A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

19/09/2012 18:27

Casos de dengue diminuem 18% este ano, mas Saúde alerta para cuidados

Marta Ferreira

O Comitê Estadual de Mobilização no Combate a Dengue debateu na manhã desta quarta-feira (19) a situação atual do Estado em relação à doença e as ações preventivas realizadas pelos órgãos de saúde estadual e municipais. Participaram representantes da Secretaria Estadual de Saúde de Mato Grosso do Sul, Secretaria Municipal de Saúde de Campo Grande, Laboratório Estadual Central (Lacen) e Defesa Civil.

O Comitê ressaltou novamente os cuidados que a população deve tomar para se evitar o aumento de locais usados como “criadouros”, pelo mosquito da dengue. O balanço parcial de casos notificados pela Secretaria de Estado de Saúde, Mato Grosso do Sul registrou até a semana epidemiológica nº 37 (09 a 15 de setembro) 11.515 notificações, o que representa uma queda se comparado ao mesmo período em 2011, quando foram registradas 14.106 notificações. A redução é de 18%.

O presidente do Comitê de Mobilização ao Combate à Dengue e secretário-adjunto de Estado de Saúde, Eugênio Martins de Barros, afirma que mesmo com o registro de queda de casos em comparação a 2011, os números ainda são preocupantes. O secretário afirma que a população deve ficar atenta aos locais que podem acumular água e evitar jogar lixo em terrenos baldios.

“É imprescindível que a população tome estes cuidados. O estado já registra casos da Dengue tipo 4 e o combate a doença só será efetivo se evitarmos a proliferação dos vetores”.

Ele afirma que o tempo seco registrado nos últimos dias no Estado pode ter reduzido a proliferação de mosquito em ambientes naturais, mas em compensação fez com que a população utilizasse mais água, neste caso armazenando-a em tanques, baldes, piscinas e outros locais domésticos.

“Também estamos entrando novamente no ciclo de chuvas e isso nos deixa mais preocupados em relação aos cuidados para se combater o mosquito Aedes Aegypty”, disse Eugênio.

Dados da Secretaria Municipal de Saúde de Campo Grande (Sesau), os bairros da Capital apresenta índices de alerta para a predominância de depósitos de classificação A, para abastecimentos de água como caixas d’água, tambores, tonéis e poços; e D para depósitos passíveis de proteção como pneus e lixo. A SES/MS tem priorizado a aquisição de equipamentos e nas ações de combate à dengue neste segundo semestre. De acordo com a Secretaria, foram investidos cerca de R$ 1 milhão destinados à Coordenadoria de Controle de Vetores.

Câmara Federal regulamenta carreira dos agentes comunitários de saúde
Com a presença de agentes comunitários nas galerias da Câmara, os deputados federais concluíram hoje (12) a votação do projeto de lei que regulamenta...
Anvisa libera serviço de vacinação em farmácias de todo o país
Farmácias e drogarias de todo o país vão poder oferecer o serviço de vacinação a clientes. A possibilidade foi garantida em resolução aprovada hoje (...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions