A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

24/08/2013 09:52

CNJ dá prazo de 30 dias para TJMS lançar concurso para os cartórios

Aline dos Santos
Corregedor não aceitou pedido de mais prazo do tribunal. (Foto: Arquivo)Corregedor não aceitou pedido de mais prazo do tribunal. (Foto: Arquivo)

A corregedoria do CNJ (Conselho Nacional de Justiça) deu prazo de 30 dias para o TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) iniciar concurso público para cartórios extrajudiciais. O mesmo ofício do corregedor nacional de Justiça, ministro Francisco Falcão, será encaminhado aos tribunais do Distrito Federal, Alagoas, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Sergipe e Tocantins.

Nesse prazo, a contar da data da notificação, cada tribunal deverá enviar cópia da publicação do edital do concurso ou esclarecer a fase de preparação e o cronograma para sua efetiva publicação, “sob pena de proposta de abertura dos processos disciplinares cabíveis”.

A medida dá prosseguimento à iniciativa tomada em março de 2013, quando foi determinada a preparação dos concursos em 15 Estados para cumprimento à exigência constitucional.

O TJ/MS solicitou 180 dias para abertura do concurso, com o argumento de que teria encaminhado projeto de lei à Assembleia Legislativa para que não haja acúmulo de serviços notariais e de registro.

Mas, para o corregedor nacional de Justiça, a eventual “desacumulação” de serventias pode ocorrer a qualquer momento. Segundo Falcão, isso não pode servir de empecilho para a realização periódica de concursos públicos.

O artigo 236, parágrafo 3º, da Constituição Federal, estabelece que o ingresso na atividade notarial e de registro depende de concurso público de provas e títulos, “não se permitindo que qualquer serventia fique vaga, sem abertura de concurso de provimento ou de remoção, por mais de seis meses”.

No Estado, a questão já provocou bastante polêmica. Tabelionatos titulares eram mantidos nas funções, mesmo sem concurso, graças a liminares da Justiça.

Ministro pede vista e adia decisão sobre titulares de cartórios de MS
Três cartorários questionam no STF afastamento do cargo determinado pelo CNJO ministro Dias Toffoli do STF (Supremo Tribunal Federal), pediu vistas ...
TJ oficializa perda de titularidade de 18 cartórios, 6 deles em Campo Grande
Foi oficializada hoje a destituição de 18 titulares de cartórios em Campo Grande e no interior, definida ontem pelo Órgão Especial do TJ (Tribunal de...
Temer veta projeto sobre negociação coletiva no serviço público
O presidente Michel Temer vetou integralmente o Projeto de Lei nº 3.831/15, aprovado pelo Congresso Nacional, que estabelecia normas para a negociaçã...


Esse Tribunal de Justiça está com a imagem muito manchada, todo dia tem notícia do Tribunal descumprimento alguma determinação, ou gastando muito dinheiro com regalias, com salários. Daqui a pouco o CNJ fará uma intervenção nesse Tribunal.
 
Rafael Santos em 24/08/2013 18:10:36
Está na hora mesmo de acabar com essa "repartição pública HEREDITÁRIA", que é uma das maiores afrontas contra a igualdade de oportunidades no serviço público.
 
Adriano Roberto dos Santos em 24/08/2013 17:56:55
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions