A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 21 de Setembro de 2018

27/03/2018 17:47

UFMS demite professor de Medicina Veterinária por “conduta escandalosa”

Acusado havia sido afastado no fim de 2017 em meio a processo administrativo-disciplinar aberto por denúncia de estudante; alunos apontaram acusações de assédio e comentaram em redes sociais a decisão

Humberto Marques
Professor demitido lecionava na Famez e foi alvo de comentários de estudantes. (Foto: UFMS/Reprodução)Professor demitido lecionava na Famez e foi alvo de comentários de estudantes. (Foto: UFMS/Reprodução)

Portaria da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) publicada nesta terça-feira (27) confirmou a demissão do professor Deiler Sampaio Costa, motivada por um processo administrativo-disciplinar aberto em 2016. Docente da Famez (Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia), Deiler foi acusado de assédio sexual por uma estudante. Em novembro de 2017, o professor foi afastado das funções por 60 dias para andamento das apurações que resultaram no desligamento.

A portaria 349, assinada em 26 de março pelo reitor da UFMS, Marcelo Augusto Santos Turine, informa que a pena de demissão foi aplicada com base na lei federal 8.112/1990, que trata do regime jurídico dos servidores da União. O resultado do procedimento investigativo foi comentado –e até mesmo comemorado– por alunos da Famez em grupos de redes sociais, que mencionaram suspeitas de assédio contra o professor punido.

O desligamento do servidor, oficialmente, foi fundamentado na “incontinência pública e conduta escandalosa, na repartição”, combinada a transgressões como o descumprimento de preceitos como exercer com zelo as atribuições do cargo e “tratar com urbanidade as pessoas”; bem como “valer-se do cargo para lograr proveito pessoal ou de outrem, em detrimento da dignidade da função pública” e “proceder de forma desidiosa”.

O processo contra Deiler correu de forma sigilosa, sendo aberto a partir de denúncia de uma acadêmica em fevereiro de 2016. O caso veio à tona no fim do ano passado, com o afastamento do servidor. À época, a UFMS apenas confirmou a abertura do procedimento disciplinar, mas não deu detalhes sobre a acusação.

Via assessoria de imprensa, nesta terça, a universidade informou que não comentará processos administrativos. A reportagem não conseguiu contatar o professor demitido para que ele comentasse as acusações.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions