A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 16 de Agosto de 2018

22/08/2016 11:32

TRF começa investigação em vara federal sob suspeita de sumiço de dólares

Casos teriam acontecido justamente em setor que apura crimes de lavagem de dinheiro

Mayara Bueno e Aline dos Santos
Secretaria da 3ª Vara está fechada e com o aviso de que passará por correição extraordinária. (Foto: Fernando Antunes)Secretaria da 3ª Vara está fechada e com o aviso de que passará por correição extraordinária. (Foto: Fernando Antunes)

Começou, nesta segunda-feira (22), a investigação do TRF 3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região) na 3ª Vara Federal Criminal de Campo Grande, após suspeita de desvio de valores apreendidos no setor que é, justamente, especializado em crimes de lavagem de dinheiro.

A 3ª Vara Criminal teve dois casos de sumiço de dólares apreendidos em 2003. O suspeito é um funcionário que ocupou cargo de confiança por 21 anos e foi demitido no mês de junho.

Nesta manhã, por volta das 10 horas, com a presença da corrgedora-regional Therezinha Carzeta, começaram os trabalhos na 3ª Vara – não foi permitido o acesso da imprensa. Na secretaria do setor, que está fechado, consta um aviso de que o local passará pela inspeção de 22 de agosto (hoje) até 2 de setembro.

No início dos trabalhos, passaram por lá o vice-presidente da OAB-MS (Ordem dos Advogados do Brasil seccional de Mato Grosso do Sul), Gervársio Alves de Oliveira e o advogado Fabio Nogueira da Costa, representante da Ordem na correição.

Conforme explicou o vice-presidente, os participantes da vistoria estão tomando conhecimento dos processos. Ainda não foi repassado o período, nem a quantidade de ações que passarão pela correição.

De acordo com o juiz federal Odilon de Oliveira, os dois casos foram similares. Em resumo, a Polícia Federal entregou os dólares à Justiça , mas não houve custódia. O magistrado não soube informar o valor desviado. Cerca de 15 dias depois da descoberta, o funcionário Jedeão de Oliveira, que ocupava o cargo de diretor de secretaria, foi exonerado. As informações foram repassadas pelo magistrado no último sábado (dia 20). 

A PF foi acionada para investigar o sumiço dos dólares e identificar os responsáveis. Uma segunda medida foi uma inspeção interna nos processos arquivados, que tramitaram entre 2000 e 2015.

Justiça Federal em Campo Grande. (Foto: Fernando Antunes)Justiça Federal em Campo Grande. (Foto: Fernando Antunes)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions