A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 25 de Abril de 2019

01/11/2018 15:40

Três são presos com 1 tonelada de droga e cadelinha acaba órfã

Moli estava junto com trio preso em hotel de Campo Grande suspeito de tráfico de droga

Gabriel Neris e Geisy Garnes
Cadelinha estava junto com trio durante transporte de maconha (Foto: Geisy Garnes)Cadelinha estava junto com trio durante transporte de maconha (Foto: Geisy Garnes)

Três pessoas foram presas na manhã desta quinta-feira (1º), em Campo Grande, suspeitas de transportarem 1 tonelada de maconha. Uma cadela da raça buldogue, que seria vendida em São Paulo, foi encontrada junto com o trio e ficou órfã.

De acordo com o delegado Pablo Gabriel Faria da Silva, da Denar (Delegacia Especializada de Combate ao Narcotráfico), policiais rodoviários federais do posto de Água Clara se deslocavam na noite de quarta-feira pela BR-262 para uma ocorrência quando passaram por dois veículos, uma Chevrolet S10 e uma Honda Fit.

A S10 era conduzida por Patrick Souza, de 20 anos, e no outro veículo estava o casal Renato Adriano dos Santos Silva, de 37 anos, e Maria Noemi Ojeda, de 45 anos, além da cadela batizada de Moli. Ao se depararem com as viaturas da PRF, os dois veículos retornaram pela rodovia.

Os policiais perceberam o movimento e acionaram a Denar, que ficou com equipe de prontidão na saída para Três Lagoas. As equipes avistaram os dois veículos encostando em um hotel. Patrick e Renato conversaram rapidamente e o trio entrou no estabelecimento. Os policiais se depararam com a carroceria e cabine da S10 lotadas de droga.

Três pessoas foram presos suspeitos de transportarem 1 tonelada de maconha (Foto: Geisy Garnes)Três pessoas foram presos suspeitos de transportarem 1 tonelada de maconha (Foto: Geisy Garnes)

O trio passou a noite e tomou café da manhã no hotel, deixando o local somente por volta das 10h de hoje. Os três foram presos em flagrante. Durante a abordagem as duas forças policiais encontraram 1.082 kg de maconha na S10. Os dois veículos tinham rádio comunicador.

Patrick confessou que pegou a droga em Ponta Porã, levaria a carga até Três Lagoas e receberia R$ 10 mil pelo transporte.

O casal negou qualquer envolvimento com o transporte da droga, mas não soube explicar a presença do rádio comunicador dentro do carro. Renato disse que tem o carro há cerca de um ano e já foi parado em rodovias em outras ocasiões pela polícia.

Ele contou que tem um canil na região de fronteira com o Paraguai e levaria a cadela para São Paulo para vendê-la e que toda a conversa de negociação está registrada em mensagens no celular. Segundo ele, o animal está avaliado em R$ 10 mil. “Não preciso disso [droga] para viver”, afirmou.

A presença do animal dentro da delegacia criou um impasse. Com a prisão do casal, a polícia aguarda se familiares ou amigos irão buscar Moli. Segundo o delegado, não há espaço para Moli e como sexta-feira é feriado, ninguém poderá ficar encarregado de cuidar dela. Uma opção é acionar o CCZ (Centro de Controle de Zoonoses).

Noemi afirmou que tem uma lavanderia em Pedro Juan Caballero e que mora em Ponta Porã. Ela contou que passa dias viajando, justificou ter cidadania espanhola, e negou participação no transporte da droga.

A polícia acredita que a droga seria levada para São Paulo, onde Moli seria vendida, ou Belo Horizonte. A S10 foi roubada em Aparecida do Taboado e estava com placas falsas da capital mineira.

Homem de 30 anos morre em hospital após ser espancado no centro
Anderson Gomes Martins, 30 anos, morreu ontem (24) na Santa Casa depois de ser espancado na região da antiga rodoviária, no centro de Campo Grande. O...
Dentistas são condenados a indenizar paciente em R$ 20 mil por negligência
Pai e filho, dentistas em Campo Grande, foram condenados pela 11ª Vara Cível a indenizar uma paciente em mais de R$ 20 mil por negligência em um impl...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions