ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, QUARTA  27    CAMPO GRANDE 21º

Capital

Vizinhos tentaram salvar idosa e viram assassino abraçado a botijão

Idosa teve a casa incendiada pelo marido na madrugada desta segunda-feira e acabou morta

Por Ana Paula Chuva | 30/11/2020 11:34
Confira a Galeria de Imagens:
Dulci estava na cama quando foi encontrada por vizinhos. (Foto: Silas Lima)
Dulci estava na cama quando foi encontrada por vizinhos. (Foto: Silas Lima)

Era intensa a  movimentação em frente a casa 370 da Rua Madre Santa no bairro Tarsila do Amaral, em Campo Grande, nesta manhã. No local Dulci da Silva Martinelle, 80 anos, foi morta pelo marido Vicente Mendes de Campos, 78 anos, de forma brutal.

Conforme relato da cozinheira e amiga de Dulci, Maria de Jesus, 45 anos, os vizinhos sentiram o cheiro da fumaça por volta da 1h30 da manhã e saíram para ver o que tinha acontecido.

Ela mora na rua lateral a casa onde o crime aconteceu e contou que quando os vizinhos chegaram ao local para ajudar, encontraram um pano e uma corrente com cadeado portão da casa.

“Tinha um lençol pra tampar o portão, quando os vizinhos foram entrar para salvar ela. Tiveram que forçar o portão grande para entrar. Quando eles abriram a janela para ver o fogo estava em volta, mas não nela. Estava pegando fogo no guarda-roupa e saia muita fumaça”, disse.

Além disso, segundo Maria, a vizinha que era muito querida na rua, estava com um pano sobre a boca e não parecia estar morta.

 “Quando os meninos entraram viram que ela estava com um pano na boca, mas não parecia estar morta. Eles começaram a jogar água com um balde nela para que ela não queimasse. Meu filho disse que foi uma cena muito feia”, contou.

“A gente chamou o Corpo de Bombeiros, mas tentou controlar o incêndio para não chegar nas casas do lado, porque tinha muita fumaça e o telhado fazia muito barulho”, completou.

Edícula nos fundos da casa ficou completamente destruida. (Foto: Silas Lima)
Edícula nos fundos da casa ficou completamente destruida. (Foto: Silas Lima)

Logo após os vizinhos foram até o fundo da casa onde fica uma edícula, que ficou completamente destruída com o incêndio e encontraram Vicente sentado com um botijão de gás.

“Ele estava abraçado com um botijão de gás no fundo da casa. Ele parecia meio tonto, mas os meninos levantaram ele e tiraram ele de lá”, relatou.

Vicente foi socorrido por ter inalado muita fumaça e está internado na Santa Casa sob escolta.

Esfaqueada  – Na casa a cena é de destruição e tristeza. O filho de Dulci, José Paulo Martinelli, acompanhou a perícia da Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) nesta manhã e contou que no local a equipe encontrou uma faca com sangue que indica que a idosa pode ter sido esfaqueada antes do incêndio.

“Era uma faca pequena que estava na pia. Ela estava com sangue. Eles falaram para mim que ela deve ter sido esfaqueada, e pode ter sido asfixiada também porque os vizinhos falaram que ela estava com um pano na boca”, explicou.

Fotos de Dulci e o marido na parede da sala. (Foto: Silas Lima)
Fotos de Dulci e o marido na parede da sala. (Foto: Silas Lima)

Ainda de acordo com José Paulo, em outubro a  mãe já teria feito uma denúncia na Deam contra o marido e estava com medida protetiva, mas acabou voltando para casa e retirando a queixa.

“Ela disse que ele tinha ameaçado ela de morte na época. Ele não deixava ela sair. Era muito ciumento e agressivo com ela. Ele queria vender a casa dela várias vezes. A minha mãe tinha 80 anos, a gente esperava que ela fosse morrer de qualquer coisa, covid sei lá, menos dessa forma. ”, destacou.

Conforme informações policiais, tudo indica que o homem tenha colocado fogo em vários pontos da casa, com a intenção de incendiar tudo, mas ele ainda será ouvido para que sejam divulgadas as informações sobre a dinâmica do crime.

Crime - Dulci teve a casa incendiada na madrugada desta segunda-feira (30). Familiares suspeitam que ela tenha sido morta por volta das 19h de ontem, antes de Vicente colocar fogo na residência.

 “Os vizinhos aqui disseram que ontem umas 19h ele estava oferecendo os móveis da casa. Dando tapete, panela. Ele deu o cartão de crédito dele e dela para a vizinha, passou a senha e pediu para ela cuidar do cachorro. Quando ela perguntou o que aconteceu ele disse para ela que tinha feito besteira”, explicou José Paulo ao Campo Grande News.

Dulci foi encontrada pelos vizinhos em cima da cama com queimaduras pelo corpo e rosto. Ela teve ao menos 30% do corpo queimado.


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário