A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

15/10/2013 15:49

Sonho vira pesadelo e mulher perde umbigo depois de 2 cirurgias plásticas

Bruno Chaves
Depois de duas plásticas, paciente perdeu o umbigo e ficou com a barriga tomada por manchas (Foto: Reprodução)Depois de duas plásticas, paciente perdeu o umbigo e ficou com a barriga tomada por manchas (Foto: Reprodução)

“Eu não conseguia me ver no espelho. A tortura é muito grande e só quem é vítima sabe. Ainda hoje bate revolta, arrependimento e todos os tipos de sofrimento”, lamenta uma empresária de 33 anos, que ficou sem o umbigo depois de se submeter a dois procedimentos cirúrgicos estéticos realizados pela médica Andrea Ribeiro Aleixo Gorski, em Campo Grande.

O drama da empresária começou em 2009 com a realização de uma abdominoplastia (remove excesso de gordura e pele da barriga). Dias depois da operação, a mulher percebeu que algo estava errado e precisou passar por outro procedimento, que foi avaliado como normal pela cirurgiã. Sete meses depois da segunda cirurgia, a paciente chegou a conclusão que foi vítima de erro médico e decidiu procurar a Justiça.

Saga – Insatisfeita com o tamanho da barriga, no dia 27 de novembro de 2008, a empresária, então com 28 anos, decidiu passar por uma cirurgia para diminuir o tamanho da circunferência abdominal. Em contato com a cirurgiã plástica Andrea Gorski, as duas fecharam um preço de R$ 5.250,00 pela realização da abdominoplastia.

De acordo com o advogado da paciente, Fernando Martinez Ludvig, a empresária realizou os exames cardíacos, de sangue e outros requeridos pela médica antes da cirurgia. Todos atestavam que a empresária estava saudável e poderia passar por uma intervenção plástica.

No dia 22 de janeiro de 2009 a paciente foi internada no Hospital São Julião para passar fazer a plástica. No pós-operatório, ela afirma que tomou os cuidados necessários. Mesmo assim, 15 dias após o procedimento, notou que a cicatriz que havia ficado em seu umbigo não era compatível com o resultado prometido pela médica.

“Mesmo alegando que era procedimento normal, a médica propôs uma segunda cirurgia, desta vez reparadora e sem custo adicional”, revelou o advogado. A segunda intervenção cirúrgica foi feita no dia 30 de setembro de 2009 para corrigir o defeito deixado pela primeira.

Depois de passar pela segunda operação, a médica recomendou que a empresária fizesse o uso de uma cinta de alta compressão, conhecida como macaquinho, para ajudar na modelagem da cintura. No entanto, após sete meses, a paciente percebeu que o resultado não foi alcançado e decidiu recorrer a Justiça.

Demora na Justiça – A empresária entrou com pedidos de indenização por danos morais e materiais. O processo classificado como erro médico tramita na 12ª Vara Cível de Campo Grande desde o dia 10 de agosto de 2010. Como se não bastasse os danos de ficar com a barriga deformada, a paciente ainda se viu obrigada a conviver com a demora da Justiça.

“Há mais de três anos ela espera pelos serviços de dois peritos, um para avaliar a cirurgia plástica e outro para estimar os danos psicológicos, para depois poder fazer uma cirurgia corretiva. Desde 2012 o juiz vem nomeando médicos, que sempre se justificam e dizem que não podem atuar em um processo contra outra médica”, explica o advogado.

Em um prazo de dois anos e seis meses, nove médicos foram nomeados pelo juiz Wagner Mansur Saad para assumirem as vagas de peritos. No entanto, nesse período, só o médico César Aníbal Aguiar Benavides aceitou atuar como perito para analisar a cirurgia da paciente em um processo de erro médico contra a cirurgiã plástica Andrea Gorski.

Após realização de abdominoplastia, paciente ficou com umbigo em formato de estrela (Foto: Reprodução)Após realização de abdominoplastia, paciente ficou com umbigo em formato de estrela (Foto: Reprodução)

“Agora estamos esperando um psiquiatra aceitar a nomeação do juiz para analisar os danos psicológicos da paciente. Os outros médicos que recusaram a perícia alegavam os mais diversos motivos para não atuarem no processo contra a doutora Andrea, entre eles eram citados vínculos profissionais e pessoais com a médica”, afirma Fernando.

Ainda de acordo com o advogado, o processo poderá demorar meses para ser concluído. Isso porque o juiz terá que esgotar o quadro de 64 psiquiatras considerados ativos pelo CRM/MS (Conselho Regional de Medicina). “Se nenhum psiquiatra de Mato Grosso do Sul aceitar ser perito, o juiz recorrerá a um profissional de fora do Estado”, conta.

Resultado pericial aponta cirurgia errada – O parecer do médico César Aníbal Aguiar Benavides, que avaliou a cirurgia plástica da empresária, concluiu que a paciente foi vítima de erro médico. No documento elaborado por ele e anexado no processo, consta que Andrea não realizou uma abdominoplastia na paciente, mas sim uma técnica conhecida Smith, que é utilizada para tratamento de queimaduras.

“O resultado cicatricial do abdômen foi ruim e está até hoje com sequelas estéticas”, escreveu o médico. Para ele, percebe-se a “presença de cicatriz umbilical e pele umbilical com sinais de hipertrofia e retração cicatricial em sua porção central de forma radial e ovalada, medindo 2,5 centímetros em seu maior ponto e entre 1,6 e 3,4 centímetros de elevação”.

O perito concluiu que a área apresenta sequelas estéticas que ultrapassam os limites do umbigo. Ele considerou que a cicatriz decorreu dos procedimentos cirúrgicos realizados pela médica Andrea Gorski.

Incerteza – Depois de ter a barriga mutilada em uma cirurgia plástica há quatro anos, a empresária de 33 anos ainda busca forças para viver. Ela é casada, mãe de dois filhos e procura na família a vontade de continuar.

“Quando uma mulher procura um procedimento e sai de lá com um resultado muito pior muda muita coisa na vida. Tenho a sensação de que estou em um processo inacabado. Vou tentando levar minha vida, mas é muito difícil”, conta.

Em 2008, mulher estava insatisfeita com o corpo e quis fazer uma plástica para diminuir o tamanho da barriga (Foto: Reprodução)Em 2008, mulher estava insatisfeita com o corpo e quis fazer uma plástica para diminuir o tamanho da barriga (Foto: Reprodução)

Com 1,66 metros de altura e pesando 52 quilos, a empresária é considerada bonita por quem a conhece. “As pessoas me veem e dizem que eu tenho um corpo perfeito, mas não é assim. Quando estou de roupas até me sinto uma mulher bonita, mas se fico só de lingerie é ao contrário”.

“Por exemplo, eu consegui colocar um biquini pela primeira vez depois de quatro anos. Faço acompanhamento terapêutico para tentar conviver com isso. Mas são altos e baixos. Tem dias em que estou bem e tem dias que não”, revela.

Após o trauma e com o desejo de se ver livre das cicatrizes e manchas que tomaram sua barriga, a empresária não ter certeza se conseguirá passar uma terceira cirurgia. “Tenho vontade, mas também muito medo de não conseguir operar de novo. Tenho receio de sair do hospital com uma mutilação pior. Medo de criar uma expectativa e voltar a ser infeliz”, lastima.

Andrea Ribeiro Aleixo Gorski – A cirurgiã plástica Andrea Gorski é graduada pela UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) e é membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

A reportagem do Campo Grande News entrou em contato com a médica, por mais de uma vez, para conversar sobre a acusação de erro médico. No entanto, ela não foi encontrada no consultório e nem no telefone celular divulgado pela Sociedade de Cirurgia Plástica.

Sobre Andrea, pesam duas acusações de erro médico.



E ainda por cima continua com crm ativo....vai entender...
http://www2.cirurgiaplastica.org.br/encontre-um-cirurgiao/

 
Aline Costa em 15/01/2014 21:09:56
Meu Deussssss,o que é isso?
isso é muito grave e chocante ao mesmo tempo...
parabens ao Dr Cesar Benavides pela coragem e tbm por honrar seu titulo de medico, que pelo visto a Dr Andrea não sabe o que significa!
moça, tenha Fé em Deus,Tudo se resolvera!
E essa Dra Andrea,continua operando ou mutilando suas pacientes?
Cade o CRM do nosso estado???
meu sentimento é de indignação por tudo isso,lamentável!
 
Carla de Paula em 16/10/2013 22:59:09
Parabéns ao Dr. César Benavides, um ótimo médico!
Fiz minhas cirurgias plásticas da face, devido cicatrizes de um acidente de carro, todas com ele e quero fazer quantas mais forem necesárias. O resultado ficou muito bom e a recuperação foi tranquila.
Indico e recomendo!!
 
Maria de Fátima Barbosa em 16/10/2013 10:02:23
O problema é que muitas pessoas nunca estão satisfeitas com o corpo, pq não fazem dietas, exercícios? querem resultados da noite para o dia, eu pesava 127 kg, fiz dois anos de exercícios em academia, caminhada, e uma reeducação alimentar, hoje com 42 anos cheguei onde queria, 85kg e barriga seca, e garanto que não gastei o que ela gastou na cirurgia, acho que plástica deve ser a última alternativa, em casos de obesidade mórbida por exemplo, agora que o erro aconteceu, a justiça tarda mas não falha, mas esquece do resultado que você buscava, nunca mais sua barriga será a mesma, infelizmente.
 
JOSIEL APARECIDO em 16/10/2013 09:57:19
O Poder Judiciário no Brasil praticamente está falido. Se depender da "Justiça", a pessoa morre antes de sair uma decisão definitiva.
 
Ricardo Bluma em 16/10/2013 09:48:36
Eu fiz e estou extremamente feliz com o resultado. Procurei informação antes, consultei pessoas que já haviam feito com a médica - Dra Lucilene dos Santos- maravilhosa. E paguei no total R$ 12.000,00. tem que desconfiar com preço barato demais, so o hospital ficou em R$ 3.500 + 1.200 de anestesia. como pode ficar R$ 5.250?
 
Ana Paula Car em 16/10/2013 08:47:02
Eu acabei de fazer uma cirurgia de abdomenoplastia, graças a Deus foi tudo perfeito existe excelente medico na cidade, não faria sem ter conhecimento antes eu recomendo...se tivesse visto isso antes talvez ficaria com medo. Mas foi tudo bem tranquilo. Estou muito satisfeita.
 
Adriana de Menezes em 16/10/2013 08:43:54
É muito triste de ver uma coisa dessas.Eu tb tenho que fazer uma cirurgia de abdominoplastia mas tenho medo de pegar uma médica dessas...Esses médicos não podem ter medo de depor contra sua colega não.Meu Deus do céu quanta covardia ...
 
judite oliveira dos santos em 16/10/2013 07:49:20
Parabéns a reportagem, por colocar o nome da tal médica, médico infelizmente é a pior classe que pode existir sempre um encobrindo o outro. Que venha os cubanos...
 
Elaine Motta em 16/10/2013 06:59:19
Esse é o resultado da fábrica de diplomas e que se tornaram as universidades públicas e privadas, não só na medicina mas em diversas outras habilitações profissionais, hoje há um índice de qualidade insatisfatório nos profissionais de saúde, isso fica evidente, com os erros e absurdo cometidos todo dia. Porém, o quadro para o futuro é ainda pior, pois há escassez de médico. O governo e os CRM's fazem vista grossa para essa triste realidade. Enquanto isso carniceiros e açougueiros convivem impunemente com a população, tudo com a salvaguarda dos CRM's, aparados pela inercia, inoperância e morosidade do judiciário, e ainda, com a complacência e protecionismo histórico do corporativismo da classe médica. Só por Deus!!!
 
Ricardo Vallin Bianquine em 16/10/2013 06:08:12
Revalida só para estrangeiros? e os brasileiros? são muitos erros em MS e difícil um médico ser processado. Justiça lenta demais e a médica continua atendendo.
 
Luiz Carlos de Castro em 15/10/2013 22:43:31
vai dar nda nao igual o meu caso com tal medico alberto rondon ja fazem 14 anos e ate agora nda
 
elaine almeida em 15/10/2013 20:59:02
Parabéns ao dr. Cesar Benavides que honrou a Medicina, passando por cima do corporativismo que leva a maioria dos médicos a se recusar a servir como perito para apurar erros grotescos de seus colegas. Além de ser excelente cirurgião plástico, exercendo a medicina com ética e não como mercenário. Tem todo o meu respeito.
 
Ana Oliveira em 15/10/2013 18:43:47
Também sou advogada e tive uma paciente vítima de erro médico. E consegui uma psiquiatra para fazer a perícia.
 
Ana Cláudia em 15/10/2013 18:34:33
Parabéns, hein, "doutora"... Para lotar o seu cofre e sustentar a sua família, você sacrificou a vida de outras pessoas. E eu achando que para fazer medicina era necessário se ter o minimo de respeito pelo ser-humano! Mas "doutora", tenho uma coisa a te dizer: "Sinto pena pela sua frustração." E para a moça: "Força, tenha certeza de que sua vida é muito maior do que uma simples cicatriz."
 
joão junior em 15/10/2013 17:50:24
Ética Médica pelo que entendi é: não atuar em um processo contra outro médico; não se importando minimamente com o que tenha ocorrido com o paciente... é isso?
 
Valter Castilho em 15/10/2013 17:42:10
Dr. Cesar Benavides, o senhor merece respeito, parabéns pela sua atitude, por ajudar essa vitima de erro medico, precisamos de bons cirurgiões, pessoas competentes de humanas como vc se mostrou ser. Parabéns.
 
Andrea Pires em 15/10/2013 17:04:23
Um absurdo isso que aconteceu com essa paciente! E, mais absurdo ainda, é esse relacionamento entre os médicos, que se protegem mutuamente.
A reportagem poderia ter explicado quais são as outras duas acusações que pesam sobre a tal cirurgiã para que seus pacientes, ou possíveis vítimas, se protejam e tenham a oportunidade de procurarem profissionais mais qualificados e éticos. Essa postura dela, de não atender, não dar satisfação, não reconhecer e consertar o erro e deixar a paciente com esses problemas físicos e emocionais, que foram causados pelo seu erro e incompetência, é de extrema arrogância e desrespeito. A propósito, o tal juramento foi da boca pra fora?
 
Ana Velloso em 15/10/2013 16:59:38
Essa deveria estar presa... 2 acusações de erro médico e ainda esta solta????
Ela esta na função errada, acho que pra essa tal cirurgiã cairia melhor se fosse uma açougueira!!!!!!!!
 
cris. alves em 15/10/2013 16:52:13
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions