ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, SEXTA  19    CAMPO GRANDE 29º

Capital

Veja quem será ouvido no 2º dia do júri da década

O dia será para ouvir as testemunhas elencadas pela defesa dos réus

Lucia Morel | 18/07/2023 06:10
Plenário do Tribunal do Júri ontem de manhã (Foto: Henrique Kawaminami)
Plenário do Tribunal do Júri ontem de manhã (Foto: Henrique Kawaminami)

O segundo dia de depoimentos do júri de Jamil Name Filho, do policial civil Vladenilson Daniel Olmedo e do ex-guarda municipal Marcelo Rios será para ouvir as testemunhas elencadas pela defesa dos réus. Entre elas, a esposa de Rios, que chegou a pedir proteção à polícia, mas mudou versão do caso e agora prestará depoimento para ajudar os acusados.

Entretanto, uma testemunha de acusação, o delegado João Paulo Natali Sartori, do Garras (Delegacia Especializada em Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros), deve ser ouvido hoje. Ele fez parte da força-tarefa que investigou os acusados da Operação Omertà. Não houve tempo de ouvi-lo ontem e a expectativa é que ele seja o primeiro depoimento do dia.

Em seguida, começam as oitivas da defesa, entre elas a esposa de Rios, Eliane Benitez Batalha dos Santos. Ela contou que o marido trabalhava para Jamil Name e que Rios estava preocupado após a execução por engano de Matheus Coutinho Xavier no lugar de seu pai, Paulo Xavier.

Ela e os filhos chegaram a ficar no Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco, Assalto e Sequestros), diante do medo de Rios de que a família sofresse retaliação. Mas, na fase de audiências, Eliane mudou de versão e, agora, será testemunha de defesa.

Ela falará pela manhã, na defesa de Jamilzinho, e à tarde, na do marido. As testemunhas de Name Filho são ainda Silvano Gomes Oliva, que é advogado, e o psiquiatra Leonardo Fabrício Gomes Soares.

À tarde, serão ouvidas as testemunhas de Marcelo Rios, que são o ex-policial militar e chefe de milícia no Rio de Janeiro, Orlando de Oliveira de Araújo, “Orlando Curicica” e, novamente, Eliane Benitez Batalha dos Santos. Por Vladenilson serão ouvidos o policial civil Mário Cesar Velasque Ale e Wagner Louro da Rocha.

Júri - Ontem, primeiro dia do júri, foram ouvidas cinco testemunhas da acusação, na ordem: os delegados Daniella Kades de Oliveira Garcia, Tiago Macedo dos Santos e Carlos Delano Gehring Leandro de Souza. O pai da vítima, Paulo Xavier, também foi ouvido e por fim, o investigador da Polícia Civil, Giancarlos de Araújo e Silva.

O foco da defesa, em todos os casos, foi tentar desvencilhar a família Name do caso, citando inclusive ligação entre o major reformado da PM e megatraficante Sérgio Roberto de Carvalho e Paulo Roberto Xavier, pai de Matheus.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para entrar na lista VIP do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias

Veja Também