ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SÁBADO  18    CAMPO GRANDE 31º

Capital

Testemunha pode ajudar a identificar carro que matou em frente a atacadista

Integrante da equipe de socorristas contou que uma Parati em alta velocidade foi vista minutos antes

Por Geisy Garnes e Ana Oshiro | 26/07/2021 10:39
Paulo tinha 50 anos e morreu na hora depois de ser atropelado. (Foto: Reprodução/Facebook)
Paulo tinha 50 anos e morreu na hora depois de ser atropelado. (Foto: Reprodução/Facebook)

Depoimento de um dos socorristas do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) deve ajudar a polícia a identificar o motorista que atropelou e matou Paulo Sérgio Salor, de 50 anos, o Paulinho, no sábado (24), em Campo Grande. Segundo o relato, uma Parati Prata foi vista em alta velocidade na Avenida Gury Marques, minutos antes do acidente.

Para a polícia, o integrante da equipe de socorristas contou que a ambulância estava na avenida quando uma Parati passou em alta velocidade por eles. Minutos depois eles viram a vítima caída no chão e pararam pra atender.

Em depoimento, o socorrista afirmou que o curto espaço de tempo e os pedaços de lataria prata no chão faz com que suspeite do veículo como envolvido no acidente. O motorista do carro fugiu sem prestar socorro.

No velório de Paulinho, um companheiro de trabalho que preferiu não se identificar contou que estava com ele no momento do atropelamento e narrou a cena. "Tínhamos acabado de descer do ônibus, num ponto próximo. Atravessamos a rua e começamos a atravessar a avenida, até vimos o carro, mas estava longe, sentimos que daria para atravessar mas quando percebi, ele foi atingido. O carro fez o contorno e pegou a avenida Cafezais", disse.

Trabalhando como técnico em manutenção, Paulo estava chegando para trabalhar, às 5h35, e foi atropelado ao atravessar a avenida fora da faixa de pedestres, bem em frente ao atacadista.

Com a força da colisão, um dos sapatos de Paulo chegou a sair do pé dele e ficou no meio-fio da avenida, junto com destroços do veículo. Caso deve ser investigado pela Delegacia de Polícia Civil da área.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário