A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

11/12/2015 15:49

Chuvas elevam para 18 o número de cidades em situação de emergência

Liana Feitosa
Segundo a prefeita Maria das Dores Viana, de Deodápolis, só hoje choveu cerca de 90 mm e, ontem, as águas também não deram trégua. (Foto: Eliton Santos)Segundo a prefeita Maria das Dores Viana, de Deodápolis, só hoje choveu cerca de 90 mm e, ontem, as águas também não deram trégua. (Foto: Eliton Santos)

Outros quatro municípios do sul do Estado decretaram situação de emergência devido às insistentes chuvas que atingem a região há, pelo menos, 25 dias. Com isso, sobe para 18 o número de municípios sul-mato-grossenses prejudicados pelo grande volume de chuvas.

Bela Vista, Jardim, Mundo Novo e Deodápolis expediram decreto depois que o Governo do Estado já havia decretado situação de emergência, por isso, não foram incluídas no decreto estadual, mas a administração do Estado estuda adicioná-las no documento.

Muita água - Segundo a prefeita Maria das Dores Viana, de Deodápolis, a 252 quilômetros de Campo Grande, só hoje choveu cerca de 90 mm e, ontem, as águas também não deram trégua.

"A casa de uma família encheu de água e estamos tirando eles do local. A situação das estradas, nem se fala. Devem ter acabado mais ainda depois da chuva de ontem e hoje", disse a prefeita.

"A tubulação de quatro linhas de distribuição foram levadas pelas chuvas e quatro ou cinco pontes também foram completamente destruídas. Também existem muitas erosões, dentro e fora da cidade. Muitas vias intransitáveis", completou Maria Viana.

Vários pontos da cidade de Fátima do Sul ficaram alagados devido às chuvas. (Foto: Fátima Informa)Vários pontos da cidade de Fátima do Sul ficaram alagados devido às chuvas. (Foto: Fátima Informa)

Há 27 dias - Em Bela Vista, os primeiros grandes estragos foram contabilizados no dia 15 de novembro, quando chuva de granizo e vendaval derrubou árvores, destelhou casas e destruiu um monumento. Conforme o coordenador da Defesa Civil, Adilson Insabralde César, o vento naquele dia chegou a 80 km/h.

Na cidade, 57 famílias chegaram a ser desabrigadas, inclusive pelo aumento do nível do Rio Apa, que alagou residências dos bairros Baixada Corintiana, Baixada Fluminense e Praia do Pompilho.

Em Amambai, uma das 18 cidades que já decretaram situação de emergência, o cálculo dos prejuízos já chega a R$ 20 milhões. O prefeito, Sérgio Diozébio, explica que será preciso priorizar alguns reparos quando o tempo permitir o início das obras.

Compreensão - "A gente pede que a população tenha entendimento da situação de emergência para saber que não tem o dinheiro, para entender a prioridade do outro, que às vezes é maior do que a sua própria", afirma.

"Pedimos também que os produtores rurais nos ajudem com o trabalho de contenção de águas nas propriedades. Se conseguirmos conter um pouco, elas não irão todas para as estradas. Se cada produtor tiver essa consciência, ajuda", completa.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions