ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, SÁBADO  24    CAMPO GRANDE 24º

Capital

Vítima de acidente teve várias fraturas, dedos decepados e está em coma induzido

“Meu irmão ficou nesse estado: dentro do CTI, todo quebrado”, diz Jorcieny Ribeiro

Por Aline dos Santos | 10/12/2023 18:00
Honda Biz azul onde casal estava foi parar debaixo de Toyota Etios. (Foto: Natália Olliver)
Honda Biz azul onde casal estava foi parar debaixo de Toyota Etios. (Foto: Natália Olliver)

Vítima de acidente de trânsito que matou a esposa, João Paulo Alves, 43 anos, sofreu várias fraturas pelo corpo, teve dois dedos do pé esquerdo decepados, está com dreno nos pulmões e é mantido em coma induzido. Ele segue internado na Santa Casa de Campo Grande.

“Nós estamos tristes. A minha cunhada era saudável, forte e estava indo trabalhar. Meu irmão ficou nesse estado: dentro do CTI [Centro de Terapia Intensiva], todo quebrado”, afirma Jorcieny Farias Cardoso Ribeiro, irmã de João Paulo.

Na manhã de sábado (dia 9), o casal estava em uma motocicleta Honda Biz azul, que foi atingida por um Toyota Etios, veículo da frota do governo do Estado e conduzido pelo servidor comissionado Guilherme de Souza Pimentel, 30 anos. O acidente aconteceu no cruzamento das ruas Antônio Maria Coelho e Bahia, no Jardim dos Estados.

Passageira da moto, Belquis Maidana, de 51 anos, morreu no local. Ela era auxiliar de cozinha e seguia para o trabalho, localizado a duas quadras daquela esquina. Já João Paulo foi socorrido em estado grave.

“Ontem, perto das 20 horas, ele saiu do centro cirúrgico e foi para o CTI. Está com múltiplas fraturas na perna esquerda. Fratura de tíbia, fíbula e fêmur. O baço foi danificado. No momento, está com tração na perna esquerda e dreno nos pulmões”, conta a irmã.

No local do acidente, Guilherme Pimentel se recusou a fazer bafômetro, mas a PM (Polícia Militar) constatou a embriaguez (olhos vermelhos, odor etílico e sonolência). Ele foi preso e, na manhã de hoje, obteve liberdade provisória na audiência de custódia. A Justiça fixou a fiança em R$ 66 mil (50 salários mínimos), que já foi paga e alvará de soltura expedido.

A investigação ainda vai determinar a dinâmica da colisão, com análise de câmeras e imagens de circuitos de videomonitoramento de comércios, prédios e casas da região, incluindo a análise de possíveis violações de sinais de trânsito e a questão do consumo de bebidas alcoólica. O Governo do Estado vai publicar amanhã, em Diário Oficial, a exoneração de Pimentel.

Receba as principais notícias do Estado pelo celular. Clique aqui para entrar no canal do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias