ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, QUARTA  17    CAMPO GRANDE 27º

Capital

Suspeito de estuprar e matar mulher em creche é preso

Edione Bersocana, de 43 anos, foi encontrada após ser agredida no dia 6 de junho e morreu um mês depois

Ana Paula Chuva e Ana Beatriz Rodrigues | 29/07/2022 16:49
Edione posando para foto com um dos seus filhos (Foto: reprodução / Facbook) 
Edione posando para foto com um dos seus filhos (Foto: reprodução / Facbook)

Homem, identificado como Milton César de Souza, foi preso esta semana. Ele é acusado de ter estuprado e depois espancado Edione Bersocana, de 43 anos. A vítima foi encontrada sem roupa e muito machucada no prédio abandonado da antiga Omep (Organização Mundial para Educação Pré-Escolar), no Bairro Tiradentes, em Campo Grane e acabou morrendo um mês depois.

Ao Campo Grande News, o delegado Christian Mollinedo, adjunto da 4ª Delegacia de Polícia Civil da Capita, contou que o homem estava com pedido de prisão em aberto e ele foi encontrado no Cetremi (Centro de Triagem e Encaminhamento do Migrante e População de Rua).

O crime aconteceu no dia 6 de junho. Na ocasião um catador de recicláveis contou que estava chegando em casa quando viu a mulher ferida. Ele então falou com um vizinho do local e eles acionaram equipe da PM (Polícia Militar) que pediu ajuda do Corpo de Bombeiros.

Local onde Edione foi encontrada ferida bastante machucada. (Foto: Paulo Francis) 
Local onde Edione foi encontrada ferida bastante machucada. (Foto: Paulo Francis)

A mulher estava caída em um dos cômodos do prédio. Com uma das mãos ela tentava rastejar para o lado de fora e com a outra, segurava o sutiã contra os seios, a única peça de roupa que "vestia", mas que também estava rasgada. Ela então foi levada para a Santa Casa de Campo Grande, onde morreu um mês depois.

Ainda conforme Mollinedo, testemunhas disseram que o homem costumava frequentar o local onde o crime aconteceu apenas quando tinha dinheiro e oferecia drogas em troca de favores sexuais, no entanto não era visto desde a morte de Edione.

Além disso, os relatos eram de que quando o dinheiro acabava, Milton ficava bastante agressivo. Em depoimento Milton negou o crime.

Nos siga no Google Notícias