ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, QUARTA  22    CAMPO GRANDE 24º

Capital

Termina hoje prazo para ouvir Zeolla antes de polícia concluir inquérito

Aline dos Santos | 04/07/2016 11:06
Zeolla (à direita) foi condenado em 2011 por matar sobrinho. (Foto: Marcelo Victor)
Zeolla (à direita) foi condenado em 2011 por matar sobrinho. (Foto: Marcelo Victor)

Termina nesta segunda-feira (dia 4) o prazo para que a Polícia Civil conclua o inquérito sobre o procurador aposentado Carlos Alberto Zeolla, preso por suspeita de estupro de adolescente. A previsão da DPCA (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente) é que ele preste depoimento hoje à tarde. Caso contrário, o procedimento termina sem que o preso seja ouvido.

De acordo com o delegado Mário Donizete Ferraz de Queiroz, o prazo é de dez dias para conclusão quando há preso, caso do procurador. “Tem que mandar hoje para a Justiça. Poderia até encerrar e depois encaminhar [o depoimento] nos autos. Mas ele deve ser ouvido hoje à tarde”, afirma.

Zeolla foi preso pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) em 24 de junho e levado para o Centro de Triagem de Campo Grande, de onde só pode sair mediante autorização judicial.

O Gaeco, braço do Ministério Público, revelou que cumpriu o mandado porque estava em aberto desde abril e a polícia demorou, sem intenção de favorecimento ao procurador aposentado. Já a DPCA informou que não recebeu cópia da decisão judicial que deferiu a prisão preventiva

A defesa do procurador pediu à 7ª Vara Criminal que ele seja transferido para sala de Estado Maiou ou prisão domiciliar. Hoje, a reportagem não conseguiu contato com a defesa.

A investigação contra Zeolla começou no ano passado, quando um adolescente de 13 anos agrediu a mãe. Ele disse que um homem, apontado como sendo o procurador, iria levá-lo para a Alemanha. A mãe questionou a situação e foi agredida pelo adolescente. O caso foi registrado na Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), que abriu investigação.

O aliciador seria um homem conhecido como “Carlos Xará”. A polícia identificou mais dois meninos de 10 e 11 anos. As duas crianças relataram que eram embebedadas antes dos abusos, além de serem sempre presenteadas com celulares, dinheiro e perfumes.

A identidade de “Carlos Xará” foi revelada a partir de consulta de placa do carro. O veículo foi fotografado por moradores do loteamento Nova Serrana, no Jardim Noroeste, na saída para Três Lagoas.

Em 2011, Zeolla foi condenado por matar o sobrinho. A condenação foi em regime semiaberto, mas ele obteve autorização para ficar internado em uma clínica e, atualmente, já estava em casa.

Nos siga no Google Notícias