A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

06/11/2011 22:25

Pai de jovem morto por picada de cobra diz que filho chegou ao HR 6 horas depois

Fabiano Arruda

Milton Paulo de Souza, pai de Márcio Paulo de Souza, de 27 anos, morto após ser picado por uma cobra, afirmou que o filho levou cerca de seis horas para chegar ao Hospital Regional de Campo Grande depois de receber atendimento na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do bairro Vila Almeida.

Segundo ele, logo que o filho relatou que havia sido picado pela cobra, provavelmente, uma cascavel, o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionado e socorreu o rapaz.

Em seguida ele foi encaminhado para a UPA. “Deixamos a unidade eram mais de 23 horas. Demos entrada no Hospital Regional 23h50”, relata.

Milton revela que, no hospital, Márcio foi medicado com soro e logo depois dormiu. De manhã, o pai percebeu que a urina do filho teria sangue.

“A partir daí fiquei do lado de fora. Disseram que ele estava reagindo, quando, de repente, a médica me chamou num canto e eu gelei”, descreve.

“Ela me contou que estavam tentado reanimar meu filho há 30 minutos”, complementa.

Ainda conforme ele, os médicos não conseguiram identificar a picada da serpente no corpo de Márcio.

O caso - Márcio Paulo de Souza morreu por volta das 12 horas deste domingo, mas sofreu a picada ontem, por das 17 horas, na cachoeira da Antena, bairro Vila Nasser em Campo Grande.

Ele sofreu parada cardiorrespiratória. Médicos tentaram reanimá-lo, porém, ele não resistiu.

O corpo do jovem vai passar por análises no IML (Instituto Médico Legal).

Laudo deve apontar a causa da morte em 30 dias, já que o corpo passará por exame anatomopatológico no IALF (Instituto de Análises Laboratoriais Forenses) da Polícia Civil.



E lamentavel esses tipos de acontecimento e podemos ter certeza que ficara pior se dependemos desses politicos que governa nosso pais
 
clodoaldo rodrigues em 07/11/2011 11:04:26
Hje estao formando médicos que pensam so em dinheiro. depois salvar vida. começando pelas greves que eles estao fazendo para ganhar mais.
 
thiago souza em 07/11/2011 10:44:37
Nossos médicos claramente não estão preparados para esses casos. A classe méedica e o poder público precisam rediscutir os protocolos urgentemente... o verão e as chuvas só começaram...
 
Lucas Sodré em 07/11/2011 10:29:16
CAMPO GRANDE JÁ DEVERIA TER UM HOSPITAL ESPECIALIZADO NESSE TIPO DE ATENDIMENTO COM PROFISSIONAIS TREINADOS, APARELHADOS E PRINCIPALMENTE COM HELIPONTO PARA OPERAÇÃO 24H!!
 
Paulenir de Barros em 07/11/2011 10:12:02
A própria sociedade é culpada pela forma de atendimento e regras criadas nesse sentido. O atendimento em primeira fase nas UPAs é uma forma de evitar que todos tentem ir direto aos hospitais e consgestioná-los. Como o atendimento externo não tem competência de diagnosticar qualquer gravidade, as UPAs é quem legalmente faz isto. Tudo culpa de quem procura hospital até por cachaçada.
 
Ezio Jose em 07/11/2011 10:11:09
Esse procedimento do soro é de emergencia e é feito no Hospita Regional, porque que tem que passar por uma UPA o que que os medicos vão fazer com esse paciente. É realmente alguem tem que rever estes procedimentos, vidas esta se perdendo por causa de protocolos.
 
Ester Menacho em 07/11/2011 10:08:28
Se foi pecada de animal peçonhento, porque o levaram a uma UPA??? PORQUE???
Se existe somente um hospital (tão noticiado, na semana passada), que tem o atendimento específico para esse tipo de acidente, PORQUE NÃO O LEVARAM DIRETO PARA LÁ???
 
Leize Demétrio da Silva em 07/11/2011 09:41:14
É lamentavel, os médicos de hoje em dia escolhem a profissão apenas por seu uma profissão bonita, que dá dinheiro... não optam por ser médico por terem paixão de cuidar do próximo... Srs médicos e governantes tbm (pois sem verba fica complicado) vamos colocar a mão na consciência... são vidas que os senhores estão lidando...
 
Elisângela Francisco em 07/11/2011 09:30:28
Isso é um absurdo, você pode estar morrendo que o Samu leva você primeiramente para o tal da UPA que só tem estágiários e atendentes mal humoradas para depois levar para um hospital.
Acho que a saúde do municipio deve rever esses procedimentos de atendimento!!!
 
Sergio Padilha Ohland em 07/11/2011 09:29:16
meu deus, será que nossas autoridades não estão percebendo, que certas emergencias, devem ser encaminhadas direto para os hospitais, estão perdendo tempo e perdendo vidas, com essa buracracia, que o samu tem levar os pacientes primeiro para os pronto atendimento, segundo caso em menos de um mês...
 
telma justi em 07/11/2011 09:24:14
Se o socorro deve ser imediato nesses casos com animais peçonhentos porque as vítimas não são levados direto para o lugar adequado, "HR"?
 
luciner eustaquio em 07/11/2011 09:17:30
A questão é que o moço disse que tinha sido picado por uma cobra, e o único lugar que tem o soro é o HR. O Márcio foi atendido na UPA e lá não tem soro antiofídico e foi encaminhado corretamente para o HR. A questão foi que no HR não acreditaram no que ele disse pq era usuário de drogas. Foi dado o soro para ele depois de 6 horas que ele deu entrada no HR, domingo de manhã.
 
Gleison Camaroni de Camargo em 07/11/2011 09:14:56
Olha, com estes acontecimentos, o da menininha do escorpião agora este rapaz, chego a uma conclusão que nosso hospitais não estão nem um pouco preparados para este tipo de acontecimentos. Cade o pessoal da CCZ para dar orientção de como proceder o atendimento ou só estão querendo sacrificar nossos cães...
 
Antonio Mello em 07/11/2011 08:46:17
Que Deus console esta familia. lamentável.
 
Lessandra da S . A Marques em 07/11/2011 08:11:13
É o 2 caso essa semana 1 uma menina de3 anos agora um homem, acho que os medicos das nossas unidades de saude não estão preparados para essas situações, falta treinamento.
 
Pedr silva em 06/11/2011 11:47:10
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions