A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

24/01/2008 08:54

Contadora de Beira-Mar pode ir para o presídio feminino

Redação

Presa desde o dia 8 de janeiro na Superintendência da Polícia Federal em Campo Grande, a mulher apontada como a administradora em Capitán Bado, no Paraguai, dos negócios do traficante Luís Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, poderá ser transferida da carceragem da PF para o presídio feminino de Campo Grande, uma vez que presença na corporação federal costuma ser provisória. A presa, Rosa Maria Dias Rocha, 37 anos, estava foragida desde 2000, quando teve a prisão decretada pelo juiz Odilon de Oliveira, responsável pelo processo que corre contra ela em Mato Grosso do Sul por lavagem de dinheiro.

O juiz confirmou, por telefone, que se houver transferência Rosa Maria será levada à unidade penal feminina, mas não quis dar detalhes sobre o andamento do processo envolvendo a mulher. Ela já foi ouvida pelo magistrado.

Rosa Maria, que é brasileira, seria a número 1 da quadrilha de Beira-Mar no país vizinho, classificada como contadora dos negócios ilegais do traficante. Ela é ré, junto com ele, em processos por lavagem de dinheiro que corre na justiça federal em Campo Grande. Pela investigação da Polícia Federal e do Ministério Público Federal, administrativa as casas de câmbio que na verdade seriam de Beira-Mar em Capitán Bado, cidade paraguaia separada apenas por uma rua do município sul-mato-grossense de Coronel Sapucaia. O nome dela aparece em uma agenda que é uma das peças chaves contra Beira-Mar no ação.

A prisão dela foi decretada pelo juiz Odilon de Oliveira em 2000, quando surgiu a informação sobre a existência das casas de câmbio de Beira-Mar, a partir de investigações do MPF (Ministério Público Federal) e da PF. O trabalho de apuração apontou que, apesar de ter declarado uma renda mensal de R$ 5.000, Rosa movimentou em apenas seis meses R$ 1,5 milhão, conforme denunciou o MPF com base em quebra de sigilo bancário.

A mulher também é processada por tráfico pela justiça federal do Rio Grande do Sul, e também era considerada foragida nesse processo, que corre na cidade de Passo Fundo. Na mesma ação, é réu outro homem apontado como integrante da quadrila de Beira-Mar, Ubiratan Brescovit. Os dois estão presos no presídio federal de segurança máxima em Campo Grande.

O juiz federal Eduardo Gomes Philippsen, de Passo Fundo, já foi informado da prisão de Rosa e solicitou que ela seja ouvida em Campo Grande sobre a acusação de tráfico que corre naquele estado.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions