A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

30/01/2014 21:54

Carreta de Saúde chega ao MS para ajudar no combate à hanseníase

Vinícius Squinelo

A Carreta de Saúde percorre o Brasil promovendo a detecção e o tratamento da hanseníase, doença infecciosa que deveria estar erradicada, mas coloca o Brasil em 2º lugar no ranking dos países com mais casos novos. Nesta sexta-feira (31), a Carreta chega ao Estado do Mato Grosso do Sul e presta o primeiro serviço voltado para esta doença à população. Patrocinado pela Novartis, o caminhão itinerante possui cinco consultórios e um laboratório para o diagnóstico da hanseníase e distribuição dos remédios. Com o apoio do Ministério da Saúde, a iniciativa da Novartis já diagnosticou mais de 2.000 casos em 153 cidades brasileiras.

A Carreta passará por seis cidades do Estado e o primeiro município a contar com a prestação de serviço gratuita é Paranaíba. Os atendimentos serão feitos na Avenida Major Francisco Faustino Dias (Avenida do Carnaíba), das 8h às 11h e das 13 às 17h, de 31 de janeiro à 3 de fevereiro. Além disso, a Prefeitura irá realizar atividades esportivas, culturais e outros serviços.

De acordo com o Ministério da Saúde, nos últimos 10 anos houve redução de 65% na taxa de prevalência de hanseníase passando de 4,33, em 2002, para 1,51 por 10 mil habitantes, em 2012. Entretanto, a doença ainda é endêmica no país. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil é o segundo no ranking de incidência da hanseníase no mundo, com quase 34 mil pacientes, representando 15,4% de todo o planeta.

A iniciativa reforça a missão da Novartis em colaborar com a campanha “Hanseníase Tem Cura” do Ministério da Saúde para combater a doença no Brasil, por meio de ações educativas, além do diagnóstico e tratamento. No ano passado, o caminhão itinerante passou por mais de 31 cidades nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco e Mato Grosso.

Para tratar a doença, a Novartis fornece a poliquimioterapia (PQT) há mais de uma década, via Organização Mundial da Saúde (OMS). A PQT está disponível gratuitamente em toda a rede pública do Brasil e, além de curar a hanseníase, interrompe sua transmissão e previne as deformidades. Desde 2000, foram doadas pela Novartis mais de 4 milhões de unidades e 600 mil pacientes foram curados no país. Globalmente, a Novartis já investiu mais de US$ 80 milhões em ações de combate à hanseníase.

Para o presidente da Novartis Brasil, Adib Jacob, “uma das filosofias da empresa é a responsabilidade social e, por isso, sempre estivemos comprometidos com a eliminação da hanseníase em todo o mundo”, afirmou. Adib acredita que a Carreta fortalece o esforço da Novartis, que trabalha em conjunto com os setores públicos de saúde na eliminação da doença.

MEC deve homologar Base Comum Curricular na próxima quarta-feira
O Ministério da Educação informou que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), aprovada hoje (15) pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), deve ser ...
Presos da penitenciária federal da Capital são julgados por crime em RN
Um preso custodiado no presídio federal de Campo Grande foi julgado, ao lado de outros três homens, na quinta-feira (14) e nessa sexta-feira (15) por...
Governo Federal reduz período do horário de verão para 2018/19
O presidente Michel Temer assinou hoje (15) um decreto reduzindo em duas semanas o horário de verão em 2018. No ano que vem, a medida começará a vale...
Inscrições para o Vestibular 2018 da UFMS seguem abertas
A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) segue com inscrições abertas para o Vestibular 2018, que selecionará alunos para cursos de gradua...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions