ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, QUARTA  19    CAMPO GRANDE 29º

Capital

Trechos da Afonso Pena, MT e Rui Barbosa serão fechados nessa segunda

Interdições são para realização de obras do Reviva Centro em várias partes da região

Por Nyelder Rodrigues | 08/08/2021 10:10
Obras do Reviva Centro fecham trechos de vias importantes de Campo Grande. (Foto: Divulgação/PMCG)
Obras do Reviva Centro fecham trechos de vias importantes de Campo Grande. (Foto: Divulgação/PMCG)

As obras do Reviva Centro continuam em Campo Grande e novas interdições vão acontecer na região central a partir dessa segunda-feira (9), para a realização de intervenções nas ruas, com reformas e instalação de recursos nas vias.

Entre os locais que passarão pela revitalização logo ao amanhecer dessa nova semana, estão trechos das avenidas Afonso Pena e Mato Grosso, além da Rua Rui Barbosa - todas entre as principais da cidade e de grande demanda para o trânsito local.

Conforme nota publicada no site oficial da prefeitura pela Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), a Afonso Pena ficará interditada entre as ruas Pedro Celestino e 13 de Maio, no sentido oeste - indo para o aeroporto. A previsão é que ali, os serviços durem pelo menos 25 dias, só então, sendo liberado o trecho.

Outra área fechada fica na Mato Grosso. Lá, também entre as ruas Pedro Celestino e 13 de Maio, a previsão é que a via fique fechada pelo mesmo prazo que a Afonso Pena, por 25 dias. O sentido da avenida interditado também se repete, sendo o oeste.

Por fim, há ainda as interdições na Rui Barbosa, importante avenida para o trânsito em geral e transporte coletivo da cidade. Um dos trechos fechados fica entre a Mato Grosso e a Rua Eduardo Santos Pereira. Ali, será feita uma nova drenagem, com previsão de que o serviço seja encerrado também daqui 25 dias.

Entre a Afonso Pena até a Rua Barão do Rio Branco, também haverá fechamento para obras de drenagem na Rui Barbosa. O prazo estipulado para liberação do local, mais uma vez, é de 25 dias, segundo as informações repassadas pela Agetran.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário