ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEXTA  30    CAMPO GRANDE 23º

Capital

Vídeo mostra briga entre vizinhos, situação que virou rotina no Jardim Anache

Moradores já apelaram a todos os poderes para mudar a situação que, há pelo menos dois anos, segue a mesma

Por Giovana Martini | 28/09/2020 08:49
Vidraçada quebrada em rixa entre vizinhos. (Foto: Direto das Ruas)
Vidraçada quebrada em rixa entre vizinhos. (Foto: Direto das Ruas)

Mesmo depois de inúmeras reclamações dos vizinhos e até intervenções da polícia, a perturbação do sossego e até violência física seguem constantes na Rua dos Amigos, no Jardim Anache, em Campo Grande.

Duas moradoras que preferiram se manter anônimas, por medo de retaliações, relataram ao Campo Grande News a situação de violência, medo e falta de sossego que passam há quase dois anos, quando chegaram à região.

“Som alto em todo lugar, a qualquer hora, música de baixo-calão, o povo bebendo cachaça, gritaria e violência, é com isso que a gente lida todo dia”, disse a fonte. Durante a reportagem, um carro de som alto passou, dificultando o contato com a entrevistada.

“Desde a nossa primeira semana aqui a gente denuncia isso”, afirmou uma das leitoras. “A Sejusp (Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública) está ciente do caso, já até liberou uma ordem de serviço, mas é aquela coisa: a polícia aparece, faz vistoria, trabalho perfeito, mas nunca dura. O serviço bom mesmo dura uma semana no máximo. Fica oscilando.”



As leitoras estão se movimentando nas redes sociais para falar sobre a situação no bairro e dizem já ter acionado todos os tipos de autoridades possíveis: “Encaminhamos a situação até para vários políticos, procuramos vereadores, candidatos, delegados, polícia militar”

“É o mesmo problema e são sempre as mesmas pessoas”, dizem as vizinhas. “Sofremos ameaças, já fomos até agredidas, inclusive na frente de policiais que havíamos chamado para nos defender das agressões”, dizem as fontes, que relatam também ter tido seus animais de estimação mortos pelas pessoas que causam as perturbações.

Mais de 50 moradores assinaram um abaixo-assinado promovido pelas fontes para substituir o comandante responsável, pois acreditam que ele seja conivente com a situação. “Ele passa aqui cumprimentando todos eles (as pessoas denunciadas)”, disseram as moradoras.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário