicos é da Bolívia. Os dados apontam ainda que existem 20 mil brasileiros estudando fora do país. 

 

A categoria fará uma manifestação em frente ao MPF. A categoria fará uma manifestação em frente ao MPF.

“Não falta médico, o que falta é estrutura e condições de trabalho”, afirma o presidente do CRM-MS, Luís Henrique Mascarenhas.

Segundo o presidente do CRM-MS, muitos médicos se recusam ir para cidades do interior pela falta de estrutura. “Os médicos estão concentrados nas grandes cidades porque falta estrutura, os salários são baixos e as condições de salário não são boas. Ninguém quer ir para lá”, afirma Mascarenhas.

A revolta da categoria também é pela não aplicação da prova chamada de Revalida, que atesta a capacidade dos profissionais formados no exterior. A prova possui uma etapa teórica e outra prática e atualmente a média de aprovação é de 9,5%, número considerado baixo pelo CRM.

Proporção - Ainda de acordo com o levantamento, existem 388 mil médicos no país, 4,2 mil em Mato Grosso do Sul e 2,5 mil em Campo Grande.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) exige que exista 1 médico para cada 1 mil habitantes e os números no país são satisfatórios. O Brasil possui 2 médicos para cada 1 mil habitantes, em Mato Grosso do Sul o número chega a 1,69 e na Capital a proporção é de 3,1 profissionais.

Prefeitura e Sebrae fazem estudo em lojas para revitalizar rua 14 de Julho
A prefeitura de Campo Grande a o Sebrae de Mato Grosso do Sul estão realizando na rua 14 de Julho, Centro da cidade, um estudo técnico em 230 lojas, ...
Mau atendimento e buracos em pista atrapalham alunos em prova do Detran
O mau atendimento prestado por alguns dos examinadores e buracos presentes na pista de provas do Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito de Mato...


Perfeita sua colocação Luiz Wagner,entendo,aceito e partilho,porém não devemos politizar a questão e crer na obscuridade dessa iniciativa,pois o PSDB quando José Serra era Ministro da Saúde também falou em trazer médicos do exterior e ninguém falou nada a respeito,porém creio que deva se agregar e buscar uma unidade para resolver a demanda de falta de profissionais existentes,agora quanto aos prefeitos que ficam devendo aos médicos e tantos outros setores de suas prefeituras deveriam ser presos esses caloteiros,infelizmente no Brasil as manifestações só ocorrem quando sentimos que um Direito. da gente é violado,e isso esta inserido infelizmente em todos os setores da sociedade.
 
Israel Lima em 03/07/2013 15:57:51
Que fique claro. Não somos contrários à vinda de médicos de qualquer país. Somos contrário à vinda sem a devida revalidação de diploma, que ateste a capacidade destes profissionais e prova que de fato são médicos.
Você tomaria um remédio que não tem validade pela Anvisa? Daria ele para seu filho?
O PT e o MST enviaram milhares de militantes para Cuba para se formaram em um curso precário de medicina. Como consequência, não são aprovados no processo de revalidação feito pelo próprio governo!
Querem trazer esses pseudo-médicos no tapetão, afinal, serão ótimos cabos eleitorais!
Não se enganem, os espanhóis e portugueses deixaram claro que não se submetem à falta de estrutura daqui. Querem trazer médicos-escravos de Cuba, juntamente com os militantes do PT que agora estão graduados.
 
Luiz Wagner em 03/07/2013 15:25:42
Vamos importar 6.000 maquinistas de trens para enfim termos um transporte ferroviário nesse país!
(eles que se virem em conseguir ferrovias e locomotivas...)
Medicina não se faz apenas com caneta, estetoscópio e amor. Sem condições não há como trabalhar. O que este governo está fazendo é propor uma medida marketeira, visando as eleições de 2014.
Não, meus caros. Não temos medo de concorrência. Somos favorávE sim, o problema é bem mais embaixo. Trata-se do subfinanciamento crônico do Sus e da péssima gestão, aliado à falta de plano de carreira para todos os profissionais de saúde.
Cansados de tomar calote de prefeitos no interior. Cansados de sermos tratados como cabos eleitorais. Sem 13o e férias... "Ah, mas o médico só passa Dipirona!" Acredite, bom é quando tem Dipirona pq nem sempre há!
 
Luiz Wagner em 03/07/2013 15:21:20
O que a população não percebe é que a maioria desses médicos não está preparado, ou seja, a qualidade do atendimento ficará totalmente comprometida se esses profissionais não se submeterem ao exame de validação de seus diplomas, que é o que certificará a qualidade do profissional que atenderá no Brasil. (((Srta Juliana os médicos brasileiros deveriam era fazer uma prova igual da OAB para exercerem,pois morre muita gente por erros médicos dos "graduados" médicos brasileiros,o que deveriam se preocupar era em ser mais "humanos" nas relações com o povo,a classe do paletó só pensa em $$$$$$$,agora estão preocupados com o povo? vão para as ruas?? faz-me rir, faça uma pesquisa e verás que a população apoia a vinda,pois o povo não aguenta mais tanto descaso,seja falta de médico,ou mal atendiment
 
Israel Lima em 03/07/2013 14:50:19
Sou a favor da vinda de profissionais do exterior. Só quem vive na pele o drama de precisar de profissionais e não ter pra atender na rede de saúde é que sabe. Todos terão espaço pra trabalhar pela saúde, agora os que só pensam em $$ sinto muito. Chega de tanta roubalheira, de tanto desvio de dinheiro publico. Queremos Médicos e pronto.
 
Melissa Palmeiras em 03/07/2013 14:46:10
ACORDA BRASIL!!! Não acredito que a sociedade não está vendo a precariedade q se instalou em nosso Estado e no País em razão de falta de investimento na Saúde Pública, fraudes etc... os nossos hospitais estão "sucateados" sem a minima condição de uso. Não é por falta de profissionais q a saúde não funciona aliás, como tudo em nosso País.A falta é de boa vontade e político íntegros que pensam ralmentre no "SER HUMANO".Estou com os médicos e não abro, uma classe importante e desvalorizada "INFELIZMENTE". Sociedade .... nós temos a carne, só precisamos do açougue. FICA A DICA.
 
Rosemary Marques dos Santos em 03/07/2013 14:21:55
OS MEDICOS DE CAMPO GRANDE ESTAVAM ACOSTUMADOS COM MOLEZA, A BEATRIZ COMANDAVAM TODOS E RECEBIAM SEM TRABALHAR, VEJA O CASO DO SIUFI VEREADOR, ERA FUNCIONARIO DA PREFEITURA E NUNCA TRABALHOU PARA PREFEITURA.
 
adrielle pereira em 03/07/2013 13:51:08
Me desculpe sr Presidente,mas foi muito infeliz em seu comentário,faltam não somente médico,mas acima de tudo homens-médicos que honrem o juramento que fizeram,tudo é pelo dinheiro,na África vão voluntários do próprio bolso fazerem atendimentos e vocês só falam em "dinheiro",existe um corporativismo na classe de paletó incrível,venha no interior e saiba se não falta médicos,quanto a estrutura é um outro assunto,mas o juramento deveria estar acima de tudo,se os seus filiados não querem vir para o interior,deixa vir os médicos estrangeiros resolver os problemas do povo sofrido,e seus filiados fiquem atendendo na capital atendendo onde se paga melhor,afinal como bem disse,o dinheiro esta acima de tudo nobre presidente,vergonhoso seu depoimento.
 
Israel Lima em 03/07/2013 13:50:56
Enganam-se aqueles que acham que os médicos daqui não querem concorrência com os estrangeiros. A verdade é uma só. O governo quer mascarar a situação caótica da saúde no país trazendo um arsenal de médicos não formados no Brasil, sem a validação do diploma internacional, porque é mais barato. O que a população não percebe é que a maioria desses médicos não está preparado, ou seja, a qualidade do atendimento ficará totalmente comprometida se esses profissionais não se submeterem ao exame de validação de seus diplomas, que é o que certificará a qualidade do profissional que atenderá no Brasil. Não se iludam. Não ataquem os médicos. Ataque o governo que quer remediar a precária situação da saúde com procedimentos que não resolverão o problema.
 
Juliana Assis em 03/07/2013 13:47:17
Faltam médicos sim....apareça durante uma madrugada em qualquer posto de saúde e vai ver...qdo nao tem médicos, eles estao dormindo como já presenciei uma vez no posto do coophavila II. E tem outra,eles estao com medo sim,pois sabem q se vier médicos de fora,eles vao chegar e trabalhar de verdade.
 
SIDNEI MENESES AQUINO em 03/07/2013 13:40:19
Quando a gente vê médico ganhando 90 horas.... Gente morrendo na fila por causa que o médico faltou a plantão.. dentre outros..
O problema é bem mais embaixo.... e todos sabemos disso...
 
Carlos Bitencourt em 03/07/2013 13:09:00
São contra sim, a entrada de médicos estrangeiros. Estão com medo pq esses médicos virão com vontade de trabalhar e mostrarão serviço. Falar que Campo Grande não tem estrutura é no minimo insanidade. Se Campo Grande não tem estrutura o que ocorre no interior então??? Aff... o interior oferece baixos salários??? Gente qto será que um médico quer ganhar, heim???... São profissionais importantes sim, mas já deu!!! Vamos mostrar trabalho e parar de lero, lero...
 
Rafaela Vargas em 03/07/2013 11:58:16
Entao Sr. Presidente do Conselho Regional de Medicina, se o numero de medico é suficiente para dar um bom atendimento a população , então o Senhor esta dizendo que os Profissionais é que são preguiçosos, não cumprem com os seus deveres e não honra o juramento que fazem ?
 
Jose do Prado em 03/07/2013 11:12:18
Falta médico,falta compromisso com a profissão.Estes médicos pensam que é DEUS!!Só aceitam trabalho com a faca no pescoço do poder executivo!!!E outra coisa,tem estrutura sim!!!O que falta é médicos comprometidos com a profissão que abraçou,logo que se formam já entram para uma quadrilha de JALECOS BRANCOS e esquecem do JURAMENTO,e passam a fazer parte de esquema a muito montados,só param tirar proveito em benefício próprio e em detrimento de seu corporativismo!!!
 
LUIS CARLOS LEITE NUNES em 03/07/2013 10:50:45
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions