ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MARÇO, SÁBADO  02    CAMPO GRANDE 25º

Capital

Supermercados vão ter de respeitar toque de recolher e fechar às 20 horas

Até ontem, eles poderiam continuar abertos após às 20h, mas com limite de uma pessoa de cada família

Ângela Kempfer e Tainá Jara | 22/03/2021 17:36
Supermercado de Campo Grande com corredores praticamente vazios. (Foto: paulo Francis)
Supermercado de Campo Grande com corredores praticamente vazios. (Foto: paulo Francis)

A partir desta segunda-feira (22) todos os supermercados de Campo Grande serão obrigados a respeitar o toque de recolher e, assim como as demais atividades permitidas, fechar as portas às 20 horas.

A rotina muda nesta semana de feriados antecipados, já que até ontem o setor era exceção e podia continuar funcionando após às 8 da noite, mas com limite de acesso de uma pessoa por família.

No decreto publicado no domingo, em edição extra pela prefeitura da Capital, ficou de fora a parte que liberava atendimento ao público durante o toque de recolher.

Os supermercadistas ainda têm esperança de alteração no decreto. "Vale lembrar que o setor está entre os serviços essenciais, cuja abertura é resguardada", justifica Edmilson Verati, presidente da Amas (Associação Sul-Mato-Grossense de Supermercados), que fala em ação judicial pela liberação.

Diante da preocupação com o avanço da doença, a prefeitura garante que não abrirá exceção. Segundo o secretário Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana, Luís Eduardo Costa, a alteração foi necessária porque a cidade depende agora de um movimento conjunto para reduzir as internações por covid-19. "Buscamos a compreensão de todos os setores nesse esforço concentrado, para incentivar o isolamento concreto", avisa.

Hoje, segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde, a Macrorregião de Campo Grande começou o dia com 124 pessoas em leitos improvisados, a espera de vagas em hospitais. As medidas em vigor até o próximo domingo tentam reverter esse quadro de superlotação.


Nos siga no Google Notícias