ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, TERÇA  27    CAMPO GRANDE 26º

Cidades

CRM esconde caso de médico suspeito de morte por lipo

Redação | 19/05/2010 14:14

O CRM/MS (Conselho Regional de Mato Grosso do Sul) não informa qual o resultado julgamento do médico Alexsandro de Souza, acusado de ser o responsável pela morte da paciente Cristiane Medina Dantas, 24 anos, ocorrida após lipoaspiração.

A previsão era de que o pedido para abertura de processo ético contra o profissional fosse votado na sexta-feira passada mas, no entanto, ninguém na entidade informa sequer se os conselheiros votaram e o que decidiram sobre a abertura do procedimento.

O Campo Grande News já tenta obter informações referentes ao caso desde o fim de semana. A entidade se limita a dizer que corre em segredo.

A condenação aos profissionais vai desde a advertência até a cassação do diploma, para situações graves, como a morte de um paciente.

O processo pode levar até dois anos para ser concluído, conforme estimativa da entidade.

O Conselho já havia antecipado que o médico pode atuar em qualquer especialidade médica, no entanto, configura-se falha ética quando faz propaganda para uma especialidade que não tem.

Alexsandro Souza é cirurgião, porém, não é especialista em cirurgia plástica.

Desde 2007 ele faz cirurgias plásticas. A estimativa é que pelo menos 100 pessoas tenham sido operadas pelo profissional. Ele atuava em Fátima do Sul, Naviraí, Juti e Dourados.

Cristiane não resistiu à lipoaspiração feita pelo médico em junho de 2008. Ela morreu uma semana depois da cirurgia feita em Fátima do Sul.

Nos siga no Google Notícias