A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

27/10/2011 00:10

Vítima de estupro não conhecia a UFMS e queria usar caixa eletrônico

Paulo Fernandes

A garota que foi vítima de um estupro havia entrado no campus da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), em Campo Grande, para sacar dinheiro em um caixa eletrônico.

Ela chegou com uma amiga, ambas em uma moto. As duas são estudantes da Uniderp/Anhanguera e não conheciam a UFMS.

Por não conhecer a instituição, elas pediram informação para um rapaz, que estava próximo à rotatória para quem entra na universidade pela avenida Costa e Silva.

O jovem pediu para que as estudantes o seguissem para mostrar onde ficam os caixas eletrônicos, mas as levou para um lugar onde há um prédio em construção.

Acreditando estar no lugar certo, uma das jovens desceu da moto enquanto a outra esperava a amiga sacar o dinheiro. Quando estava sozinho com a estudante, o estuprador obrigou-a a fazer sexo oral, mediante o uso de força. Ele não estava armado.

Depois, os seguranças da UFMS foram chamados pela vítima e tentaram encontrar o estuprador. As informações são de uma acadêmica de Jornalismo da UFMS que conversou com as estudantes.

A iluminação é precária na Universidade Federal. Não são raros os casos de estupro na instituição.

Abstenção em concurso da Câmara Municipal da Capital passa dos 30%
O domingo (17) foi de provas para milhares de campo-grandenses, tanto na manhã como no período da tarde, no concurso da Câmara Municipal, que segundo...
Com forte dores, mulher reclama de falta de atendimento em UPA
Mesmo apresentando fortes dores e inchaço na região do estômago, sem conseguir comer a três dias, uma mulher que procurou atendimento na UPA (Unidade...
Problema rotineiro, chuva causa alagamentos no bairro Cidade Morena
A chuva que atingiu Campo Grande no fim da tarde deste domingo (17) causou vários problemas à população, desde alagamentos a problemas estruturais em...


Muito estranho mesmo!!! Ninguém aceita ajuda pra sacar dinheiro de um estranho, só se for uma criança e olhe lá, as crianças de hoje em dia estão mais espertas que essas duas aí.
 
Elizangela Nunes em 27/10/2011 10:06:28
Danadinhaaaaaaaaaaaaaaaaa.....
Essa foi boa Claber de Castro "" porque não mordeu""" rsrsrsr
Realmente essa história esta mal contada...
 
CELIO APARECIDO DA SILVA em 27/10/2011 09:53:37
Bem não tenho certeza...
sou a unica pessoa que acha isso uma grande lorota?
A menina não se manisfestou, e todas as informações que estão disponíveis é de uma estudante que segundo ela, conversou com essa suposta vitima.
 
Nathan Corrêa em 27/10/2011 09:37:00
Faço faculdade na UCDB, meu primo faz um curso na federal, a precariedade da instituiçao nao se limita somente a falta de segurança. A falta de respeito com os academicos e fenomenal, segundo ele. Falta material didatico, professores entre outras coisas, as faculdades particulares sao caras, mas o retorno e garantido, ensino de qualidade, tudo tipo de material a nossa disposiçao.
 
maira vicente em 27/10/2011 08:29:26
Essa história ta muito mal contada hem....vai sacar dinheiro em local desconhecido, pede informação a uma pessoa tambem desconhecida entra em uma construção acreditando haver alí um banco na companhia desse desconhecido, sendo que ali pertinho há um mercado que há caixa eletronico 24 horas?????
 
edilson pereira da silva em 27/10/2011 06:02:40
Infelizmente os comentários acima demonstram o quanto a sociedade brasileira é machista
Solicitamos a UFMS que apure os fatos e a vitíma que faça o BO.

 
katia karine em 27/10/2011 03:20:46
Que estória mal contada! Primeiro estavam em duas, uma só acompanha o suposto cidadão, o "cara" desarmado, que com o uso da força a obriga fazer sexo oral, e ela fez! Porque não mordeu (neste momento ela teria mais força que ele). A suposta "amiga" não estranhou a demora? Não seria mais um caso de 5 minutos de fama. Aparição de fantasma. A fonte é uma acadêmica de jornalismo? Não é a polícia,
 
Cleber de Castro em 27/10/2011 03:13:00
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions