A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

06/12/2010 11:27

Condenado por corrupção, juiz continua recebendo do TJ e quer se aposentar

Marta Ferreira

Marcos Antônio Sanches, afastado desde 2001, foi condenado por venda de sentença

O juiz Marcos Antônio Sanches não atua no Poder Judiciário de Mato Grosso do Sul desde 20 de setembro de 2001, quando foi afastado, por suspeita de envolvimento com o tráfico e venda de sentença. Em agosto de 2008, ele foi demitido do cargo, no mesmo processo em que foi considerado culpado por corrupção. Apesar disso, Marcos Antônio Teixeira ainda carrega o título de juiz, recebe os salários normalmente, e move uma briga judicial para ser aposentado pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul.

O salário de um juiz estadual é de R$ 18,6 mil para quem está em início de carreira. Para os mais antigos, o valor ultrapassa folgadamente a casa do R$ 25 mil. A decisão que determinou a perda do cargo de Marcos Sanches não foi cumprida até hoje porque ainda não transitou em julgado.

O caso corre no STF (Supremo Tribunal Federal) e, no primeiro julgamento, a decisão do TJ condenando o juiz a pena de 3 anos de reclusão por corrupção e à perda do cargo foi mantida, mas a defesa dele entrou com recurso, que ainda aguarda apreciação no Supremo.

Aposentadoria negada - No dia 17 de novembro, o magistrado afastado sofreu uma nova derrota no TJ. O Órgão Especial negou o pedido de

aposentadoria por invalidez formulado por Marcos Sanches.

O entendimento do relator do caso, desembargador Remôlo Leteriello, acompanhado pela maioria dos magistrados, é de que diante do processo por exclusão que Marcos Sanches sofre, não há como conceder aposentadoria.

O juiz foi citado na CPI do Narcotráfico, em 2000, por suspeita de ter liberado um traficante em Aquidauana, onde atuava. Em troca da liberdade ao traficante Ruben Binatti, teria ganho uma locadora de veículos. À época, defesa dele disse que a acusação não foi provada.

No ano seguinte, foi afastado pelo TJ, após uma nova denúncia, de que teria recebido R$ 50 mil, um caminhão de novilhas nelore e um cavalo, para revogar a prisão preventiva prisão preventiva de Maurício Zomignan Fontanari e Gilberto Fontanari Filho, processados em Aquidauana pelo assassinato de Daniel Guerra, ocorrido em 1996.

Ao pedir para se aposentar, o magistrado afastado alega que, em razão dos problemas pelos quais que tem passado, desenvolveu enfermidades que o impedem de atuar, caso volte a recuperar o cargo. Os problemas seriam psíquicos.

O Campo Grande News tentou contato com os advogados do magistrado e não conseguiu.

Indenizações por morte no trânsito crescem 24% em relação a 2016
O número de indenizações pagas pelo Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (Seguro Dpvat) entre janeiro e novemb...
ANS regulamenta novas regras de compartilhamento para planos de saúde
A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) publicou duas resoluções normativas na tentativa de dar mais segurança e estabilidade ao mercado de pla...
UFMS recebe inscrições para vários cursos no Vestibular 2018
A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) segue com inscrições abertas para o Vestibular 2018, que selecionará alunos para cursos de gradua...


Isso tudo é fruto da atual crise ética e moral que nossa sociedade tem passado, não é coisa de Brasil, pois o Brasil é uma Nação de trabalhadores e honestos, isso é coisa de bandido marginal, precisamos da atitude ética e moral dos Desembargadores do Tribunal de Justiça, para que tratem este e outros casos igualmente repugnantes com rigor e eficácia, para demonstrar que ainda podemos confiar no Poder Judiciário.
A segurança Jurídica deve ser um dos pilares da Democracia, todos temos a nosso favor o princípio da presunção da inocência, então vamos garantí-lo a todos, inclusive aos pobres e por outro lado, o salário do bandido deve ser cadeia e punição séria, inclusive para os ricos!!! Mas vale um alerta, isso tem acontecido com frequência, juízes como Zeola que consequem se aposentar antes de serem condenados, para evitar a exoneração prevista também como punição....e até na polícia, ode muitos policiais enfrentam vários processos por abuso e recebe "punição o prêmio da aposentadoria compulsória. Brasileiros temos que nos manifestar, reunir, cobrar posição sérias do representante dos poderes que constituem nosso Estado de Direito, senão continuaremos rumo a passos largos aos caos ético e moral.
 
Vivian Borges em 07/12/2010 09:00:35
Existem muitos em atividade, com outras funções, fazendo a mesma coisa, e vendendo sentenças por milhares de reais em nosso TJ. Isso é uma triste e podre realidade em nosso roubado estado.
 
Keila Andrade Costa em 07/12/2010 08:11:33
O que é lamentavel é que o TJ tem muitos assim, não afastados mas ainda exercendo suas funções !!
 
João antonio Pedreira em 07/12/2010 07:59:19
Uma vergonha o nosso judiciário...
Ladrões e assassinos em regime semi-aberto sem nenhuma fiscalização por parte do judiciário...
Juiz Lau Lau...
Juiz vendedor de sentença...
Nós pagamos um alto salário um judiciário que não mostra um trabalho a altura do que recebe...
 
José Rodrigues em 06/12/2010 11:33:24
É bem coisa de brasileiro alienado dizer que isso só acontece no Brasil, vão procurar a realidade para falarem. Brasileiro sem cultura adora dizer isso, só que se baseiam no que os jornais de massa falam. Em países de primeiro mundo acontece muito parecido.
E outra, acho pouco, ele estudou muito pra isso, merece,kkkkkkkk.
 
Rafael Santos em 06/12/2010 11:24:39
Não se pode mais falar que isso é somente uma vergonha, isso já está nas esferas da associação com a bandidagem, é mais um engravatado usando o cargo prá se dar bem na vida, o salário que ele ganha não é suficiente? Manda esse cara prá cadeia logo, se é que terão ai sim, VERGONHA NA CARA prá tomarem essa atitude. O Judiciário é uma piada!!!
 
Luiz Carlos Ovelar Filho em 06/12/2010 08:01:47
Óbvio que fere a moral do trabalhador responsável. Porém, nos restritos corredores da lei, é legal. Nós votamos naqueles que fazem as leis. Entretanto, a manifestação soberana, pacífica e inteligente dos filhos da nação podem estender-se além das datas eletivas.

Onde estão as diferentes sociedades defensoras dos direitos individuais e coletivos que não organizam manifestações efetivas para o combate dessas vergonhas? Desde 2008 que não transita em julgado a sentença? A população não sabe que existem correições anuais ordinárias e até extraordinárias para apuração dessas irresponsabilidades?

Lembro-me de um trecho esclarecedor do Novo Testamento: "Se a luz que em tí há são trevas, quão espessas serão tais trevas...".
 
Carlos Alberto Cordeiro em 06/12/2010 06:35:05
Quando pessoas como esta comete erros, há uma delonga em sua condenação...existem magistrados que tem certeza de que há amparo em Lei...mas negligenciam...exemplo: tentativa de condenação ao TIRIRICA!...Parece que não concordam que há erros no processo eleitoral...querem contestar milhares de eleitores que declararam seus votos. Ora, analisando bem, ele é verdadeiro...não usou hipocrisia, como certos candidatos...ele foi claro..."...Eu não sei!"...Partindo dessa premissa qualquer pessoa, confirma esta verdade...não há necessidade de grandes estudos, magistrados interpondo, processando divulgando na mídia...etc...após um pleito eleitoral...estamos ou não na Democracia?....
Este comentário é de um servidor público aposentado...
 
Francisco José da Silva em 06/12/2010 06:22:23
Também quero me aposentar, mas sem descontos proporcionais.....e ai eu consigo....IMPRESSIONANTE !!!! até quando o povo ira pagar para que pessoas como estas manchem o nome do País e de uma entidade Pública como o TJ MS ???? Como acreditar no PODER JUDICIÁRIO ???
 
Peterson Leandro em 06/12/2010 06:20:50
Incrível, uma das fases do concurso para Juiz é para ver se o candidato possui ou nao algum problema psicologico.
Só é aprovado que nao tem problema.

A vossa excelência ai trabalha um tempão sem problema nenhum.
Agora que é pego e condenado pelos erros, ele começa a ter problemas só para aposentar e continuar recebendo -- '
Quando um homem agirá como tal?

Isso é uma vergonha para a Justiça brasileira.
É uma vergonha para o país.

Isso só mudará quando existir Juiz, Promotor, Politico, e outros cargos importantes, sendo ocupados por PESSOAS SERIAS E QUE NAO POSSUEM M-E-D-O.
 
Samir Buchara em 06/12/2010 06:03:17
Isso é uma vergonha!!!!!!!!!!!
 
luiz Charles da Silva em 06/12/2010 05:31:17
isto é Brasil!!!
onde só os poderosos tem vez...
as leis Brasileiras só favorecem os que tem dinheiro e poder...
até quando?
 
elizeo vieira em 06/12/2010 04:38:10
Então, o caso desse magistrado e apenas mais um deste nosso sistema judiciário que beira a falência moral há anos.
 
Carlos de Carvalho Silva em 06/12/2010 02:48:57
E continua recebendo!!! Se perder a ação, ele vai devolver tudo o que recebeu indevidamente??? Brassilllllllll
 
Clara Fortes em 06/12/2010 02:36:09
No Brasil vemos de tudo. Ministros condenados por venda de sentença, recebem como punição a aposentadoria compulsória, com a remuneração integral, ou seja, algo em torno de R$ 25.000 ou mais. E agora juiz também. Legal!!! aposenta eu??? E o povo como fica com todas essas anomalias??/
 
Clara Fortes em 06/12/2010 02:34:25
Como voces querem que eu faça comentarios com responsabilidade diante de tal fato como esse do juiz? Sem comentario... só no Brasil mesmo.
 
João Souza em 06/12/2010 02:11:18
Com certeza este Juiz irá conseguir se aposentar, afinal estamos falando de: (Justiça Brasileira), infelismente nós valemos o que temos, se temos um fusca valemos ele se temeos uma mercedes valemos ela. Mais desistir, nunca.
 
ademir Marques Gomes em 06/12/2010 01:45:58
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions