A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

24/09/2014 08:51

CNJ vê aumento de gastos e queda na produtividade do TJMS

Eduardo Penedo
Levantamento do CNJ foi divulgado nesta terça-feira (Foto: Marcelo Victor/Arquivo)Levantamento do CNJ foi divulgado nesta terça-feira (Foto: Marcelo Victor/Arquivo)

O TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) aumentou os gastos e contratou mais servidores, mas não elevou a produtividade em relação ao ano passado. Essas informações constam do Relatório Justiça em Números 2014 do CNJ(Conselho Nacional de Justiça), apresentado nesta terça-feira (23), em Brasília (DF).

O Tribunal de MS foi considerado com 100% de eficiência de 2009 a 2012 e em 2013 houve redução de produtividade de 100% para 82%, passando a ocupar o 6º lugar entre os 12 tribunais de pequeno porte. O TJMS é classificado pelo CNJ como de pequeno porte.

O IPC-Jus é calculado a partir de parâmetros de produtividade definidos com base em informações dos próprios tribunais, considerando o fluxo de entrada – número de processos que ingressaram, recursos humanos e financeiros disponíveis, servidores e despesas –, e o fluxo de saída, ou seja, os processos baixados. Dessa forma, os tribunais que mais baixam processos em relação aos seus insumos são os que mais se destacam no IPC-Jus.

De acordo com o levantamento, as despesas total do TJMS, em 2013, foi de R$ 554,526 milhões, 15,2% maior que no período anterior. Desse montante, R$ 446,3 milhões foram gastos com recursos humanos, 8,8% mais que no ano anterior. Os gastos com informática aumentaram 25,4%, totalizando R$ 26 milhões.

Segundo o relatório, a taxa de congestionamento de processos aumentou para 62,7%, isso quer dizer que de cada   100 processos, aproximadamente 37 foram baixados. Os juízes tiveram ainda a carga de trabalho aumentada para 4.456 processos; com menos processos julgados 1.537 e 1.625 processos baixados, número 22,5% menor que no ano anterior.

O TJMS tem 186 magistrados, sendo 30 em 2°grau, com 2.252 servidores na área judiciária. Os demais servidores totalizam 4.729 pessoas, sendo 160 sem vínculo efetivo, 525 terceirizados e 672 estagiários.

A média do IPC-Jus na Justiça Estadual é de 79,2%, na Justiça do Trabalho é de 82,9% e de 72% na Justiça Federal. Apesar de os tribunais do trabalho terem conseguido percentualmente obter os maiores índices, não é possível compará-los aos tribunais dos outros segmentos de Justiça, já que o IPC-Jus compara apenas a produtividade dos tribunais de um mesmo ramo.

Justiça estadual - O CNJ também avaliou a eficiência dos tribunais brasileiros, por meio do IPC-Jus  em que o desempenho considera a capacidade de solucionar mais processos com menos recursos humanos e orçamentários.

Na Justiça estadual, onde se concentra a maior parte das ações, atingiram o percentual máximo, numa escala que vai de 0% a 100%, os Tribunais de Justiça do Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Amapá e Acre, com a solução de um número adequado de processos. Em média, o conjunto dos tribunais apresentou eficiência de 79,2%.

Das 27 tribunais estaduais, 12 ficaram abaixo desse patamar: Pernambuco (79,1%), Pará (74,4%), Ceará (70,9%), Espírito Santo (69,4%), Maranhão (62,9%), Mato Grosso (62,3%), Bahia (47,7%), Alagoas (72,4%), Rio Grande do Norte (69,0%), Tocantins (66,8%), Roraima (55,3%) e Paiuí (42,1%).

Carro roubado no Rio de Janeiro é recuperado em estrada de acesso ao Paraguai
Um automóvel recentemente roubado no Rio de Janeiro foi recuperado por policiais militares em uma estrada vicinal de Japorã –a 487 km de Campo Grande...
Recesso de fim de ano começa nesta semana no Judiciário e Legislativo
Na reta final de 2017, para alguns servidores a "folguinha" das festas começa mais cedo. Em orgãos Estaduais e Federais de Mato Grosso do Sul, tem re...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions